O Sporting CP ganhou pela terceira vez esta temporada um derby ao SL Benfica. Depois da Supertaça e do jogo da Liga NOS no Estádio da Luz, desta feita, a contar para a quarta eliminatória da Taça de Portugal, os “leões” venceram por 2-1, após prolongamento.

Um jogo que começou melhor para as “águias”, mas que depressa caiu nas mãos dos homens da casa. O jogo foi quase de sentido único e de pouco valeu a Rui Vitória as alterações produzidas para o encontro. Jorge Jesus apostou no seu esquema habitual, com a surpresa de Fredy Montero de início, no lugar de Teo Gutiérrez. O treinador “encarnado” surpreendeu, com Samaris e Talisca no meio, Guedes *à direita, Pizzi à esquerda e Nico Gaitán no apoio a Mitroglou.

SURPRESA E REACÇÃO

O Sporting caiu de imediato em cima do Benfica, que desde cedo mostrou apostar nas transições rápidas. Foi assim que chegou ao golo, através do avançado grego, aos seis minutos, após assistência de Pizzi. Mas foi sol de pouca dura. Os “leões” de pronto assumiram o comando das operações e, aos 40 minutos, tinham já cerca de 66% de posse de bola, e quatro remates contra um único do Benfica. Cheirava a golo perto a baliza benfiquista, que viria a acontecer no derradeiro minuto da primeira parte, por Adrien Silva, num remate em zona frontal, sem Júlio César na baliza.

O Sporting atingiu o intervalo a mandar, com cinco disparos, três deles enquadrados, e o Benfica encolhido e a valer-se da única vez que atirou à baliza contrária no primeiro tempo.

> NA PRÓXIMA PÁGINA: JESUS MEXE NA EQUIPA