Porto e Sporting concluíram o terceiro dos cinco “rounds” que têm agendados na época 2017/18. Para trás fica o duelo da primeira volta da Liga NOS, uma meia-final a contar para a Taça da Liga e o primeiro capítulo da meia-final da Taça de Portugal. Balanço? Uma vitória para cada lado (a leonina obtida no desempate por grandes penalidades). Pelo meio, apenas um golo, com números que permitem já identificar algumas tendências.

GoalPoint-Balanco-Porto-Sporting-201718-infog

  • Os “dragões” mostram um ascendente ofensivo claramente superior, ainda que tudo menos eficaz, somando já mais do dobro dos disparos e mais do triplo dos remates enquadrados. Prova disso é o facto de Rui Patrício ter sido já obrigado a realizar 15 defesas, contra apenas quatro dos homólogos “azuis-e-brancos”.
  • Curiosamente, e apesar de ter sido teoricamente o jogo mais complicado, foi em Alvalade que o FC Porto obrigou o guardião leonino a somar mais defesas, sete, contra cinco ontem no Dragão e apenas três em Braga.
  • Apesar disso, o Sporting tem até ligeiro ascendente na posse, algo que nem o golo de Soares, obtido aos 60 minutos do terceiro encontro entre as equipas, explica (altura em que normalmente, nestes jogos, a formação em “prejuízo” assume maior controlo do jogo), até porque foi… o único, nos três encontros. O “leão” tem mais bola, mas nem por isso a consegue traduzir em situações de remate e verdadeiro perigo.
  • Curiosamente, foi sem Bas Dost que os “leões” enquadraram mais remates à baliza portista: na deslocação de quarta-feira ao Dragão, o Sporting somou três disparos enquadrados, mais um do que o somatório dos dois duelos anteriores.
  • A tendência para permitir um maior ascendente ofensivo aos adversários é, aliás, transversal a todos os “jogos grandes” disputados pelo Sporting esta época, frente a Porto e Benfica, uma análise que já havíamos publicado e que os dois mais recentes duelos com os portistas vieram reforçar.
  • Até ao duelo de quarta-feira, os “dragões” eram os mais faltosos, mas tudo mudou com as 27 faltas acumuladas pelos comandados de Jorge Jesus no Dragão, mais nove que o adversário. Findas três partidas, o Sporting totaliza dez amarelos e um vermelho, contra sete amarelos dos portistas.

Porto e Sporting voltam a cruzar-se para a Liga NOS, a 2 de Março, e para a Taça de Portugal (2ª mão), a 18 de Abril.