Tudo indica que o Sporting de Braga sabia o que estava a comprar, quando decidiu desembolsar cerca de 1,75 M€ pelo central brasileiro Raúl Silva, no último verão. O central marcou o golo decisivo na recepção ao Sporting fazendo uso da sua arma ofensiva favorita, a cabeça. Mas esse foi apenas o nono golo de Silva na presente temporada (o sexto na Liga), de um total de 16 tentos nas últimas duas épocas, um registo que causará inveja a muitos médios-ofensivos e avançados que actuam em Portugal.

Raúl Silva apresenta um currículo típico em jogadores brasileiros, marcado pela passagem por inúmeros emblemas de média/baixa dimensão no seu país, antes de chegar ao Marítimo em 2015/16, época em que ainda cumpriu alguns jogos pelos insulares (obtendo o seu primeiro golo em solo português), mas durante a qual acabou por ser emprestado novamente a um emblema “canarinho” (Ceará). A época passada foi de afirmação pelos “leões” da Madeira: ganhou a titularidade e correspondeu com sete golos, todos eles obtidos na Liga NOS.

GoalPoint-Raúl_Silva_2017_vs_Raúl_Silva_2016-infog
Clique para ampliar

No último verão chegou o “bilhete” rumo a Braga e o brasileiro não tremeu. Mesmo não garantindo a titularidade logo a partir das primeiras jornadas (e registando uma lesão impeditiva em Novembro/Dezembro), Silva foi deixando a sua marca, não só na Liga (já leva seis golos e três assistências), como também noutras frentes (três golos “europeus”, dois deles no apuramento para a Liga Europa).

Passo a passo, Raúl Silva ultrapassou não só o registo de golos da época passada como se apresenta, neste momento, como o defesa mais goleador das principais Ligas europeias. Até ver, o cognome mais acertado para este central é… Raúlgol.