Romero foi herói… mas podia ter sido anedota

Sérgio Romero, guarda-redes da selecção argentina, transformou-se em herói ao selar a passagem da “albiceleste” à final do Campeonato do Mundo por intermédio de uma defesa (incompleta) do remate do holandês ron Vlaar, gerando de imediato uma torrente de comparações a figuras míticas da história Argentina, futebolística e não só.

Mas como se pode ver no (primeiro) vídeo anexo, Romero podia ter sido a anedota do Campeoanto do Mundo pois como muito antes da bola terminar o seu trajecto já o guarda-redes festejava efusivamente a sua defesa, ignorando o efeito que a bola tomou na sequência da mesma terminando o seu caminho… precisamente em cima da linha de golo. A regra diz que desde que não exista novo toque do marcador da grande-penalidade o lance só deverá ser concluído quando a bola termina o seu percurso. Ron Vlaar parece ser o único atento à situação, pois como o segundo vídeo publicado demonstra não só se desvia perante a possibilidade de interagir com a bola como segue atento a situação até final. Já o árbitro turco parece ignorar a situação mas tal pode justificar-se pelo facto de estar ciente que caso a bola atravessasse a linha seria notificado pelo novo sistema tecnológico de monitorização da linha de golo. Conclusão: Romero escapou de boa.

Eis a reacção de Vlaar ao lance:

A suceder o impensável, e apesar das diferenças mediáticas, não seria a primeira vez, como se pode verificar através deste vídeo que documenta um lance muito semelhante protagonizado pelo Mahgreb e o Far, na Taça de Marrocos em 2010 e onde se pode verificar a bola a ganhar semelhante efeito após tocar na relva.