Reforços: Eliseu, um velho sonho de Jesus

Desta foi de vez, Eliseu é jogador do Benfica e já se apresentou aos sócios. Revemos em detalhe o desempenho do defesa/médio português na última época em Espanha.

Para lá das suas características Eliseu oferece uma longa experiência no futebol europeu (foto: Malaga CF)
Para lá das suas características Eliseu oferece uma longa experiência no futebol europeu (foto: Malaga CF)

Finalmente Eliseu é jogador do Benfica. Após quase ter ingressado nos “encarnados” no Verão de 2013 o polivalente português cumpre finalmente o desejo de Jesus. O treinador do Benfica já o conhece desde a longínqua época de 2007, em que ambos se cruzaram no Belenenses. Sete anos passados Eliseu é hoje um jogador certamente diferente, após uma prolongada passagem pelo futebol estrangeiro que incluiu duas passagens pelo Málaga (onde teve maior impacto e sucesso), e uma pelo Saragoça e Lázio.

Que jogador recebe então o Benfica? Eliseu é certamente uma opção que há muito Jorge Jesus desejava de modo a resolver a constante rotação de opções na ala esquerda da sua defesa. Capaz de jogar também a médio, Eliseu tem muitas das características que Jesus privilegia num lateral. No entanto a última época não servirá de melhor exemplo ao que dele esperará o treinador do Benfica, pois Eliseu jogou maioritariamente a médio-esquerdo. Mas quem sabe nunca esquece, sobretudo tendo em conta que o jogador entrou já na casa dos trinta.

Forte no apoio ao ataque, por vezes macio a defender

Se atentarmos ao desempenho de Eliseu identificamos de imediato que o português não esteve tão presente como noutras épocas, tendo sido utilizado em 28 jogos, dez dos quais como suplente (na época anterior havia sido titular em 25 partidas, surgindo em mais três a partir do banco). Ainda assim Eliseu acumulou duas assistências e dois golos, números positivos ainda que longe do seu melhor registo que data de 2010/11 (quatro golos e sete assistências).

Clique na infografia para ler em detalhe (foto: Malaga CF infografia: GoalPoint)
Clique na infografia para ler em detalhe (foto: Malaga CF infografia: GoalPoint)

Eliseu registou uma eficácia de passe de 77% (um registo que, com excepção da penúltima época, surge repetidamente no seu curriculum em Espanha), com uma média de 18 passes por jogo. Como prova da sua capacidade para apoiar o ataque surgem os 20 passes para ocasião de golo que realizou, ao qual soma o impressionante número de 70 cruzamentos para a área, 33% dos quais recebidos por colegas. Eliseu é também conhecido pelo seu remate potente embora os números não sejam, neste capítulo, assinaláveis: disparou 37 vezes mas apenas dez desses tiros encontraram a baliza.

É no processo defensivo que sobressai uma maior “maciez” de Eliseu, que poderá advir também de uma menor disponibilidade física face a outros tempos. O português interceptou apenas 12 passes na última época e apenas pouco mais de metade das suas entradas (57%) tiveram sucesso. O jogo aéreo não é também naturalmente o seu forte, dada a sua estatura, conquistando apenas cerca de 40% das bolas que disputou. Devemos contudo recordar que, como referido, Eliseu jogou sobretudo a médio no decurso da última temporada pelo que a sua eventual maior permeabilidade deve ser lida à luz desse contexto.

A juntar a uma menor eficácia a defender Eliseu apresenta um registo disciplinar que recomenda cautela. Apesar de não ter recebido nenhuma ordem de expulsão na última época o português acumulou nove cartões amarelos, sendo que também na sua melhor temporada (2010/11) registou também o seu recorde negativo neste capítulo: 12 cartões amarelos e dois vermelhos.

Experiência poderá resolver puzzle

Pese alguns alertas que os números e observação recomendam não haverá grandes dúvidas de que, consiga Eliseu apresentar-se numa boa forma física, e rapidamente conquistará a ala esquerda da defesa “encarnada” pois oferece qualidades, experiência e inclusive um conhecimento do pensamento do treinador.