[vc_tta_tabs][vc_tta_section i_icon_fontawesome=”fa fa-line-chart” add_icon=”true” title=”Ratings” tab_id=”1465571624475-01e55dfc-58e2″]
Clique para ampliar
[/vc_tta_section][vc_tta_section i_position=”right” i_icon_fontawesome=”fa fa-trophy” add_icon=”true” title=”MVP” tab_id=”1465571693503-4a0f9bf6-e654″]
Clique para ampliar
[/vc_tta_section][vc_tta_section i_icon_fontawesome=”fa fa-futbol-o” add_icon=”true” title=”Stats” tab_id=”1465571672809-6f7d6717-7b04″]
Clique para ampliar
[/vc_tta_section][/vc_tta_tabs]

O Paris Saint-Germain (cada vez mais ) de Neymar vulgarizou o Toulouse numa vitória esmagadora por 6-2, num jogo que valeu o segundo 10.0 GoalPoint Ratings consecutivo ao astro brasileiro noutros tantos jogos. 

Numa exibição parisiense com números colectivos esmagadores (os da casa remataram 24 vezes, 15 delas enquadrados com a baliza) o destaque vai, apesar de tudo, para o jogador mais caro do mundo: dois golos, duas assistências em sete passes para finalização, um penálti ganho e 13 dribles ganhos em 18 tentativas (!), ele que somou um número de duelos individuais mais próprio de uma equipa completa: 32, dos quais saiu vencedor em 22. No Toulouse o melhor em campo acabou por ser o mesmo homem que encaixou seis golos. Porquê? É que Lafont ainda somou nove (!) defesas.

Candidatura a uma Bola de Ouro? Tudo indica que sim, se Neymar mantiver este registo galáctico.

GoalPoint-T-shirts-2017-banner