Julen Lopetegui matou um grande “borrego” em Portugal. À 14ª tentativa, desde que assumiu o comando técnico do FC Porto, o técnico espanhol conseguiu, finalmente, dar a volta a um resultado e ganhar. O Paços de Ferreira marcou primeiro, mas os “dragões” reagiram ainda no primeiro tempo, desperdiçaram diversas oportunidades e consumaram a “remontada” já na segunda parte, de grande penalidade. Fica na retina o bom começo do Paços no Dragão e a boa exibição de Marafona na sua baliza.

Liga NOS 2015/16 - J12 - Porto vs Paços de Ferreira - Ratings
Clique na infografia para ampliar (infografia: GoalPoint)

O encontro começou de forma a que os “dragões” não estavam habituados, em especial nos jogos em casa. O Paços marcou cedo, por Bruno Moreira, numa desatenção defensiva portista, e aos 10 minutos somava 42,2% de posse de bola e tinha mais um remate que o Porto (2-1), para além de 70% de duelos individuais ganhos. Mas depressa os da casa tomaram conta das operações e, aos 29 minutos, Jesús Corona empatou. Os “azuis-e-brancos” chegaram ao intervalo com 75% de posse de bola, 11 remates e cinco enquadrados, e a denotar alguma desinspiração na hora do remate, pois muitos lances de conclusão fácil acabavam com a bola na bancada. O mesmo aconteceu no segundo tempo, com diversas oportunidades desperdiçadas, em especial por Vincent Aboubakar, e também por mérito de Marafona, que realizou sete defesas. Mas o guarda-redes não travou o penalty apontado de Miguel Layún, que fez o 2-1 aos 64 minutos.

Lateral que é um caso sério

Como já referimos anteriormente, Marafona foi um dos melhores jogadores em campo, ao realizar sete intervenções importantes entre os postes, mais uma saída eficaz e dois alívios. Somou 7.4 no nosso GoalPoint Ratings e foi o melhor dos visitantes. Mas também o segundo melhor da noite no Estádio do Dragão. O primeiro? Miguel Layún. O mexicano voltou a fazer uma grande exibição na lateral-esquerda dos portistas e somou 7.9 no GoalPoint Ratings, fruto de um golo, dois remates, dois de três cruzamentos eficazes, cinco passes para ocasião e cinco intercepções. Cada vez mais uma das figuras deste campeonato.

Nota: Os GoalPoint Ratings resultam de um algoritmo proprietário desenvolvido pela GoalPoint que pondera exclusivamente o desempenho estatístico dos jogadores ao longo da partida, sem intervenção humana. Clique para saber mais.

> NA PRÓXIMA PÁGINA: O JOGO COMO O VIMOS