Ranking: quem foram os melhores “dragões” na primeira volta?

Sabe quem melhor remata nos "dragões"? E quem efectua mais passes para ocasião de golo? Ordenámos os líderes objectivos dos portistas em campo, com base nas estatísticas da primeira volta da Liga Portugal.

GP - destaque - Rankings1V201415FCP - 19Jan2015

Com este artigo iniciamos a publicação dos rankings intercalares que dão conta dos líderes de desempenho, por sector, para cada um dos “grandes”, finda a primeira volta da Liga. Abrimos o tema com o FC Porto, seguindo-se a publicação dos rankings do Sporting CP e SL Benfica nos dias seguintes, num trabalho de análise que apenas poderá encontrar em GoalPoint.pt.

O remate: Jackson obviamente, mas com uma sombra… espanhola

Numa análise dos melhores portistas no capítulo do remate e concretização,  o nome de Jackson Martínez é tão incontornável como previsível. Com 14 golos marcados em 17 partidas, Jackson é não só o “dragão” mais concretizador como também o líder destacado da tabela de marcadores da Liga, marcando um golo a cada 4,6 remates disferidos. Mas podemos resumir ao colombiano o destaque portista na hora de salientar quem mais se destacou na hora de alvejar a baliza contrária entre os “azuis-e-brancos”? A resposta não só é negativa como poderá ser, para alguns, surpreendente.

Na hora de perceber quem remata com maior eficácia (percentagem de remates enquadrados) e quem retira maior aproveitamento (percentagem de remates convertidos em golo) é o nome do jovem espanhol Óliver Torres que sobressai. Óliver lidera a tabela dos mais eficazes com 69% de pontaria (Jackson atinge os 45%) e também se apresenta como o mais certeiro (46% dos remates resultaram em golos, contra apenas 22% do colombiano). O espanhol rematou pouco (0,9 por partida) durante a primeira volta mas, quando o fez, liderou no perigo e pontaria dos seus disparos, um predicado que porventura passou mais despercebido do que a forma como comanda a circulação de bola portista a partir do meio-campo.

Na próxima página: os rankings de passe e criação de oportunidades dos “dragões”