Aquela que foi uma das épocas mais quentes de sempre no futebol português, com particular incidência nos treinadores que disputaram a Liga NOS, chegou ao fim. As “hostilidades” ficaram abertas a partir do momento em que Jorge Jesus decidiu aceitar o convite do Sporting para se mudar para o outro lado da segunda circular, e cedo se percebeu que esta seria uma época diferente das outras.

E 440 jogos depois, os troféus coroaram Rui Vitória (duas vezes) e Paulo Fonseca, mas uma época é bem mais do que isso, e esta foi feita de outros excelentes trabalhos para além daqueles que saíram medalhados.

O RTG serve para isso mesmo. Cada treinador é avaliado consoante os resultados e a dificuldade de cada jogo (se é a primeira vez que se cruza com o RTG confira neste link como é calculado), e até mesmo aqueles “misters” que não conseguem títulos merecem ser distinguidos no final da época caso, semana a semana, tenham excedido as expectativas.

O ranking final mostra isso mesmo, que no fim só pode ganhar um, mas que existiram vários grandes trabalhos em Portugal na época 2015/16. Refira-se que os dois primeiros classificados fizeram sensivelmente o dobro dos pontos do vencedor da época passada, Jorge Jesus, e que mesmo o terceiro teria vencido o prémio de melhor do ano em 2014/15! Mas vamos começar por baixo…

22º a 26º Vírus madeirense

RTG™ | O Treinador do ano GoalPoint Liga NOS 15/16Curioso o facto de entre os cinco últimos classificados (todos os que ficaram abaixo de mil pontos negativos) estarem os três treinadores que acabaram ao leme das equipas madeirenses. Se Luís Norton de Matos consegue juntar a descida de divisão ao indesejado último lugar no ranking, a grande surpresa vai para Manuel Machado, que ficou em penúltimo mesmo vencendo os prémios de melhor treinador em Novembro e Março. O problema foi todos os outros meses, que fizeram com que o habitual candidato europeu, Nacional, ficasse em 11º lugar no campeonato e fosse eliminado da Taça de Portugal pelo Gil Vicente.

Quim Machado foi um dos casos mais especiais esta época, visto ter feito uma primeira volta muito positiva até perder os esteios Rúben Semedo e Suk. A partir daí foi sempre a cair, e acabou a época a lutar pela permanência e com apenas uma vitória nas últimas 20 jornadas.

16º a 21º José Peseiro entre desilusões

RTG™ | O Treinador do ano GoalPoint Liga NOS 15/16Nenhum destes treinadores fez a época completa e as pontuações explicam bem porquê. No fundo da lista está Ivo Vieira, que acabou por fazer ligeiramente melhor que o seu substituto, Nelo Vingada, e que acaba a época com a curiosidade de ter sido o treinador mais pontuado na Taça da Liga. O técnico madeirense ganhou os três jogos que fez na competição, um deles no Dragão, contribuindo decisivamente para o apuramento do Marítimo para a final, e também para o despedimento de Julen Lopetegui, que viria a ser substituído por… José Peseiro.

O coruchense entrou já no fim de Janeiro e totalizou 22 jogos no banco dos portistas, sendo que cinco desses 22 tiveram resultados extremamente negativos como se pode ver no quadro. Derrotas caseiras com Arouca e Tondela, e ainda trambolhões em Santa Maria da Feira, Braga e Paços de Ferreira, contribuíram decisivamente para a má imagem que José Peseiro deixou, e seria com surpresa se assistíssemos à sua continuidade no banco dos “dragões”.

10º a 15º Lopetegui entre os assim-assim

RTG™ | O Treinador do ano GoalPoint Liga NOS 15/16Segundo classificado na época passada, Julen Lopetegui terminou a época 15/16 com pontuação negativa no RTG e na paciência dos portistas, acabando despedido no início de 2016. No entanto, certo é que no final das contas nem Rui Barros nem José Peseiro conseguiram fazer melhor que o basco. Faltou talvez a Lopetegui um resultado muito positivo que tivesse servido como balão de oxigénio para os adeptos e para a própria equipa, mas por incompetência ou azar, Lopetegui acabou a época no… 13º lugar, entre todos os treinadores da Liga NOS.

