Santa Clara 🆚 Porto | Um Sérgio treina, o outro assiste 🎁

-

TotoRating Banner

Clique para ampliar

O FC Porto soube fazer fácil uma deslocação difícil, batendo um atrevido (mas ineficaz) Santa Clara por 2-0, nos únicos dois remates que fez à baliza e ainda se dando ao luxo de falhar uma grande penalidade. Wilson Manafá e Marcano fizeram os golos mas quem brilhou acima de todos foi o “reforço de inverno” Sérgio Oliveira, com duas assistências e mais uma prova de que gosta de aparecer, ao mais alto nível, nas fase crucial da época.

Resumo 📺

O jogo explicado em números 📊

  • Arranque “morno” de partida, com apenas um remate (e bloqueado) nos primeiros 10 minutos, de fora da área, da autoria do “açoriano” Carlos Júnior. A bola essa era monopolizada pelos “dragões”, com 75% de posse, mas sem consequências ofensivas de maior.
  • Aos 20 minutos seria a vez de Anderson Carvalho alvejar, de forma desastrada, a baliza de Marchesín, simbolizando uma fase de jogo mais atrevida dos insulares. O Porto esse, ainda estava por aparecer em jogo.

  • O primeiro disparo “azul-e-branco” surgiria apenas aos 30 minutos, por Corona, de fora da área e para as “nuvens”. Aos 33 surgia o primeiro lance de perigo digno desse nome: bola na trave de Marchesín, por intermédio de Costinha, na marcação de um livre directo em cima da linha da área.

  • Aos 37 minutos Manafá desbloqueava o marcador de forma inesperada, numa combinação rápida com Sérgio Oliveira, no primeiro remate enquadrado da partida e também o primeiro já dentro de qualquer das áreas. O lateral apanharia um susto aos 43′, com a ameaça de expulsão, posteriormente revertida pelo árbitro após recurso ao VAR.
  • Intervalo Os “dragões” chegavam ao intervalo na frente e com o tipo de registo que faz campeões: um remate à baliza, um golo. Manafá liderava por esta altura os ratings, com 6.5, pese as 14 perdas de posse acumuladas, fruto não só do golo mas também dos dois desarmes somados. Pelos açorianos brilhava Costinha 6.1, com apenas cinco passes mas todos certeiros, quatro acções defensivas e ainda a (perigosa) bola à trave que assustou os portistas.

  • A retoma da partida trouxe o “déjà vu”, com a bola a “beijar” novamente os ferros de Marchesín na marcação de um livre directo, desta vez cobrado por Carlos Júnior.

  • Aos 71′ era a vez dos “dragões” atirarem ao ferro e logo no lance teoricamente mais favorável: Alex Telles atirava ao poste, na cobrança de uma grande penalidade, adiando assim a tranquilidade desejada por Sérgio Conceição, para o final da partida.
  • O descanso chegaria sim na cabeça do central Iván Marcano, que respondia aos 76 minutos da melhor forma a um livre marcado por Sérgio Oliveira para a área. O médio somava a sua segunda assistência, rumo à eleição como MVP da partida.
  • Os açorianos fariam um forcing final e até terminariam a partida com mais disparos, mas os “dragões” saiam dos Açores na liderança da Liga, à espera do resultado do rival, fruto de uma exibição suficiente e super-eficaz, pese o penálti desperdiçado.

O melhor em campo GoalPoint👑

Mais um jogo a provar a importância de Sérgio Oliveira, o “dragão” que gosta de aparecer nas fase decisiva das épocas “azuis-e-brancas”. As assistências para os dois golos da noite seriam suficientes, mas o médio ainda acertou todos os passes longos que somou (4), mantendo uma eficácia de passe atípica para as características do jogo (e relvado), com 89%, e ainda completou três dos quatro dribles tentados. A brincar a brincar o Sérgio já é o “dragão” com mais eleições MVP GoalPoint nesta Liga apesar de só ter sido titular em sete ocasiões.

Jogadores em foco 🔺🔻

  • Marcano 6.7 – Mais um jogo conseguido do discreto mas letal central. Marcou o golo que deu a tranquilidade, da forma que mais gosta (cabeça) e ainda limpou o perigo das imediações da baliza de Marchesín com seis alívios.
  • Danilo Pereira 6.4 – Bom regresso à titularidade, fazendo dupla eficaz com Sérgio Oliveira. Desarmou adversários em quatro ocasiões e foi o segundo jogador que mais bolas recuperou, 11. Pelo caminho ainda ensaiou o remate.
  • Lincoln 6.3 – Uma das maiores “dores de cabeça” para os portistas. Foi o mais rematador do Santa Clara (3) ao mesmo tempo que terminou a partida como o jogador que mais passes interceptou (4).
  • Wilson Manafá 6.3 – Com 17 perdas de posse foi batido apenas por Marega (18), entre os portistas que mais jogo deram ao adversário mas o que não conseguiu na arte obteve no esforço, assinando o importantíssimo primeiro golo da partida, numa altura em que nada o fazia prever. E isso conta e muito, na corrida ao título.
  • Alex Telles 5.0 – Tantas vezes “abono” portista, o mais recente jogador do mês GoalPoint não terá embarcado rumo aos Açores, perdendo a posse 17 vezes e desperdiçando uma grande penalidade. Somou ainda assim um passe para finalização e seis acções defensivas.
GoalPoint
GoalPoint
O GoalPoint.pt é um site produzido pela GoalPoint Partners, uma start-up especializada em análise estatística de futebol, que oferece serviços dirigidos a profissionais, media, patrocinadores/anunciantes e adeptos.
GoalPoint

GRÁTIS
BAIXAR