Quando chegou ao Sporting Slimani não gerou logo acentuado entusiasmo nos adeptos e crítica. Nessa altura era “el avioncito” Freddy Montero que roubava as manchetes, fruto de uma entrada de rompante de “leão” ao peito que se foi atenuando ao longo do tempo. Ao invés, o avançado argelino foi ganhando protagonismo, influência e carácter decisivo nos “verde-e-brancos” ao ponto de hoje, mesmo sem ter iniciado a prova em todo o fulgor, ser de longe o avançado mais influente dos “leões”.

Slimani não entrou da melhor forma na Liga NOS 2015/16. O argelino teve aliás de esperar pela terceira jornada para inagurar a conta do que mais se espera dele, e após dois jogos a marcar voltou a viver um período de “seca” antes de, em duas partidas fundamentais (frente a Vitória de Guimarães e Benfica) ter facturado quatro tentos em duas partidas. Estará o “bombardeiro” argelino a levantar voo rumo à sua melhor época pelo Sporting?

Slimani: "bombardeiro" argelino em voo ascendente?
Clique na infografia para ampliar (infografia: GoalPoint)

Os números apontam nesse sentido. Slimani atingiu já metade dos golos que marcou na Liga 2014/15, seis para 12 na época passada, na qual foi responsável por 18% dos golos leoninos tendo uma influência global em 21% deles (ao somar duas assistências). Esta época “Slim” reclama até ao momento a autoria de 35% dos golos “verde-e-brancos” na corrida ao título embora não some ainda qualquer assistência.

Existem outra curiosidades por detrás do desempenho do avançado argelino, algumas delas poderão até surpreender o adepto comum que vê em Slimani um “perigo aéreo” incapaz de traduzir sobre a relva o mesmo nível de qualidade que apresenta pelos ares. Eis alguns destaques:

Cabeceamento: Slimani é, a par do benfiquista MItroglou, o jogador da Liga NOS com mais remates enquadrados de cabeça, sete. O argelino é aliás o único jogador do sector avançado leonino (incluíndo extremos) com cabeceamentos enquadrados com a baliza.

Oferta de golos: Apesar de não somar ainda qualquer assistência, um ponto fraco recorrente do seu desempenho, Slimani é o segundo avançado da Liga que mais passes para ocasião soma (12), a par de Aboubakar, e ultrapassado apenas pelo mais versátil Jonas com 16.

Passe: Visto por alguns como “tosco com os pés” Slimani é curiosamente o avançado leonino com melhor eficácia de passe, com 76%, contra 74% de Montero e Gutiérrez.

Duelos: Apenas o coreano Suk (Vitória FC) ganhou mais duelos individuais que Slimani: 48 contra 40 ganhos pelo argelino.

Remates enquadrados: Slimani é o avançado da Liga que leva mais remates enquadrados no total, com 14 (sete de cabeça), seguido por Jonas com 11 (mas menos um jogo), Mitroglou com 10 e Aboubakar com nove.

Perda de posse: Apesar de perder mais vezes a posse da bola do que os avançados rivais (13,7 a cada 90 minutos jogados,  Jonas por exemplo perde 12,6 e Mitroglou apenas 6) é ainda assim o melhor avançado leonino neste registo: Gutiérrez perde 13,7 vezes a posse a cada 90 minutos e Montero atinge as 17 perdas.

Os Ratings GoalPoint que atingiu até agora acabam por ser penalizados pelas suas fragilidades identificadas: oferece poucos golos, perde a bola em demasia e é o “rei do fora-de-jogo” (soma nove na Liga, contra três de Aboubakar e Mitroglou e zero de Jonas). Apesar disso os números deixam claro que não só Slimani é (de longe) o mais influente avançado leonino como também um dos mais perigosos homens de área da Liga NOS, sobretudo pelo ar, onde até agora apenas MItroglou rivaliza com o argelino, apresentando sinais de voo ascendente rumo à sua melhor época em Alvalade.