O exclusivo PowerRanking GoalPoint está de volta, através do qual nos propomos analisar (juntamente consigo) o desempenho de curto prazo dos emblemas que competem na Liga NOS.

A Liga entrou já na sua fase decisiva (faltam apenas dez jornadas para o final) e as últimas cinco rondas só não foram ainda mais decisivas para a definição do campeão pelo simples facto de o Porto, novo líder do PowerRanking, não desarmar na perseguição a um Benfica que em Dezembro parecia ter a questão do título bem encaminhada. De qualquer forma, e mesmo não atingindo o brilhantismo registado pelos “dragões” (que não sofreram qualquer golo no período em análise), os “encarnados” não ficam longe na hora de identificar os melhores desempenhos colectivos das últimas jornadas, o que acaba por influenciar a forma como se posicionam no ranking, aparente paralelismo com o que sucede na classificação. No extremo oposto surge o Sporting: após liderar o PowerRanking de Janeiro, o conjunto de Marco Silva cai sete lugares, fruto da súbita quebra de resultados que marcou as últimas semanas leoninas.

Mas nem só de “grandes” se fazem as novidades do PowerRanking, com destaques muito positivos (ex.: os “estudantes” ganham 13 lugares) e negativos (Estoril perde dez posições), num mês em que apenas uma equipa minhota (Moreirense) mantém o mesmo posto. Avancemos então para a classificação, convidando-o a conferir os rankings de NovembroDezembro e Janeiro caso seja a primeira vez que se debruça sobre esta forma diferente de medir o “pulso” aos clubes da Liga. Após conferir a classificação mensal, pode também perceber como elaboramos este ranking.

(clique na tabela para ampliar)

GP---PowerRankingGP---Fevereiro-201415---12Mar2015

Como é elaborado o PowerRanking GoalPoint?

PowerRanking GoalPoint tem por objectivo permitir uma avaliação fácil do rendimento de curto prazo (últimas cinco jornadas) dos emblemas em disputa. O somatório de pontos conquistados (sobre o total de pontos possíveis, 18) bem como a média de golos marcados e sofridos contribuem para uma pontuação final e um ranking que, como se torna notório, não coincide necessariamente com a classificação actual das equipas.

Voltaremos assim a cada cinco jornadas para actualizar o ranking proposto, avaliando consigo os sinais de retoma (ou quebra) dos clubes numa Liga 2014/15 particularmente competitiva e interessante.