O “entra e sai” do mercado 2016/17 já está ao rubro. Como é hábito anual no GoalPoint, indicámos recentemente alguns nomes que fariam sentido para Benfica, FC Porto e Sporting, num contexto (admitimos surreal) de racionalidade financeira.

Agora a nossa atenção vira-se para… o Sporting de Braga. Como poderia a equipa de José Peseiro reforçar-se com um orçamento inferior a 10 milhões de euros?

Eis alguns nomes que, no nosso entender, fariam todo o sentido.

5. André Moreira (Portugal)

“O miúdo de Madrid”
20 anos | Guarda-redes | Atlético de Madrid
Valor de mercado: aprox. 1 milhão de euros

André Moreira pertence aos quadros do Atlético de Madrid. Após um (frutífero) empréstimo ao União da Madeira, faria todo o sentido subir mais um “degrau” e dar seguimento ao seu crescimento no plantel dos “guerreiros”.

Com 1,95 metros de altura, o guardião impressionou ao serviço dos escalões de formação da Selecção, somando exibições muito positivas. Moreira ccupa bem a baliza, é forte entre os postes, competente com bola nos pés e demonstra ser um intrépido “keeper”, sempre disposto a abandonar os postes em auxílio da sua defesa.

https://youtu.be/7NfAOiUzHJY

No Sporting de Braga poderia lutar pela titularidade com Matheus e Marafona e quem sabe começar a construir a sua candidatura à Selecção de Portugal.

4. Leandro Salino (Brasil)

“O filho pródigo”
31 anos | Defesa-direito | Olympiakos
Valor de mercado: 1.5 milhões de euros (sem contrato)

Salino terminou o seu contracto esta temporada com os gregos do Olympiakos e é um nome bem conhecido do futebol português, em especial dos bracarenses. O brasileiro seria sempre uma excelente escolha para o corredor direito, pela experiência, qualidade e por… “conhecer os cantos à casa”.

Leandro é um ala competente em ambas as fases do jogo, muito concentrado a defender, bastante agressivo na recuperação de bola e com uma qualidade de passe satisfatória para o nível da Liga NOS, como aliás já demonstrou.

3. Lucas Evangelista (Brasil)

“O maestro canhoto”
21 anos | Médio-ofensivo | Udinese
Valor de mercado: aprox. 2.5 milhões de euros

Evangelista é um médio-ofensivo, vulgo “10”, que retornou à Udinese após um empréstimo ao Panathinaikos.

Lucas ainda só tem 21 anos, o que faz dele  uma boa oportunidade de investimento para quem procura um médio de elevado potencial, com qualidade para ter impacto imediato e constituir uma mais-valia financeira no futuro.

Este “playmaker” canarinho tem um pé canhoto muito acima da média, sempre pronto a fazer estragos com passes de rotura e dribles enganadores.

No Braga poderia ser o organizador do futebol ofensivo, uma vez adaptado à realidade portuguesa.

2. Julian Green (EUA)

“Speedy Green”
21 anos | Extremo | Bayern Munique
Valor de mercado: aprox. 500 mil euros

Julian Green é um extremo-esquerdo que actua na equipa secundária do Bayern Munique. Esta época somou dez golos e quatro assistências. Green chegou a participar no Mundial 2014 pela selecção norte-americana, adversária de Portugal na fase de grupos.

Este pequeno “diabrete de pilhas Duracell ilimitadas” caracteriza-se por um arranque explosivo, colocando sérios problemas aos laterais que se cruzam no seu caminho.

Apesar de preferencialmente se encostar ao corredor esquerdo, Green é um destro de elevada técnica na condução de bola e remate, que gosta muito de flectir para zonas interiores. Por vezes actua como um segundo-avançado puro.

1. Enzo Crivelli (França)

“O touro girondino”
21 anos | Ponta-de-lança | Bordéus
Valor de mercado: aprox. 4 milhões de euros

Ao serviço do Bordéus, Crivelli fez esta época quatro golos e três assistências em 29 jogos na Ligue 1. Apesar de não ser um goleador mortífero, este avançado traz à equipa uma panóplia de características incomuns nas frentes de ataque europeias, nos dias que correm.

Apesar de se impor tambêm pela força física e parecendo às vezes até demasiado pesado, é bastante móvel, fugindo frequentemente à marcação directa.

Crivelli segura bem a bola, permitindo o ataque de segunda vaga, revelando inteligência no posicionamento ofensivo.

Não seria fácil convencer um jogador da Ligue 1 a vir jogar em Braga… ou talvez fosse. Basta lembrar a parceria existente entre os “guerreiros” e Jorge Mendes para ver como possível a chegada de jogadores em busca de afirmação para vôos mais altos.