Resultados muito positivos foram o que não faltou aos dois primeiros deste lote. Capaz do melhor e do pior, o Moreirense de Miguel Leal fez uma época menos tranquila que a anterior, mas a par de Petit foi o treinador que conseguiu mais resultados muito surpreendentes pela positiva. Vitórias fora com Rio Ave, Boavista, Arouca, Vit. Setúbal e Nacional foram o expoente máximo desse Moreirense de extremos que contou com um grande Stefanovic e dois “leões” (Palhinha e Iuri Medeiros) em grande forma durante toda a época.

Palavra especial para Petit, que começou muito a mal a época e foi despedido com o Boavista no 15º lugar, mas que chegado a Tondela com o clube em último, conseguiu ainda salvar os beirões da descida com uma recuperação fantástica. Petit foi ainda responsável pela maior surpresa da época quando foi ganhar ao Dragão por 1-0. Um jogo que, sozinho, contou 388 pontos para o ranking e que iniciou a reviravolta dum Tondela que depois disso só viria a perder um dos seis jogos seguintes.

a  Fonseca e dois belenenses

RTG™ | O Treinador do ano GoalPoint Liga NOS 15/16No lote dos quatro treinadores que ficaram à beira de entrar no Top 5, destaque para o facto de, tal como na época passada com Lito Vidigal, encontrarmos um treinador do Belenenses despedido quando tinha pontuação positiva. Já poucos se lembrarão que a época de Ricardo Sá Pinto começou com duas pré-eliminatórias da Liga Europa bem conseguidas e com uma fase de grupos onde foi o único a bater o vencedor do grupo, Basileia, mas nem a campanha europeia positiva o salvou quando atravessou uma sequência de seis jogos sem ganhar.

Certo é que o seu substituto, Julio Velázquez, não fez pior, e foi mesmo o timoneiro que conseguiu a maior percentagem de resultados muito positivos (25%), que lhe valeram bastantes pontos para o ranking.

Paulo Fonseca, vencedor da Taça de Portugal, acabou por pagar a factura de um último terço da época em que teve envolvido em muitas provas, e as oito derrotas nos últimos 15 jogos fizeram com que caísse a pique até ao nono lugar, mantendo ainda assim uma pontuação positiva.

Quem voltou a estar bem foi Fabiano Soares, melhorando os 296 pontos que tinha conseguido na época passada, e ajudando a consolidar definitivamente o Estoril como um clube de Primeira Liga.

 Jorge Jesus, traído pelo desprezo europeu

RTG™ | O Treinador do ano GoalPoint Liga NOS 15/16Pode dizer-se que o bom trabalho de Jorge Jesus no Sporting acabou traído pelas próprias opções. Provavelmente ninguém discutiria a decisão de apostar todas as fichas no campeonato se efectivamente Jorge Jesus tivesse conquistado a Liga NOS, mas no final das contas, a má imagem deixada nas outras provas só serviu para tirar brilho a uma época que, em termos de futebol jogado, revelou um upgrade em relação a épocas anteriores.

A comparação com Marco Silva é inevitável, e no que toca ao RTG, Jorge Jesus até sai ligeiramente a perder. 963 pontos contra os 1088 conseguidos a época passada pelo actual técnico do Olýmpiakos, isto apesar de, na Liga NOS, Jorge Jesus ter conseguido mais 184 pontos que o seu antecessor.

Jorge Jesus foi ainda o recordista em termos de resultados muito negativos, oito, algo que detalharemos mais à frente, mas isso não apaga o grande campeonato que fez e que lhe permite entrar no Top 5 dos melhores da época.

Jorge Simão, época de confirmação

RTG™ | O Treinador do ano GoalPoint Liga NOS 15/16Jorge Simão entrou na Primeira Liga de rompante, quando foi chamado a época passada a substituir Lito Vidigal no Belenenses. Na altura conquistou 600 pontos e ficou em oitavo lugar no nosso ranking, mas esta época conseguiu fazer ainda melhor ao serviço do Paços de Ferreira.

O sétimo lugar no campeonato foi ainda melhor do que o que Paulo Fonseca tinha conseguido na época passada, e Jorge Simão conseguiu recorrendo muito à “prata da casa” (Diogo Jota, Andrezinho, Barnes), e mesmo perdendo a meio da época uma das suas principais figuras para o Braga, o guarda-redes Marafona.

