Reforços: As tendências de mercado dos “três grandes”

Num defeso muito activo os "três grandes" já contrataram, no momento em que escrevemos, 30 jogadores. Analisamos nacionalidades e posições no terreno procurando as principais tendências.

 

Anderson Talisca, um dos seis brasileiros contratados pelo Benfica para a próxima época (foto: J. Trindade)
Anderson Talisca, um dos seis brasileiros contratados pelo Benfica para a próxima época (foto: J. Trindade)

Os “três grandes” contrataram, até ao dia de hoje*, 30 jogadores, sendo que 22 dos quais são estrangeiros e apenas oito têm nacionalidade portuguesa. Entre os últimos constam Sami e Bruno Martins Indi, ambos com dupla nacionalidade. Apesar da incursão “azul-e-branca” ser a mais mediática até ao momento, fruto do estatuto dos jogadores adquiridos, foi o SL Benfica o clube que mais se reforçou até agora: 12 jogadores, dos quais nove são estrangeiros. O FC Porto segue próximo, com 11 aquisições, oito das quais jogadores estrangeiros. O Sporting CP contratou até ao momento sete reforços e apenas dois são portugueses. Dos oito portugueses contratados pelos três candidatos ao título apenas dois seguiram rumo a Alvalade, com os “encarnados” e os “azul-e-brancos” a contratarem três cada um.

Para lá da origem das aquisições sobressai até agora a preponderância dos defesas nas opções dos “três grandes”.  Foram ao todo 11 os defesas contratados por Benfica, Porto e Sporting, para dez médios e sete extremos ou avançados. Apenas o Sporting CP ainda não contratou qualquer guarda-redes, sinal porventura de que Rui Patrício e Marcelo Boeck continuarão de “verde-e-branco”, enquanto os rivais da segunda circular se aprestam a formalizar o vice-campeão mundial Sérgio Romero, com os dragões a incluírem o ex-guarda-redes da Académica, Ricardo, no plantel desde o arranque dos trabalhos.

Ainda é cedo para o fecho de contas, tanto no plano desportivo como financeiro, ainda para mais quando o futebol português é tradicionalmente alvo de incursões de última hora nos últimos dias do mês de Agosto e ainda existem algumas possíveis saídas por clarificar (Mangala, Enzo Pérez, Gaitán, Slimani, Rojo, William Carvalho são nomes cuja permanência estará provavelmente em dúvida até à hora de fecho do mercado, caso não sejam transferidos nos próximos dias), mas por agora já é possível perceber que os “grandes” investiram de forma determinada (num total aproximado de 60 milhões de euros, ao qual voltaremos com detalhes nos próximos dias) e já totalizam, entre si, um contingente capaz, em número e soluções, para formar um quarto candidato ao título nacional.

* Consideramos já na análise o guarda-redes Romero como aquisição do SL Benfica, sendo as últimas novidades consideradas nos três grandes os nomes de Eliseu, Naby Sarr e José Ángel.