Scouting: Odegaard, o norueguês que promete queimar etapas

A Europa do Norte tem produzido alguns talentos extraordinários ao longo das décadas, pelo que interessa olhar para os nomes que estão a despontar nas Ligas nórdicas.

O GoalPoint está atento ao que se passa nos relvados por essa Europa fora (e não só). Olhamos agora mais para Norte, para o filão que, ciclicamente, produz jogadores de grande nível, iniciando a nossa análise dos cinco atletas que merecem o nosso destaque no mercado nórdico europeu, jogadores que procuram quebrar o frio, a solidão e a monotonia de campeonatos pouco dotados tacticamente. Começamos com o norueguês Martin Odegaard, já aqui referido de forma breve mas atenta.

Martin Ødegaard (Stromsgodset IF)

 

Martin Odegaard, um talento precoce que já suscita a atenção dos "tubarões" europeus (foto: Stromgodset IF)
Martin Odegaard, um talento precoce que já suscita a atenção dos “tubarões” europeus (foto: Stromgodset IF)

O norueguês de 15 anos é uma das maiores promessas do futebol mundial. O “príncipe” da terra do sol da meia-noite tem despertado a atenção dos maiores clubes europeus, sendo que em 2013 já esteve à experiência no Bayern de Munique e no Manchester United, mas a escola acabou por se tornar prioridade e Martin decidiu, com o seu pai, também ele antigo jogador do Stromsgodset, permanecer na Noruega. Estreou-se em Abril de 2014 na equipa principal.

O médio-ofensivo é o principal organizador da equipa norueguesa. O Stromsgodset alinha em 4x3x3 com Martin a assumir o papel de número 10. Dotado de uma excelente capacidade técnica, visão de jogo, mobilidade e velocidade, Ødegaard não acusa a pressão de jogar num patamar competitivo mais elevado do que o normal para a sua idade. Um autêntico devorador de etapas.

http://youtu.be/-8d1yoqryTU

Tem uma grande facilidade para sair das zonas de pressão, usando a sua técnica, velocidade de execução e drible para fugir à marcação e criar espaços de desequilíbrios. Apresenta um grande nível de maturidade para um jovem de 15 anos. Martin sente-se confortável a conduzir a bola junto aos seu pé esquerdo, organizando as acções ofensivas da equipa e fazendo “dançar” as defesas contrárias, pelo que as semelhanças com Messi são demais evidentes.

Destaque ainda para a movimentação e leitura de jogo. O pequeno norueguês sente-se confortável a romper os espaços e a aparecer em zonas de decisão, onde pode assistir ou finalizar. Gosta de partir de uma das faixas para o corredor central para depois fazer um passe de ruptura para os seus colegas. Demonstra ainda uma grande velocidade de pensamento e execução técnica. Um craque que procura fazer abanar a monótona e gélida Noruega.

Soma 17 jogos no campeonato, três golos e cinco assistências. Números que fazem de Martin Ødegaard um dos destaques das Ligas nórdicas.

Nome: Martin Ødegaard
Clube: Stromsgodset IF
Nacionalidade: Noruega
Nascimento: 1998-12-17 (15 anos)
Posição: Médio-Ofensivo
Pé preferencial: Esquerdo
Altura: 1,70m
Peso: 60 kg
Valor de mercado: 1,5 a 3M€
Contrato: Dezembro, 2015
Recomendação GoalPoint*: clube do segmento médio/alto, com uma estratégia de aposta sustentada em jogadores jovens

 

* Recomendação GoalPoint
a recomendação GoalPoint consiste no perfil de clube destino que a GoalPoint Partners considera mais adequado ao desenvolvimento e confirmação do potencial do jogador no momendo de carreira em que é por nós analizado. Eis a definição dos segmentos abordados.

Segmento alto – equipas que lutam pelo título nas cinco principais ligas europeias (Inglaterra, Espanha, Itália, França e Alemanha)
Segmento médio/alto – equipas que disputam as cinco principais ligas europeias e/ou disputam o título nas ligas de projecção europeia (Holanda, Portugal, Bélgica, Grécia, Turquia, Rússia, Suíça)
Segmento médio – Equipas que disputam ligas de projecção europeia
Segmento médio/baixo – Equipas que disputam a permanência nas ligas de projecção europeia ou a segunda liga das principais ligas europeias
Segmento baixo – Equipas que disputam a segunda liga nas ligas de projecção ou quaisquer outras ligas europeias (que não as principais ou de projecção)