Portugal 🆚 Marrocos | Ganhar ou… ganhar 💪

-

O campeão da Europa volta a entrar em campo, esta quarta-feira. Após o emocionante empate na estreia frente a Espanha, 3-3, segue-se outro vizinho, embora com fronteira marítima. Marrocos surge no caminho de Portugal com uma dolorosa derrota na primeira jornada ante o Irão de Carlos Queiroz. Dolorosa porque foi, claramente, a melhor equipa e sofreu o tento decisivo ao cair do pano, um autogolo.

A História de confrontos directos este as duas selecções até favorece os marroquinos. O único embate entre as duas formações aconteceu na fase de grupos do Mundial de 1986, no México, e caiu para o lado magrebino, um triunfo por 3-1 que eliminou Portugal – foi a primeira vitória de sempre de Marrocos num Mundial. Esta foi, aliás, a única derrota lusa frente a adversários africanos em Mundiais. Após esse resultado, Portugal ganhou dois e empatou um jogo com selecções deste continente.

Este vai ser, obviamente, um desafio totalmente diferente para Portugal, a começar pela diferença de qualidade entre Espanha e Marrocos, mas também de estilo. Não será de espantar que Portugal, ao contrário do jogo anterior, seja o “dono da bola”, apesar de Marrocos ser uma equipa que goste de assumir, como mostram os 68% de posse que registou ante o Irão. E aí, os magrebinos podem ser uma ameaça real, com jogadores como Hakim Ziyech a constituírem um verdadeiro perigo. Mas não virá apenas daí. Sabemos das dificuldades que Portugal (e até Espanha… ou Inglaterra) sentiram ante a Tunísia, equipa com estilo semelhante ao de Marrocos, mas com bem menos recursos individuais. Por isso, a selecção de Fernando Santos terá, certamente, de se acautelar.

GoalPoint-Antevisão-Marrocos-Mundial-2018-1-infog
Clique para ampliar

Na defesa, Mehdi Benatia é a grande figura, e se é verdade que frente ao Irão, os marroquinos consentiram nove remates no primeiro tempo, no segundo não permitiram nenhum. Facto a ter em conta, certamente, mas Portugal tem nas suas fileiras o jogador que mais remata em todo o mundo – 6,3 vezes por jogo nas últimas duas épocas -, Cristiano Ronaldo. Por isso mesmo, a história de Marrocos neste jogo será bem diferente da que se verificou no anterior, e acreditamos que para muito pior.

Confira as estatísticas de jogo das duas equipas na primeira jornada do Grupo B e, a seguir, algumas curiosidades do confronto entre ambas.

  • Portugal não perde com uma selecção não europeia no Mundial desde Junho de 2002, quando foi batido por 1-0 pela Coreia do Sul. Desde então venceu cinco jogos e empatou três. Aliás, Portugal perdeu apenas um dos últimos dez encontros da fase de grupos de Mundiais, a tal goleada por 4-0 ante a Alemanha, em 2014, tendo ganho cinco e empatado quatro.
  • Os três golos apontados por Cristiano Ronaldo frente a Espanha tornaram-no no jogador mais velho a conseguir um “hat-trick” na História dos Mundiais, com 33 anos e 130 dias. O seu terceiro golo nessa partida foi também a primeira vez que marcou de livre directo na fase final de uma grande competição de selecções, à 45ª tentativa.
  • Ronaldo tornou-se também apenas no quarto jogador a marcar em quatro fases finais de Mundiais consecutivas, juntando-se a Uwe Seeler, Pelé e Miroslav Klose.
  • Cristiano Ronaldo marcou três golos em 70 remates nos anteriores três Mundiais em que participou por Portugal (2006, 2010 e 2014). Em 2018 precisou de apenas quatro disparos para marcar.
  • O actual seleccionador de Portugal, Fernando Santos, ganhou apenas um jogo no Mundial, em cinco partidas (três empates e uma derrota), mas surgiu no único embate ante nações africanas, ao comando da Grécia, 2-1 sobre a Costa do Marfim, em Junho de 2014.
  • Marrocos não consentiu qualquer remate na segunda parte do jogo de estreia neste Mundial ante o Irão. Mas sofreu um golo ainda assim.
  • A formação magrebina registou 68% de posse de bola nessa partida, valor mais elevado de uma equipa derrotada na prova desde Junho de 2010 – quando Espanha teve 73% de posse ante a Suíça e perdeu 1-0.
  • O marroquino Aziz Bouhaddouz fez autogolo frente ao Irão no jogo de estreia da sua equipa, tornando-se no terceiro substituto a marcar na própria baliza num jogo do Mundial – os outros foram Laszlo Dajka em 1986 (Hungria – URSS) e o português Petit, em 2006 (Portugal – Alemanha).

Esta quarta-feira, às 13h00, não perca o acompanhamento de todas as incidências, a análise e as estatísticas deste e de todos os jogos do Mundial 2018 no sítio do costume, aqui no GoalPoint. E também a antevisão à partida logo pelas 11h00, no SAPO Desporto.

GoalPoint
GoalPoint
O GoalPoint.pt é um site produzido pela GoalPoint Partners, uma start-up especializada em análise estatística de futebol, que oferece serviços dirigidos a profissionais, media, patrocinadores/anunciantes e adeptos.
GoalPoint

GRÁTIS
BAIXAR