Reforços: Sacko, ou uma incógnita gaulesa

O Sporting apresentou um jovem reforço francês de 20 anos que deverá dar ao ataque leonino velocidade e profundidade, mas o clube não deve esperar dele golos e lances decisivos.

Sacko foi o último reforço leonino deste defeso (foto: Y. Kourt / Shutterstock)
Sacko foi o último reforço leonino deste defeso (foto: Y. Kourt / Shutterstock)

Hadi Sacko é um jovem francês de apenas 20 anos, provavelmente desconhecido da maioria dos adeptos de futebol. Traz consigo a aura de uma das promessas do futebol francês. Mas no momento em que se esperava que desse o salto qualitativo, o mesmo não se verificou. Pelo menos ainda…

Esta é uma constatação apenas, que vale o que vale, pois trata-se de um atleta ainda muito jovem, que tem tempo de sobra para retomar o seu processo evolutivo. A análise remete para o facto de Sacko ter chegado à idade de (quase) todas as definições para as grandes promessas, o momento que define os que prosseguem a trajectória ascendente e os que entram em precoce declínio. O avançado tem agora a possibilidade de agarrar o seu futuro e não o deixar fugir.

Mas quem é afinal Hadi Sacko? Trata-se de um produto das escolas do Bordéus, um atleta veloz que sabe surgir nas costas das defesas contrárias. Chega ao Sporting com a indicação de tratar-se de um avançado a jogar pelo centro. Não foge à verdade, mas na sua carreira tem ocupado três posições na frente de ataque, ao centro, na esquerda e na direita. Aliás, jogou 29% das partidas pelo meio, contra cerca de 35% pela esquerda e outro tanto pela direita. Dará, assim, várias alternativas a Marco Silva.

Clique na infografia para ler em detalhe (foto: Y. Kourt/Shutterstock infografia: GoalPoint)
Clique na infografia para ler em detalhe (foto: Y. Kourt/Shutterstock infografia: GoalPoint)

Números modestos

Nas duas últimas temporadas teve uma carreira modesta, e aqui é que surgem as dúvidas. Efectuou quatro partidas na Ligue 1 pelo Bordéus em 2012/13, apenas 47 minutos, e defrontou Benfica e Marítimo na Liga Europa. Iniciou a temporada seguinte nos “girondinos”, mas em Janeiro foi emprestado ao Le Havre, da Ligue 2. Aqui efectuou 18 jogos (13 a titular) na segunda divisão gaulesa, tendo marcado quatro golos e efectuado três assistências (marcou três de pé direito e um de pé esquerdo, três deles na grande área e um na pequena área). No total fez 39 jogos a nível de clubes, apontou quatro golos e fez três assistências. Apresentou uma média por jogo de dois remates, seis dribles (com 50% de sucesso) e 27 passes (71% certos).

Números que fazem desconfiar, mas que surgem como naturais num jogador colocado inúmeras vezes nas alas, lançado em velocidade. Nas selecções jovens de França fez um total de 30 partidas e marcou sete golos, pelo que os sportinguistas não deverão esperar que Sacko seja um goleador que vem resolver eventuais problemas de finalização.

Radiografia *

Sacko foi o nome que mais sobressaiu no último Torneio de Toulon na selecção francesa de Sub-20. Actuou como avançado-centro, mas pelas suas características rende bastante mais como segundo-avançado ou mesmo como falso extremo.

É um jovem com uma enorme capacidade de evolução e se melhorar o seu jogo de equipa e o seu posicionamento defensivo pode se tornar num jogador bastante interessante. Tem um drible muito bom e um toque de bola acima da média que, com a sua criatividade, consegue trazer bastantes problemas aos adversários.

É um bom jogador para quando actua nas costas de um ponta-de-lança mais fixo, com a tarefa de descair nos corredores laterais e criar movimentos de rotura sobretudo de bola controlada. Tem também um remate de meia distância muito potente e de fácil recurso. No Sporting CP terá a mudança de ritmo e competitiva necessária para dar um impulso muito bom ao seu crescimento.

A radiografia é uma rubrica da autoria de Miguel Pontes.