GoalPoint-Sporting-Arsenal-Europa-League-201819-Ratings
Clique para ampliar
GoalPoint-Sporting-Arsenal-Europa-League-201819-MVP
Clique para ampliar
GoalPoint-Sporting-Arsenal-Europa-League-201819-90m
Clique para ampliar

O Sporting averbou a primeira derrota da temporada na Liga Europa. Em jogo da terceira jornada do Grupo E, a formação de Alvalade perdeu por 1-0 em casa ante o Arsenal, com o golo contrário a ser marcado no segundo tempo por Danny Welbeck. Se é verdade que o controlo do jogo e domínio territorial pertenceram sempre ao Arsenal, o facto é que os “leões” conseguiram realizar 15 remates, mais um que os “gunners”, só que não conseguiu enquadrar um único – contra os sete dos visitantes.

O Jogo explicado em Números 📊

  • Início de jogo algo táctico de parte a parte, com o Arsenal a assumir claramente o domínio territorial nos primeiros 15 minutos, com 72% de posse. Porém, o primeiro remate pertenceu ao Sporting, aos 16 minutos, por Bruno Fernandes, embora desenquadrado.

  • À meia-hora já o Sporting se conseguira libertar-se um pouco da pressão contrária, com algumas recuperações de bola em zonas adiantadas e transições rápidas a colocar em sentido os londrinos. Os “leões” registavam três remates nesta fase, contra um dos visitantes, mas apenas o Arsenal enquadrara o seu disparo, e os portugueses somavam cinco cantos, contra nenhum dos ingleses.
  • Excelente a capacidade do Arsenal no passe, a registar 86% de eficácia por volta dos 40 minutos. Muita segurança e troca de posições constantes dos seus jogadores a permitirem sempre linhas de passe. Ao invés, o Sporting mostrava algumas dificuldades em sair para o contra-ataque, com 73% de acerto nas entregas.

  • Intervalo Boa primeira parte do Sporting, não pelo domínio do jogo, que não teve, mas pela forma como conseguiu cortar linhas de passe e estreitar espaços de forma a impedir o Arsenal de criar perigo. Os ingleses tiveram mais posse até ao intervalo, melhor qualidade no passe, os portugueses destacaram-se pelos muito cantos de que dispuseram e pelo número de remates, igual aos visitantes, embora sem a melhor pontaria. O melhor ao descanso era o grego Sokratis. O defesa-central chegou a esta fase com um GoalPoint Rating de 6.1, com 93% de eficácia de passe e oito acções defensivas, sendo três delas desarmes e quatro intercepções.

  • O segundo tempo não trouxe um “leão” tão esclarecido. Talvez numa tentativa de subir mais no terreno, o Sporting passou a dar mais espaços nas laterais e, por vezes, nas suas costas, facto aproveitado pelo Arsenal para criar perigo. Assim, os visitantes ganharam mais confiança e, por volta da hora de jogo, já somavam quatro remates no segundo tempo, dois enquadrados, e 67% de posse. Os portugueses quase não saíam do seu meio-campo.

  • Nesta altura da segunda parte o Sporting registava apenas duas acções com bola na área inglesa, uma por Fredy Montero e outra por Sebastián Coates. O Arsenal, por seu turno, melhorava ainda mais a qualidade dos seus passes, chegando a impressionantes 91% de eficácia por volta dos 75 minutos. E até nos cantos os números inverteram-se, com os “gunners” a somarem seis no segundo tempo, para um dos “leões”.
  • Até que o golo do Arsenal acabou por aparecer. Aos 77 minutos, Danny Welbeck fugiu à defesa leonina e, perante Renan Ribeiro, rematou rasteiro para o fundo da baliza. Um tento ao nono disparo dos ingleses no segundo tempo, quinto enquadrado, 14º no total.

  • A formação de Alvalade precisava de reagir, mas o Arsenal estava confortável no seu jogo, sendo que a turma lusa não conseguia esticar o seu jogo para se aproximar da baliza contrária. O domínio territorial dos londrinos mantinha-se inalterado, com trocas de bola sem grande pressão dos homens da casa, apesar dos dez remates que os “leões” conseguiram no segundo tempo. Só que foram todos desenquadrados.

O Homem do Jogo 👑

Perante do domínio total do Arsenal no jogo de Alvalade, não espanta que o melhor em campo pertença aos “gunners”. Num jogo em que os ingleses mostraram sempre grande segurança no passe, com 88% de eficácia (74% no passe vertical), foi o médio Aaron Ramsey a registar o GoalPoint Rating mais elevado, um 6.8 baseado, sobretudo, na qualidade de passe. O galês tentou fazer 55 entregas e completou 50, para além de que criou uma ocasião flagrante de golo em três passes para ocasião. No total fez quatro passes longos, acertando três para o último terço do terreno. Uma exibição esclarecida.

Jogadores em foco 🔺🔻 

  • Renan Ribeiro 6.6 – Se o Sporting mostrou pontaria nula, já o mesmo não se pode dizer do Arsenal, que enquadrou metade dos seus remates. Não espanta que o guarda-redes brasileiro fosse o melhor do Sporting, com seis defesas, duas delas a remates dentro da sua grande área.
  • Mattéo Guendouzi 6.6 – Dá gosto ver o francês jogar. Apesar dos seus 19 anos, o médio-defensivo apresenta uma segurança geralmente vista em jogadores mais maduros. Em Alvalade foi o elemento com mais acções com bola, nada menos que 96, usando-as para criar uma ocasião flagrante em dois passes para finalização e acertar 76 de 82 passes.
  • Marcos Acuña 6.2 – Um dos “leões” mais esclarecidos. A actuar na lateral-esquerda, o argentino esteve praticamente intransponível, com um registo de 14 acções defensivas, entre elas seis desarmes e três bloqueios de passe. Quando subiu, conseguiu completar três de quatro tentativas de drible.
  • Nemanja Gudelj 6.0 – O croata saiu aos 68 minutos, mas foi um dos que melhor conseguiu lidar com o meio-campo inglês. Os seus quatro desarmes e dois bloqueios de remate ajudaram a equipa a manter o Arsenal longe da baliza de Renan no primeiro tempo.
  • Danny Welbeck 6.4 – O avançado inglês decidiu o jogo, sendo autor do único golo da partida, num total de três remates. O seu rating final acaba por ser penalizado por uma ocasião flagrante que desperdiçou.