Quem são os quatro “craques” que Jesus prefere a Pedrinho?

-

(artigo originalmente publicado a 8 de Abril de 2020)

N o início de Março, o Benfica oficializou a contratação de Pedrinho. O internacional olímpico brasileiro foi resgatado ao Corinthians por 20 milhões de euros, rubricou um vínculo válido até 2025 e terá uma cláusula de rescisão de 120 milhões de euros, de acordo com um comunicado enviado pelas “águias” à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM). No entanto, na opinião de Jorge Jesus (JJ), treinador do Flamengo, o ainda jogador do “Timão” não é a “última coca-cola” no extenso rol de craques made in Brasileirão.

Clique para ampliar

Jesus pouco impressionado

“Se me perguntarem se há jogadores no Brasil na mesma posição do Pedrinho melhores que ele, eu digo que sim, e mais do que um, vários. Cebolinha, Dudu, Rony, Michael, já lhe disse quatro”, atirou o técnico, que no espaço de dez meses conquistou cinco títulos – a última edição do Brasileirão, Taça dos Libertadores, Supertaça do Brasil, Supertaça Sul-Americana e Taça Guanabara – ao comando do “Mengão”, em declarações à Fox Sports.

Entretanto, Pedrinho já ripostou e prometeu dar a resposta dentro das quatro linhas: “Se me senti atingido? Não, porque creio que ele não me conhece bem. Acabou de chegar ao futebol brasileiro e só me viu jogar numa posição em que me quis comparar com jogadores que têm características diferentes. Mas tenho a certeza que, com o tempo, ele vai poder mudar a sua opinião”, disse, em entrevista ao Record. Mas vamos aos factos, afinal os nomes citados por JJ tiveram ou não melhores desempenhos do que o médio-ofensivo?

Começando pelo futuro jogador do Benfica, na última edição do Brasileirão foi utilizado em 28 partidas – 26 como titular e duas como suplente -, distribuídas por 2144 minutos, apontou cinco golos, gizou quatro assistências e fixou um GoalPoint Ratings acumulado de 6.56. Utilizado quase sempre como extremo-direito, mas com liberdade para fazer diagonais para a zona central, onde se sente mais cómodo, Pedrinho registou uma média de três remates a cada 90 minutos, 2,3 passes para finalização e 2,8 cruzamentos. Com um baixo centro de gravidade – 1,72m e 65 quilos –, o jogador natural de Alagoas, no Estado de Maceió, tem no drible umas suas virtudes e não pensa duas vezes quando tem de utilizar essa arma, apresentando 4,3 tentativas e uma percentagem bastante assinalável de 64% no que concerne à eficácia. A cada 90 minutos sofreu 2,0 faltas. Potencial não falta ao novo reforço de 21 anos dos campeões nacionais. Mas vamos aos comparativos com os nomes realçados por Jorge Jesus?

Everton “Cebolinha” (Grêmio)

GoalPoint-Pedrinho_2019_vs_Everton_2019-infog
Clique para ampliar

Após ter brilhado na última edição da Copa América, o nome de Éverton, o “Cebolinha”, ganhou algum destaque na Imprensa. Apontado a alguns emblemas ingleses, com o Everton à cabeça, o extremo acabou por ficar no Grémio e adiou o salto europeu. Nada que tivesse abalado o criativo, que rubricou uma excelente temporada e foi um dos jogadores mais cintilantes do Brasileirão em 2019.

Clique para ampliar

Três anos mais velho do que Pedrinho, foi aposta de Renato Gaúcho em 30 partidas no campeonato “canarinho”, com uma média de 3,3 remates por 90 minutos, apontou 11 golos e ofereceu cinco assistências. O jogador fez, ainda, 1,1 passes para finalização por encontro, 0,9 cruzamentos, o que de explica em parte por actuar mais em zonas interiores – ao contrário daquilo que ocorre quando é chamado por Tite para os embates da selecção brasileira -, e somou 1,4 faltas sofridas. Não obstante arriscar mais vezes do que Pedrinho nas tentativas de drible (7,7 versus 4,3), Cebolinha tem uma eficácia menor – 47% contra 64%.

