Proprietários de Arsenal e Chelsea perdem mil milhões em 48 horas

A crise económica russa já afectou alguns dos homens fortes do mundo do futebol.

Usmanov e Abramovich em ambiente de descontracção, obviamente antes da crise do rublo russo.
Usmanov e Abramovich em ambiente de descontracção, obviamente antes da crise do rublo russo.

A Rússia vai atravessando uma aguda crise económica, com a desvalorização do rublo para níveis que já não se viviam há cerca de uma década. O que tem isto que ver com futebol? Tudo, pois é pública e disseminada a proximidade entre a fortuna russa e o mundo do futebol. Exemplos disso são os proprietários de Arsenal e Chelsea, que no conjunto perderam cerca de mil milhões de euros nas últimas 48 horas. Alisher Usmanov, dono do Arsenal surge aliás no topo da lista dos 15 milionários que a Vanity Fair identifica como os maiores “prejudicados” com a crise russa, com uma perda de cerca de 656 milhões de euros, surgindo logo no terceiro posto o mais conhecido Roman Abramovich, “patrão” de José Mourinho, com perdas de cerca de 364 milhões.

Mas constituirá esta notícia um risco para os clubes em causa e para o mundo do futebol em geral? Não há razões para alarme pois apesar das espectaculares perdas, Usmanov e Abramovich ainda têm fortunas avaliadas em cerca de 10,8  e 10,3 mil milhões de euros, respectivamente. O caso está assim longe de constituir uma “crise” para os afectados, pelo menos uma tão séria como a que afligiu Dimitri Rybolev, proprietário do Mónaco, quando a sua mulher decidiu pedir não só o divórcio mas também metade da sua fortuna, um acontecimento catastrófico capaz de afectar a fortuna de qualquer oligarca russo bem para lá do que a desvalorização do rublo é capaz.