Reforços: Luís Felipe, o lateral que o Benfica precisa?

Sem competir desde Novembro de 2013, Luís Felipe chega ao Benfica como um desconhecido e, aparentemente, como uma aposta de futuro a ser trabalhada.

Desde o início do ano que se falava insistentemente na possibilidade de o jovem brasileiro Luís Felipe reforçar o lado direito da defesa do Benfica. O recente arrastar do processo de renovação de Maxi Pereira trouxe essa questão novamente ao de cima e, coincidência ou não, eis que a formação da Luz garante o defesa de 23 anos, proveniente do Palmeiras, através de um grupo de empresários que adquiriu o seu passe, segundo é noticiado.

Luís Felipe estava desde Outubro de 2013 numa difícil negociação para renovar com o Palmeiras, após um erro na assinatura do anterior vínculo ter limitado a validade do mesmo até Dezembro de 2013. O jogador não quis voltar a assinar pelo Palmeiras, apesar de a justiça ter dado razão ao clube, e o lateral não joga desde Novembro de 2013. Contudo esse facto não esfriou o interesse “encarnado”. Agora, o atleta estará às ordens de Jorge Jesus, sendo que é praticamente um desconhecido, com passagens e empréstimos a clubes de divisões baixas.

Quem é então Luís Felipe? É um jovem, de 23 anos, veloz e com propensão para o remate. Será um jogador talhado para o estilo de futebol do Benfica? Olhando para os números da sua última temporada, possui um estilo que agrada a Jesus, nomeadamente a sua tendência ofensiva. Sem possibilidade de uma comparação coerente com outro atleta na mesma posição (seja pelas características ou prova em que compete), Luís Felipe aparenta ser um lateral que precisará de algum trabalho para evoluir em termos defensivos. Tendo em conta a sua idade, a concorrência de Maxi, de André Almeida e mesmo de João Cancelo, a ideia do Benfica poderá ser mesmo essa, ter um jogador para trabalhar para o futuro.

Clique na imagem para ler em detalhe (foto: Palmeiras/Divulgação infografia: GoalPoint)
Clique na imagem para ler em detalhe (foto: Palmeiras/Divulgação infografia: GoalPoint)

Virado para o ataque

Sem jogos em 2014, olhemos para a carreira do jogador em 2013, em concreto para os 23 jogos que efectuou pelo Palmeiras na Série B (a segunda divisão brasileira), na caminhada para a conquista do troféu e subida de divisão. Nesses 23 encontros mostrou veia ofensiva, na forma de 55 remates, 21 deles enquadrados, o que o colocou no quinto lugar dos rematadores com mais pontaria da sua equipa, e no 37º no conjunto da Série B (tudo isto apenas com 23 jogos num campeonato com 38). Desses disparos surgiu apenas um tento. Fez três assistências para golo, sendo o sexto melhor do Palmeiras neste capítulo e o 51º no campeonato, e efectuou, em média, 3,30 cruzamentos por jogo (76 no total), com aproveitamento de 19,70% – o terceiro mais elevado do Palmeiras. Destacou-se também nos dribles, o que atesta o pendor atacante.

A defender os números são bons, mas menos vistosos. Efectuou 68 desarmes (com excelente aproveitamento de 80,9%); fez 63 cortes e bloqueou apenas dois remates adversários, ficando nestas duas vertentes apenas em sexto e 12º na sua equipa e 135º e 243º, respectivamente, no global da prova. Algo deveras modesto em comparação com os índices ofensivos.

Partilhamos um vídeo que mostra alguns pormenores, ofensivos e defensivos, do jovem lateral brasileiro.

 

Radiografia*

Um atleta que joga maioritariamente como defesa-direito (pode também actuar no lado esquerdo da defesa caso necessário), utiliza preferencialmente o seu pé direito apesar de também jogar de forma razoável com o seu pé esquerdo. É um lateral sobretudo de vocação ofensiva que, apesar de tudo, devido ao facto de ser um jogador com boa estrutura morfológica, consegue no momento defensivo ter uma boa coordenação com os centrais e fechar bem o corredor lateral.

É ainda um lateral que combina bem com o médio-centro e com o extremo da equipa, efectuando bons movimentos de over-lapping e inner-lapping, e que quando não consegue ganhar a linha flecte para dentro e tenta rematar ou cruzar de uma zona mais recuada.

*A “Radiografia” é da autoria de Miguel Pontes.

Considera Luís Felipe uma boa aposta para a defesa do Benfica? Diga-se a sua opinião. Obrigado.