Rony (Palmeiras)

Clique para ampliar

Uma das transferências mais sonantes em 2020 do mercado, Rony, actualmente no Palmeiras, brilhou a grande altura no Athletico Paranaense e foi outro dos nomes citados por JJ. Em 2019, o veloz extremo foi utilizado em três jornadas do campeonato, 28 como titular e duas como suplente utilizado, jogou 2428 minutos, tendo apontado seis golos e feito oito assistências.

GoalPoint-Série-A-Brasileira-2018-Rony-infog
Clique para ampliar

Olhando com mais pormenor para o seu desempenho no “Furacão” paranaense, Rony teve um GoalPoint Ratings de 5.89 e apresentou, em média a cada 90 minutos, 3,5 tiros ao alvo adversário, 2,4 cruzamentos e 2,2 passes para finalização, estes últimos factores explicam os oito passes que resultaram em golo. Tal como os jogadores já citados, o atleta de 24 anos tem habilidade e não hesita sempre que tem de ultrapassar os defensores rivais – 2,4 faltas sofridas -, apresentando 4,0 tentativas de drible e uma eficácia de 52%. Números que justificaram a cobiça de vários clubes e que levaram o Palmeiras a vencer o “braço-de-ferro” com o rival paulista Corinthians, assegurando os préstimos do avançado de 24 anos.

Michael (Goiás)

GoalPoint-Pedrinho_2019_vs_Michael_2019-infog
Clique para ampliar

Com um passado turbulento, Michael ultrapassou os problemas com o consumo de drogas e brilhou intensamente na época transacta. Destaque do Goiás, que terminou a prova no 10º lugar, acabou por aguçar o apetite de vários “tubarões” e foi um dos reforços pedidos e assegurados pelo Flamengo de Jorge Jesus.

Clique para ampliar

Em 38 “rodadas”, foi titular em 35, e contabilizando 2991 minutos de utilização. Com um GoalPoint Ratings de 5.59, o dianteiro teve número bastante interessantes: dos seus 2,4 remates a cada 90 minutos, apontou nove golos, da média de 1,1 passes para finalização e 4,3 cruzamentos culminaram cinco assistências, e ainda sofreu 1,5 faltas. No capítulo do drible foram 7,2 tentativas, com uma percentagem de eficácia de 52%. No Goiás, o jogador tinha liberdade de movimentos, actuando muitas vezes nas costas do homem mais adiantado.

Dudu (Palmeiras)

Clique para ampliar

GoalPoint-Série-A-Brasileira-2018-Dudu-infog
Clique para ampliar

A terminar a lista surge Dudu. Principal referência do Palmeiras, o “fantasista” é um verdadeiro “quebra-cabeças” para os defensores contrários – 4,0 faltas sofridas a cada 90 minutos. Ora como extremo-direito ou médio-ofensivo, o camisola “7” do emblema paulista falhou apenas duas jornadas do Brasileirão em 2019, sendo titular em 34 e suplente utilizado nos restantes dois encontros – 3044 minutos em campo. Com uma média de 2,8 remates por 90 minutos, marcou nove golos, e entre os 2,6 passes para finalização e 3,6 cruzamentos, em média, assinou nove assistências para golo. Eficaz no drible, com 57% e 4,4 tentativas, o internacional brasileiro sofreu, ainda, 4,0 faltas e finalizou a competição com 6.59 nos GoalPoint Ratings.

Quem é melhor? JJ já deu a sua opinião. Fica para si a conclusão a partir dos números ou da sua própria observação dos jogadores em acção.

Leonel Gomes
Leonel Gomes
Amante das letras, já escreveu nos jornais A Bola, Público e o O Jogo, dedicando-se também ao Social Media Management desde 2014. Tornou-se GoalPointer na "janela de mercado" do verão de 2019.
GoalPoint

GRÁTIS
BAIXAR