Real Madrid 🆚 Barcelona, os factos de um duelo imperdível

-

Este fim-de-semana, as conversas por este país fora têm como tema central o dérbi de sábado, entre Sporting e Benfica. No entanto, há um outro encontro bem perto de nós que faz vibrar o mundo inteiro. Trata-se de “El Clásico”, o escaldante encontro que opõe o Real Madrid ao Barcelona.

Nesta altura, apenas três pontos separam as duas equipas, pelo que a partida poderá ser decisiva para as contas do título, ainda que o Real Madrid tenha menos um jogo. Fomos então à procura de indicadores que nos ajudem a perspectivar o encontro e de pequenas particularidades que podem ajudar a antever o jogo grande do campeonato espanhol.

Um encontro repleto de História

elclasico2-700Real Madrid e Barcelona já se encontraram 233 vezes em todas as competições. Como seria de esperar, não há muito que separe as duas equipas: os “merengues” já venceram o Clásico em 93 ocasiões; o Barcelona, em 91. Registaram-se ainda 49 empates.

Nas partidas para o campeonato disputadas em Madrid, o domínio dos homens da capital é claro. Foram 52 vitórias para o Real e 19 para o Barcelona. Registaram-se ainda 15 empates. Quanto ao saldo de golos, esse também sorri (e de que maneira) aos madrilenos: são 179 golos marcados contra 103 sofridos.

Este domingo, o Real Madrid tenta contrariar a história… recente. É que, dos últimos cinco embates entre “merengues” e “blaugranas” para a liga espanhola no Santiago Bernabéu, três deles acabaram com a vitória dos catalães. O último deles, a 21 de novembro de 2015, resultou numa vitória esmagadora (4-0) para os homens de Luís Enrique.

À entrada para este encontro, o Real Madrid não sabe o que é perder em casa há 21 jogos nem o que é não marcar golos há 43. O Barcelona, por sua vez, perdeu o seu mais recente encontro na condição de visitante (0-2 na visita ao terreno do Málaga), naquele que foi o segundo desaire nas últimas três deslocações, depois de também ter sido derrotado na Corunha.

Dois ataques de “luxo”

elclasico5-700Real Madrid e Barcelona apresentam (sem surpresa) os melhores ataques do campeonato espanhol, com 82 e 91 golos apontados, respectivamente. No que toca às defesas, a história é um pouco diferente: os “merengues” já encaixaram 33 golos e os catalães, 30, sendo que as duas equipas ficam atrás de Atlético Madrid (24 golos sofridos) e Villareal (26) nesta matéria.

Na hora de rematar, o Barcelona leva uma ligeira vantagem sobre os rivais de Madrid. Dos 428 remates feitos pelos homens de Luís Enrique, 219 foram à baliza (51% de acerto); destes, 91 destes resultaram em golo (21% de eficácia). Os “merengues”, por sua vez, somam 419 remates, 204 dos quais à baliza (49% de acerto) , sendo que, destes últimos, 82 acabaram no fundo das redes (20% de eficácia).

Stegen “bate” Navas

elclasico7-700Mas se as duas equipas estão “taco a taco” no que diz respeito aos ataques, o mesmo não se pode dizer dos homens que ocupam a baliza. É certo que Ter Stegen tem mais um golo sofrido do que Keylor Navas no campeonato, mas o alemão leva mais 38 defesas do que o costa-riquenho, o que se traduz numa percentagem de remates defendidos bastante superior (79% contra apenas 70%). Mais: em 1980 minutos disputados para o campeonato, Keylor Navas contabiliza três erros resultantes em golo, mais um do que Ter Stegen, que já leva 2700 minutos nas pernas.

Comparando os números de Navas desta temporada com os da anterior, é fácil ver que o costa-riquenho baixou o seu rendimento de forma drástica. Na temporada 15/16, Navas apresentou uma média de remates defendidos de 83% em todas as competições. Esta época, a percentagem baixou para os 69%. Numa altura em que se fala de uma possível contratação de De Gea por parte do Real Madrid, o desempenho de Navas será certamente visto “à lupa”.

