GoalPoint-Rio-Ave-Sporting-LIGA-NOS-201819-Ratings
Clique para ampliar
GoalPoint-Rio-Ave-Sporting-LIGA-NOS-201819-MVP
Clique para ampliar
GoalPoint-Rio-Ave-Sporting-LIGA-NOS-201819-90m
Clique para ampliar

O Sporting não se quis deixar atrasar na luta pelo título e foi a Vila do Conde vencer por 3-1, regressando assim ao segundo lugar da tabela. O “leão” marcou cedo, permitiu o empate, mas nunca se deixou afectar pelas reacções, ou tentativas, por parte do adversário, apresentando um futebol fluido, consistente, muito rápido nas transições e objectivo na concretização. A formação lisboeta rematou muito, com 12 disparos na grande área contrária, e aproveitou bem os lances que construiu, ao contrário dos vilacondenses que até terminaram com um registo interessante (e por isso perdulário) de expected goals.

Resumo💻

O Jogo explicado em Números 📊

  • O Sporting não perdeu tempo para fazer funcionar o marcador. Logo aos oito minutos, Bruno Fernandes abriu o activo através de um remate de pé esquerdo à entrada da grande área, após combinação com Nani. Um tento que surgiu ao segundo remate do jogo, primeiro enquadrado (ambos pertencentes ao “leão”).
  • Contudo, a resposta foi rápida. Aos 12 minutos, João Schmidt bateu um livre directo na perfeição, com o pé esquerdo, sem hipóteses para Renan Ribeiro. Grande eficácia ofensiva das equipas neste arranque de jogo.

  • O primeiro quarto-de-hora trouxe dois golos e um quadro de alguma indefinição quanto ao “dono” do jogo. O Sporting começou com mais bola, o Rio Ave reagiu e chegou a esta fase com 54% de posse e 90% de eficácia de passe, contra somente 78% da formação leonina.
  • Excelente partida no Estádio dos Arcos, com o 2-1 do Sporting a chegar aos 23 minutos. Marcos Acuña arrancou um cruzamento da esquerda e Bas Dost, ao seu estilo, cabeceou como mandam as leis, de cima para baixo, para um belo golo. O “leão” ampliava ao oitavo remate, quarto enquadrado.

  • O filme do jogo à meia-hora apontava para um Rio Ave a dominar territorialmente, mas a mostrar pouca objectividade nos seus movimentos, algo aproveitado pelo Sporting para subir no terreno com muito perigo e rematar bastante, com reflexo no marcador. Realce, igualmente, para as 11 faltas cometidas pelos lisboetas, contra somente quatro dos vilacondenses.
  • Muita facilidade do Sporting em chegar à área contrária. Perto do intervalo, os “leões” somavam 16 remates, dez deles realizados precisamente dentro da grande área do Rio Ave. As rápidas movimentações e trocas de bola dos jogadores do Sporting criavam muitos problemas à formação da casa.

  • Intervalo Excelente primeira parte em Vila do Conde, com golos, futebol de ataque e duas equipas à procura da vitória. O Sporting chegou ao descanso em vantagem, graças à facilidade com que, em transições rápidas, chegava à grande área contrária, registando dez remates desta zona do terreno num total de 16. O Rio Ave até teve bastante bola, mas era facilmente travado nas transições pelo posicionamento defensivo impecável dos “leões”. O melhor em campo nesta altura era Bruno Fernandes, com um GoalPoint Rating de 7.0, ele que fez um golo em três remates (dois enquadrados) e ainda dois passes para finalização.

  • O intervalo fez mal às duas equipas, que perderam claramente intensidade. No primeiro quarto-de-hora do segundo tempo apenas se registou um remate, e desenquadrado, por parte do Rio Ave, que também dominava a posse de bola, com 59%.
  • Aos 65 minutos, João Schmidt, a dois tempos, esteve perto de bisar, mas desta feita Renan evitou o golo do Rio Ave, com duas intervenções. Os homens da casa eram os mais perigosos nesta fase e ganhavam 58% dos duelos individuais.

  • Aos 72 minutos surgiu o grande momento do jogo. O recém-entrado Jovane Cabral recebeu a bola fora da área, descaído para o lado direito do ataque, olhou para a baliza e rematou em arco, de pé esquerdo, para um golo espectacular, sem hipóteses de defesa para Léo Jardim. O “leão” precisou de apenas três disparos na segunda parte, um único enquadrado, para ampliar a vantagem.
  • A reacção dos homens da casa deu-se aos 80 minutos, com Fábio Coentrão a cabecear para nova grande intervenção de Renan. Mas o Sporting tinha o jogo completamente controlado e não deixou que os anfitriões reduzissem.

O Homem do Jogo 👑

Mais um bom jogo de Bruno Fernandes, que dá mostras de voltar à sua melhor forma, com um futebol solto, dinâmico e objectivo, e sempre de olhos postos na baliza contrária. O médio fez um golo em três remates (dois enquadrados), realizou uma assistência em três passes para finalização, completou 82% dos passes que realizou e terminou a partida com um GoalPoint Rating de 7.0.

Jogadores em foco 🔺🔻 

  • Jovane Cabral 6.6 – Que grande golo marcou o extremo. Entrado ao minuto 69 para o lugar de Diaby, Jovane foi o protagonista do momento alto do jogo, com um tento através de um remate em arco e muito colocado.
  • Bas Dost 6.6 – O ponta-de-lança está sempre no sítio certo e voltou a marcar. Bas Dost esteve imparável no futebol aéreo, ganhando sete de 11 duelos ofensivos pelo ar, e somou quatro remates de cabeça em 22 minutos, igualando o máximo neste registo que pertencia a Sebastián Coates…
  • Sebastián Coates 6.5 – … e o uruguaio também esteve em bom plano, com um registo de quatro intercepções e superioridade nos três duelos aéreos defensivos em que participou. E ainda subiu no terreno para criar uma ocasião flagrante de golo.
  • Wenderson Galeno 6.3 – O extremo brasileiro voltou a brilhar e foi o melhor jogador do Rio Ave. O jogador emprestado pelo FC Porto fez dois remates, criou uma ocasião flagrante de golo e teve sucesso em seis das sete tentativas de drible.
  • Nani 6.1 – Ainda que sem o fulgor de outros tempos, o internacional português vai deixando a sua marca nos jogos do Sporting. Desta feita fez uma assistência para golo em três passes para finalização e completou um drible.

GoalPoint-Passatempo-GoalPoint-Ratings-PS4-Pro-2017-banner