Ainda não se sabe o futuro do jovem treinador, mas se o destino for, como se fala, o recém-promovido Chaves, Vítor Oliveira terá sucessor à altura.

Pedro Martins, tempo de dar o salto

RTG™ | O Treinador do ano GoalPoint Liga NOS 15/16Já é uma certeza entre os melhores treinadores portugueses, e 2015/16 foi provavelmente a melhor época de sempre da sua carreira.

A temporada culminou com um sexto lugar que dá acesso à Europa, e que iguala o resultado de Nuno Espírito Santo em 2012/13, mas convém não esquecer que a época de Pedro Martins foi bem mais do que isso. Na Taça de Portugal chegou às meias-finais, eliminando três equipas primodivisionárias (Paços de Ferreira, Vit. Setúbal e Estoril), e na Taça da Liga foi afastado sem perder um único jogo, mesmo cruzando-se com Vit. Guimarães, Belenenses e Braga.

Por tudo isto, e pelo bom futebol que praticam as suas equipas, Pedro Martins está no estado de maturação ideal para saltar um degrau na carreira. É improvável que seja em Portugal, mas o mais certo é ainda virmos a ouvir falar muito das suas aventuras no estrangeiro…

Rui Vitória, troféus e recordes

RTG™ | O Treinador do ano GoalPoint Liga NOS 15/16Quarto classificado no RTG da época passada, Rui Vitória subiu mais dois degraus (e mais de 1500 pontos), acabando no segundo lugar esta época. Em condições normais daria para ganhar também este prémio, mas com certeza não seria o que mais lhe interessava, visto que Rui Vitória juntou coisas mais importantes à sua vitrina.

Imune a todo o ruído e desconfiança que se gerou à sua volta, principalmente depois de um início de época titubeante, Rui Vitória nunca deixou desunir as “tropas” e arrancou para uma segunda metade da época quase imaculada, fiel ao seu ADN de lançar e confiar em jovens valores, tal como sempre foi fazendo por onde foi passando.

Ao sucesso interno, Rui Vitória ainda juntou uma excelente campanha europeia, culminada com um empate caseiro contra o Bayern de Munique, num jogo em que não tinha Jonas, Gaitán e Mitroglou.

Tal como se pode ver no gráfico, a diferença para Jorge Jesus esteve sobretudo na quantidade de desaires negativos, com Rui Vitória a tropeçar verdadeiramente apenas sete vezes, contra as 13 de Jorge Jesus ao serviço do Sporting, cinco delas na Europa.

RTG™ | O Treinador do ano GoalPoint LigaNOS 15/16
Clique no gráfico para ampliar

É caso para dizer que só mesmo um grande treinador lhe podia “tirar” mais este prémio.

 Lito Vidigal, para mais tarde recordar

RTG™ | O Treinador do ano GoalPoint Liga NOS 15/16Se no início da época nos dissessem que o Arouca iria acabar com tantas derrotas como o Sporting, e menos seis do que o FC Porto, alguém acreditaria? Nós não, mas o certo é que aconteceu.

O responsável tem 46 anos e é um luso-angolano chamado Lito Vidigal. Para os menos desatentos já não é uma revelação, tendo em conta que a época passada tinha terminado no terceiro lugar do ranking, e já antes disso tinha feito sempre bons trabalhos por onde passou, mas este foi o melhor de todos.

O Arouca tinha ficado em 16º lugar na época passada com 28 pontos, e esta época ficou em quinto com 54. Teve menos derrotas no campeonato que o próprio FC Porto, e só não roubou pontos ao segundo classificado Sporting. Um conjunto de feitos notável e que desafia toda e qualquer lógica ou expectativa, e por isso mesmo acaba aqui premiado com toda a justiça.

Lito Vidigal é o treinador do ano 2015/16. O Arouca é o Leicester de Portugal, e Vidigal merece estatuto de Ranieri. Acreditem, não vão ver algo como isto muito mais vezes.

Lito Vidigal
Lito Vidigal, Arouca
Terminamos com a tabela final, o Ranking de Treinadores GoalPoint da Liga NOS 15/16:

RTG™ | O Treinador do ano GoalPoint Liga NOS 15/16Para ficar a conhecer os melhores da Segunda Liga, ou, se preferir, Ledman LigaPro, é só carregar nesta ligação.