O Barcelona carimbou o bilhete para as meias-finais da Champions sob o comando de Messi, ao mesmo tempo que, em Turim, o “rei da Champions”, Cristiano Ronaldo, tombava perante um cada vez mais “inqualificável” Ajax.

O português abriu o activo, mas não foi acompanhado pelos restantes colegas, que sucumbiram perante a invulgar superioridade visitante no reduto “bianconero”. Já na Catalunha, e após um susto inicial, os “blaugrana” já pressentiam o apuramento quando, aos 20 minutos, “La Pulga” argentina somava o bis com que coloriu mais uma exibição “perfeita”, com outros números “alienígenas: 103 acções com bola, com apenas 16 posses perdidas. Messi em todo o lado.

Foi o segundo 10.0 de Messi na prova, precisamente a “nota” com que iniciou a campanha, na goleada caseira frente ao PSV, num jogo em que quebrou um “enguiço”: já não marcava nuns quartos-de-final da Champions desde Abril de 2013 e há precisamente 50 remates.

Também Cristiano leva para casa um feito, mesmo numa noite triste: o português marcou todos os golos da Juventus nos quatro jogos a eliminar na Champions 18/19, um total de cinco, e com o golo “bianconero” da noite reforçou o estatuto de maior goleador da prova (126 golos) e maior artilheiro da fase a eliminar (65).

Messi continua a sonhar, Cristiano fica pelo caminho. Ambos apresentam uma folha de serviços brilhante na presente edição, a única diferença é que o argentino vai mantendo um nível… estratosférico.

GoalPoint-Lionel_Messi_2018_vs_Cristiano_Ronaldo_2018-infog
Clique para ampliar