D ezembro é mês de Natal, mas é também, cada vez mais, mês de “chicotadas psicológicas”. Este foi o mês em que Vítor Campelos e Lito Vidigal perderam o seu lugar, estando em posições bem confortáveis no nosso ranking, mas também em que o prémio mensal coube a um treinador chegado a meio da época.

Liga NOS: Em terra de portugueses…

Com a saída de Marcel Keizer, Natxo González era o único representante estrangeiro a treinar equipas do nosso campeonato… até que chegou Julio Velázquez. O espanhol, que já por cá tinha passado ao serviço do Belenenses, tomou as rédeas a um Vitória de Setúbal sólido defensivamente, mas que não marcava golos, e virou o futebol da equipa do avesso. Este Dezembro trouxe duas vitórias importantíssimas na Liga NOS, contra Paços de Ferreira e Aves, mas também um saboroso empate contra o Benfica na Taça da Liga. A equipa subiu ao sétimo lugar do campeonato e Julio Velázquez já é quarto no RTG, tendo sido o melhor neste período festivo.

Logo a seguir ficou o treinador do outro Vitória, o de Guimarães. Após dois meses conturbados, Ivo Vieira deu a volta ao texto e venceu quatro dos cinco jogos que contaram para este prémio mensal. O triunfo em Frankfurt foi talvez o mais surpreendente, mas também se saúda a passagem à “final four” da Taça da Liga, no grupo do Benfica.

Bruno Lage conseguiu o mesmo registo de Ivo Vieira (quatro vitórias em cinco jogo) e ficou na terceira posição, subindo um lugar na classificação geral. O mês não era fácil, mas o Benfica bateu Boavista, Zenit, Famalicão e Braga, e começou a mostrar um futebol mais interessante.

Clique para ampliar

Ricardo Sá Pinto fez a pior pontuação do mês e caiu 11 lugares, muito por culpa das derrotas inesperadas contra Aves e Paços de Ferreira.

Na próxima página: o melhor da LigaPro e o “quadro de honra”