GoalPoint-PSV-Sporting-Europa-League-201920-Ratings
Clique para ampliar

O Sporting iniciou a sua participação na fase de grupos da Liga Europa com uma derrota amarga na Holanda, na visita ao PSV, por 3-2. Seis minutos fatais na primeira parte deixaram os “leões” em desvantagem por 2-0 – com um autogolo pelo meio – e um mau arranque de segunda metade acabou por ditar um desaire que, no entanto, teve pontos positivos por parte da formação lusa. A equipa de Alvalade equilibrou sempre as operações e foi perigosa no ataque, numa partida equilibrada e na qual os portugueses mereciam pelo menos o empate. Destaque para Pedro Mendes, avançado que entrou e marcou um minuto após fazer a sua estreia pelo “leão”.

O jogo explicado em números 📊

  • Início cauteloso de ambas as equipas, em estudo mútuo, com o PSV a ter um pouco mais bola (53% de posse) e o único remate (enquadrado) no primeiro quarto-de-hora. Bruno Fernandes, aos 17 minutos, realizou o primeiro disparo leonino, também com boa direcção, com as duas formações a não irem além de 70% de eficácia de passe.
  • Até que aos 19 minutos, os holandeses chegaram ao golo, num rápido contra-ataque. Donyell Malen – que no fim-de-semana marcara os cinco golos do PSV num jogo da Eredivisie – fugiu pela esquerda, flectiu para o meio e rematou colocado junto ao poste esquerdo da baliza de Renan, com a bola ainda a sofrer um pequeno desvio em Neto. Um golo ao segundo remate enquadrado dos holandeses, num total de três.

  • E aos 25 minutos surgiu o 2-0. O ex-sportinguista Bruma entrou a grande velocidade pela direita da área leonina, cruzou rasteiro e Sebastián Coates, na tentativa de afastar a bola, introduziu a bola na sua própria baliza.

  • Resultado pesado para o “leão” à passagem da meia-hora, uma vez que o domínio dos homens da casa não era de monta a justificar dois golos. O Sporting registava 45% de posse e dois remates, ambos enquadrados, apenas menos um que os holandeses, apresentando um caudal ofensivo semelhante. Aliás, somava quatro acções com bola na área contrária, contra apenas uma do PSV.
  • Assim, não espantou que, aos 38 minutos, o Sporting tenha beneficiado de uma grande penalidade, por falta de Jorrit Hendrix sobre Yannick Bolasie. Bruno Fernandes, na conversão do castigo máximo, reduziu para 2-1 e repôs alguma verdade no jogo.

  • Intervalo Desvantagem leonina ao intervalo fruto de seis minutos de algum desnorte da equipa portuguesa, que permitiu um golo e ainda fez um autogolo, por Coates. Tirando isso, assistiu-se a um jogo repartido, com os holandeses a terem um pouco mais de posse de bola, mas os “leões” a enquadrarem mais um remate que os homens da casa (ambos com quatro disparos no total). O PSV não foi superior, mas foi mais feliz na frente de ataque. O lateral-direito Denzel Dumfries era o melhor em campo ao intervalo, com um GoalPoint Rating de 6.0, ele que registava nesta fase quatro desarmes, enquanto o melhor “leão” era Bruno Fernandes, com 5.7, graças ao golo que marcou, registando dois remates enquadrados em três tentativas.

  • Porém, a reentrada leonina em campo não poderia ter sido pior. Logo aos 48 minutos, na sequência de um canto da esquerda, a bola passou por toda a gente e chegou a Timo Baumgart, que empurrou para o 3-1, no primeiro remate da segunda parte.

  • A reacção leonina foi existiu, mas foi tímida, com dois remates até aos 60 minutos, um com boa direcção, mas a equipa começou a deixar espaços na retaguarda e o PSV começou a aparecer com mais frequência na grande área, somando cinco remates, três enquadrados no primeiro quarto-de-hora do segundo tempo. E tal como no primeiro tempo, os holandeses privilegiaram os ataques pela esquerda (59%), a aproveitar as subidas de Valentin Rosier.
  • Aos 70 minutos já Bruno Fernandes liderava os ratings, com 6.6, sendo o mais rematador na partida, com cinco disparos, três enquadrados, e três dribles completos em outras tantas tentativas. Luciano Vietto, com 4.1, passava completamente ao lado do jogo.

  • Aos 75, Bruno Fernandes obrigou Jeroen Zoet a uma grande defesa, com Miguel Luís a fazer a recarga de pronto, mas a bola saiu rente ao poste da baliza holandesa. O Sporting começava a chegar com perigo à baliza do PSV e fez golo aos 82 minutos. Pedro Mendes assinalou a sua estreia pela formação leonina com um golo extraordinário, um minuto após entrar em campo.

  • Bem dentro dos últimos dez minutos, a formação leonina, registava nove remates na segunda parte, seis deles enquadrados, e 58% de posse de bola. A equipa portuguesa era superior nesta fase e perseguia o empate. Mas o PSV aguentou bem a vantagem e leva os três pontos. Ao Sporting resta a consolação de uma boa segunda parte.

O melhor em campo GoalPoint👑

O melhor em campo em jogos do Sporting começa a ser repetitivo, mas não há como contrariar os números. Bruno Fernandes foi o mais rematador da partida, com oito disparos, cinco enquadrados, marcou um dos golos leoninos, fez um passe para finalização e completou quatro de cinco tentativas de drible. O médio registou ainda oito recuperações de posse e terminou o jogo com um GoalPoint Rating de 7.9. Merecia mais em termos de resultado.

Jogadores em foco 🔺🔻

  • Renan Ribeiro 6.7 – As duas equipas enquadraram nove remates, pelo que os dois guarda-redes tiveram muito trabalho. O leonino acabou por ter o segundo melhor rating do desafio, com sete defesas, seis delas a remates na sua grande área.
  • Denzel Dumfries 6.5 – O melhor dos holandeses. O lateral-direito esteve muito certo na retaguarda, com um total de 11 acções defensivas, entre elas cinco desarmes, e ganhou quatro dos cinco duelos aéreos em que participou. Na frente é que não esteve tão bem, desperdiçando uma ocasião flagrante.
  • Pedro Mendes 5.9 – Que estreia do ponta-de-lança de 20 anos! O jovem formado no Sporting entrou aos 81 minutos e marcou aos 82, com um excelente remate à meia-volta, de fora da área. Foi o seu único remate no jogo, mas deixou “água na boca”.
  • Neto 5.7 – O central não conseguiu evitar o 1-0, por Malen, com o remate do holandês a desviar no português. Mas a verdade é que o ex-Zenit esteve bem, tendo completado 32 de 34 passes, registado oito acções defensivas e ganho todos os duelos aéreos em que participou (3).
  • Pablo Rosario 6.2 – O médio foi o segundo melhor do PSV, pelo excelente trabalho defensivo. O holandês somou oito recuperações de posse e 14 acções defensivas, com destaque para três bloqueios de passe.
  • Wendel 5.6 – O brasileiro não arriscou muito, tendo feito apenas um remate e um passe para finalização, mas esteve muito bem no passe (92% de eficácia) e recuperou oito vezes a posse de bola.