Reforços: Slavchev, um “box-to-box” contra a claustrofobia

Um médio possante habituado a fazer golos na Bulgária, Slavchev tem características para se tornar num jogador importante para Marco Silva.

Pode desempenhar as três funções do meio-campo mas é na posição 8 que renderá mais, seguramente, preferencialmente numa intermediária desenhada em 1×2. Simeon Slavchev foi a primeira contratação do Sporting para esta época e percebe-se  porque lhe chamam o “Lampard búlgaro”; é alto, remata bem, fez muitos golos a época passada – 14 – e sabe impor-se no “miolo” fruto da sua estatura (1,86 metros).

É um jogador de futebol simples, de passe e toque. Sabe pressionar e desmarcar-se no espaço vazio. E é aqui que pode residir o problema. Na Bulgária, num futebol infinitamente menos evoluído e menos organizado, não encontrava sete, oito jogadores pela frente como lhe vai acontecer em Portugal. Pode sempre tentar desmoronar a muralha defensiva, através da sua qualidade de passe, que na época passada rondou os 83%. Mas isso pode não chegar. E aqui chegados a questão que se coloca é esta: sofrerá Slavchev de “claustrofobia” sentido dificuldade para impor o seu futebol, ou constituirá um útil motor da manobra ofensiva leonina? Apenas o tempo o dirá, embora a favor do jogador surja, juntamente com as suas características e produção anterior, a elogiada estrutura mental que lhe é atribuída.

Clique na imagem para ler em detalhe (foto: Litexfan/WC infografia: Goalpoint)

Pelas suas características sabe-se que será importante no roubo de bola e nos duelos aéreos, 55% dos que disputou ganhou. Mas será preciso também identificar qual o formato do meio-campo de Marco Silva. Se for idêntico ao de Leonardo Jardim, Slavchev terá de disputar um lugar com André Martins, se for similar ao que o agora treinador leonino utilizou no Estoril, precisa de medir forças com Adrien.

[youtube http://www.youtube.com/watch?v=5Hx1MyvZCMY?rel=0]

Muito do seu êxito passará pela maneira como lidar com a adaptação a outro futebol, mais exigente, numa equipa que tem de ganhar mais vezes que o inexpressivo Lovech. Ainda assim, à primeira vista, parece, para já, um futebolista mais talhado para jogos em que o Sporting terá de dividir mais a posse de bola.