O pior Ronaldo da história “merengue”?

elclasico1-700Uma partida entre Real Madrid e Barcelona tem sempre o ingrediente extra de proporcionar um duelo individual entre os dois melhores jogadores do mundo, Cristiano Ronaldo e Lionel Messi. O passado joga a favor de Messi, não fosse ele o máximo goleador da história dos “Clásicos”, com 21 golos apontados. Ronaldo, por sua vez, surge em terceiro lugar, com 16 golos, atrás de Messi e de Alfredo Di Stéfano (18).

Messi parece ter uma predilecção por marcar ao rival de Madrid. É que só há quatro equipas que mais sofreram às mãos (neste caso, aos pés e à cabeça) do astro argentino. São elas Sevilla (29 golos sofridos), Atlético de Madrid (27), Valência (24) e Athletic Bilbao (22).

De salientar um dado curioso: apenas seis dos dez golos apontados por Ronaldo ao Barcelona aconteceram no Santiago Bernabéu. Ainda assim, os adeptos “merengues” têm razões para sonhar com mais uma grande exibição do craque português, que marcou em quatro dos seus últimos seis duelos frente aos catalães, todos eles para o campeonato.

Olhando para os números desta época apenas, Messi leva clara vantagem sobre Ronaldo, tanto em número de golos (45-28) como de assistências (14-11). Ronaldo remata mais do que Messi (211 disparos contra 153), mas muitas vezes de forma desenquadrada. Assim se percebe como o argentino é melhor em termos de percentagem de  remates à baliza (55% contra 46%) e de disparos resultantes em golo (29% contra 17%).

São os sinais do tempo, dirão os adeptos “merengues” e até os próprios críticos do português. Uma coisa é certa: Ronaldo nunca marcou tão poucos golos ao serviço do Real Madrid como esta época (0.76 por cada jogo).

Outras curiosidades do “El Clásico”

  • elclasico4-700O número máximo de golos marcados num “Clásico” é 12. Aconteceu duas vezes: a 13 de Abril de 1916 (empate a seis golos) e a 13 de Junho de 1943 (vitória por 11-1 para o Real Madrid). Ambos os encontros diziam respeito às meias-finais da Taça do Rei.
  • O último nulo para o campeonato entre as duas equipas no Santiago Bernabéu aconteceu a 12 de Abril de 1987.
  • O resultado mais frequente entre as duas equipas é o 2-1. Aconteceu em 43 ocasiões, 23 a favor do Real Madrid e 20 a favor do Barcelona.
  • O Barcelona marcou nas últimas 22 vezes que defrontou o Real Madrid em todas as competições. Esta é a melhor série de sempre de uma equipa na história do “Clásico”.
  • Se o Barcelona vencer este desafio, Luis Enrique torna-se o segundo treinador da história do clube a vencer dois “Clásicos” seguidos na condição de visitante. O outro foi Pep Guardiola (6-2 em 2009 e 2-0 em 2010).
  • Andrés Iniesta é o jogador ainda em actividade com mais “Clásicos” disputados em todas as competições (34).
  • Sergio Ramos, o homem das decisões, já marcou quatro golos de cabeça ao Barcelona no campeonato, mais do que a qualquer outra equipa nesta prova.
  • O Real Madrid marcou sempre nos últimos 43 encontros para o campeonato. Só uma equipa em toda a história supera esta marca: o Barcelona, que chegou aos 64 jogos seguidos a marcar em 2013.
Luís Mira
Luís Mira
Jornalista com mais de uma década de experiência profissional. Colaborou com vários órgãos de comunicação, nacionais e estrangeiros, entre os quais Público, A Bola, Goal.com, Sky Sports e BBC.
GoalPoint

GRÁTIS
BAIXAR