Scouting: Fábio Sturgeon, a pérola do Restelo

Sturgeon tem aproveitado da melhor forma as oportunidades concedidas por Vidigal (foto: CFB)
Sturgeon tem aproveitado da melhor forma as oportunidades concedidas por Vidigal (foto: CFB)

Fábio Sturgeon é uma das novas sensações a despertar na Liga portuguesa. Tem apenas 20 anos e joga pelo Belenenses. Após uma formação dividida entre o Charneca de Caparica FC e o Pescadores da Costa de Caparica, chegou a Belém onde começou rapidamente a dar cartas nos escalões jovens. Um criativo de elevada técnica e que tem a curiosidade de possuir também nacionalidade inglesa.

Atacante puro

Sturgeon tem assumido um papel de destaque no “onze” de Vidigal, quer como extremo, quer como segundo avançado, tem sempre exibido boas movimentações e uma qualidade de jogo muito acima da média para a sua idade. Até agora fez cinco jogos a titular no campeonato num total de 334 minutos, número que no final da época deverá ser bastante superior – na sua idade todos os minutos efectuados irão ajudar ao seu desenvolvimento, e o ritmo competitivo obtido numa equipa de Primeira Liga como o Belenenses irá ser essencial.

Tem uma qualidade de passe bastante boa, é um jogador que combina e tabela muito bem com os seus colegas, tem uma eficácia de passe de 74,1% e fez dois passes para ocasião golo. Tem uma movimentação inteligente sobretudo quando actua atrás de um ponta-de-lança mais posicional. Efectua vários movimentos de rotura, sobretudo diagonais mortíferas para a defensiva contrária. É ainda um jogador que tentou por seis vezes o remate à baliza, com uma pontaria de 33,3%.

Também na fase defensiva não se esconde, faz cerca de três desarmes por jogo e ajuda bastante fazendo pressing na fase de construção baixa adversária. Os duelos aéreos não são de facto o seu forte, pois ganha apenas 25% dos mesmos.

Diamante por lapidar

Apesar de ser um craque em evolução, tem ainda diversos aspectos a melhorar. Tem uma intensidade de jogo muito boa, assim como uma mentalidade muito forte e muito concentrada, demonstrando ser bastante comprometido com a sua equipa. Porém tem apenas dois cruzamentos efectuados, sendo que nenhum teve sucesso. Este facto não é de estranhar, porque Fábio tende a procurar o corredor central, não é o típico extremo “à antiga” de ir à linha de fundo cruzar.

Perde ainda cerca de 6,6 vezes a bola por jogo, número positivo para a posição que ocupa. Consegue ter um transporte de bola muito bom graças ao seu excelente drible e equilíbrio. Ao jogar no centro do terreno tem a bola mais vezes, desse modo consegue ter um papel ainda mais determinante no momento ofensivo.

Sendo que é um jogador que alterna entre a posição de falso extremo (como avançado-interior) e segundo avançado, Sturgeon tem ainda um potencial tremendo para poder ser trabalhado para várias dinâmicas. Parece render mais atrás de outro jogador na frente de ataque, e é um futebolista muito vertical que liga muito bem a construção alta à etapa de criação. Com um pé esquerdo de vastos recursos esta jovem pérola – caso trabalhe um pouco mais o seu posicionamento táctico e finalização – pode vir-se a tornar num jogador de elevada categoria.

Nome: Fábio Sturgeon
Clube: Belenenses (Portugal)
Nacionalidade: Portuguesa/Inglesa
Nascimento: 1994-02-04 (20 anos)
Posição: Segundo avançado/ Extremo
Pé Preferencial: Esquerdo
Altura: 1,83m
Peso: 88 kg
Valor de mercado: 800mil-1M€
Contrato até: 2018
Recomendação GoalPoint*: clube do segmento médio/alto.

 

* Recomendação GoalPoint
a recomendação GoalPoint consiste no perfil de clube destino que a GoalPoint Partners considera mais adequado ao desenvolvimento e confirmação do potencial do jogador no momento de carreira em que é por nós analisado. Eis a definição dos segmentos abordados.

Segmento alto – equipas que lutam pelo título nas cinco principais Ligas europeias (Inglaterra, Espanha, Itália, França e Alemanha)
Segmento médio/alto – equipas que disputam as cinco principais Ligas europeias e/ou disputam o título nas Ligas de projecção europeia (Holanda, Portugal, Bélgica, Grécia, Turquia, Rússia, Suíça)
Segmento médio – equipas que disputam Ligas de projecção europeia
Segmento médio/baixo – equipas que disputam a permanência nas Ligas de projecção europeia ou a segunda Ligados principais campeonatos europeus
Segmento baixo – equipas que disputam a segunda Liga nas Ligas de projecção ou quaisquer outras Ligas europeias (que não as principais ou de projecção)