Rússia 2018: As cidades e estádios do próximo Mundial

As cidades que vão receber o Mundial estão concentradas na parcela europeia do país, onde está 77% da população russa.

O país mais extenso do Mundo, que faz fronteira com 18 países, vai receber o Mundial de 2018. A terra do lago Baikal – o mais puro e profundo do Mundo -, mas também do Rio Volga, o mais longo da Europa. Nenhum outro se estende por nove dos vinte e quatro fusos horários existentes. Por exemplo, jantar em Vladivostok representa o pequeno almoço em Kaliningrado. Esta cidade ao norte tem a particularidade de se encontrar entrincheirada entre a Polónia, Lituânia e o Mar Báltico, completamente distante do restante território, a 1235 quilómetros de Moscovo.

Dinheiro não parece ser problema. As contas serão feitas no fim, pois os Jogos Olímpicos de Inverno, Sochi 2014, tornou-se a competição mais cara da história do desporto, o dobro do que está previsto custar a soma do Mundial 2014 com as Olimpíadas de 2016 no Rio de Janeiro.

O comité organizador do Campeonato do Mundo apresentou entretanto os cartazes que celebram cada uma das cidades sede. Passamos em revista os mesmos bem como a informação já disponível sobre os estádios que irão receber os jogos do próximo Mundial.

 

1. Moscovo (Olímpico Luzhniki e Estádio Spartak)

 

fonte: Comité organizador do Campeonato do Mundo 2018
fonte: Comité organizador do Campeonato do Mundo 2018

O mítico complexo desportivo Luzhniki, no Sudoeste de Moscovo, vai sediar a cerimónia de abertura e a final do Mundial 2018. O estádio, tido como um dos principais em todo o Mundo, que recebeu os Jogos Olímpicos de Moscovo em 1980 e a final da Liga dos Campeões, entre muitos outros acontecimentos desportivos, está a sofrer obras de modernização e ampliação, com a capacidade a subir para 81.000.

Da estrutura antiga foi conservada a fachada que apresenta uma arquitectura ao velho estilo soviético.

O Estádio Luzhniki foi inaugurado em 1956, tendo registado a assistência-recorde de 102.538 num jogo entre a antiga União Soviética e a Itália em 1963.

O Estádio Spartak é o único dos recintos previstos para o Mundial 2018 que foi financiado com capital privado, sendo um projecto do Spartak de Moscovo, propriedade do magnata Leonid Fedun. As obras começaram em 2009 e o recinto terá capacidade para 42.000 espectadores.