GoalPoint-Sporting-Atletico Madrid-Europa-League-201718-Ratings
Clique para ampliar

GoalPoint-Sporting-Atletico Madrid-Europa-League-201718-MVP
Clique para ampliar

GoalPoint-Sporting-Atletico Madrid-Europa-League-201718-Sporting-MVP
Clique para ampliar

GoalPoint-Sporting-Atletico Madrid-Europa-League-201718-90m
Clique para ampliar

O Sporting está de fora da Liga Europa, apesar de ter conseguido vencer em casa o Atlético de Madrid, por 1-0. Após a derrota por 2-0 da primeira mão, os “leões” sabiam que tinham tarefa difícil para dar a volta à eliminatória, mas deixaram em campo desde o primeiro minuto a imagem de uma equipa lutadora. Tais esforços foram recompensados com um golo aos 28 minutos. A partir daí, o Atlético sofreu – e de que maneira -, mas o Sporting não mais conseguiu marcar, esbarrando sempre na muralha chamada Jan Oblak, que terminou a partida com seis defesas e o título de homem do jogo.

O Jogo explicado em Números 📊

  • Entrada de gigante do Sporting, a encostar o Atlético às cordas no arranque da partida. Nos primeiros 15 minutos, os “leões” fizeram três remates, um deles à baliza, obrigando Oblak a uma defesa de grande nível. Para além disso, a equipa “verde-e-branca” dominava a posse (60%) e trocava melhor a bola do que o adversário (73%-67% em eficácia de distribuição). Destaque para Bruno Fernandes, que já levava dois passes para finalização.

  • Aos 26 minutos, forte contrariedade para Jorge Jesus, que perdeu Jérémy Mathieu devido a lesão. No curto tempo em que esteve em campo, o francês não fez nenhuma acção defensiva, rematou uma vez e teve 14 acções com a bola.
  • E foi então que surgiu o golo que há muito se previa. Oblak saiu mal a um cruzamento de Bruno Fernandes e deixou a bola para o segundo poste, onde surgiu Fredy Montero a cabecear para o fundo das redes, naquele que era o seu terceiro remate da partida (o primeiro enquadrado).

  • O Atlético Madrid continuou a demonstrar grandes dificuldades para jogar no último terço do campo, chegando ao 35 minutos do desafio com apenas dois toques na bola na área contrária. Nem Griezmann nem Diego Costa tinha efectuado qualquer remate até então, sendo que o internacional espanhol somava apenas quatro acções com bola.
  • Intervalo Primeira parte de sentido único, com o Sporting a não consentir sequer um remate enquadrado com a sua baliza, ao passo que criou duas ocasiões flagrante e rematou por quatro vezes de forma enquadrada. Para além isso, os “leões” tinham quatro vezes mais bolas colocadas na área contrária do que os espanhóis, mais posse de bola e melhor eficácia de passe, e sete pontapés de canto. Montero era o melhor em campo ao intervalo, somando ao golo marcado sete passes certos em nove e uma falta sofrida em zona de perigo. Com isso, o colombiano levava nota 6.5 nos GoalPoint Ratings, surgindo uns furos acima do melhor do Atlético, o guarda-redes Oblak 6.2, já com três defesas e uma saída a soco.

  • Bom início de segunda parte do Sporting, que voltou a ter mais posse de bola (61%-39%) e melhor eficácia de passe (73%-64%) do que o adversário nos primeiros 15 minutos – período em que ambas as equipas ficaram empatadas em número de remates (dois para cada lado, um deles à baliza). Pouco depois do reatamento do jogo, Diego Costa saiu lesionado, sem qualquer remate efectuado e com três foras-de-jogo assinalados.

  • Aos 70 minutos, dois jogadores do Sporting davam nas vistas no capítulo da distribuição: eram eles Bruno Fernandes, com quatro passes para finalização – tantos quanto a equipa inteira do Atlético Madrid – e Gelson Martins, com 100% de eficácia de passe após 21 entregas, 20 delas no meio-campo adversário.
  • Nos últimos dez minutos da partida, Griezmann desperdiçou duas ocasiões soberanas para empatar a partida, permitindo a defesa a Rui Patrício na primeira e rematando ao lado na segunda. Exibição muito cinzenta do avançado francês, que tinha apenas 61% de passes certos, três duelos ganhos e 17 perdas de posse.

  • Lançado aos 80 minutos para o lugar de Ristovski, Doumbia acabou por nada mudar o rumo dos acontecimentos. O costa-marfinense chegou ao final da partida sem qualquer remate ou passe, embora tenha conseguido vencer quatro duelos e tido sete acções com bola.

O Homem do Jogo 👑

No regresso a Portugal, Jan Oblak recordou os adeptos portugueses o motivo pelo qual é considerado um dos melhores do mundo. Embora tenha ficado aquém do esperado no lance do golo do Sporting, o esloveno foi uma verdadeira muralha no resto da partida, contabilizando seis defesas, três delas a remates de dentro da área, e uma saída a soco. Para além disso, Oblak foi o autor de seis passes longos eficazes e um alívio, terminando a partida com a nota mais alta nos GoalPoint Ratings, um meritório 7.1.

Jogadores em foco 🔺🔻 

  • Bryan Ruiz 6.7 – Teve a nota mais alta do Sporting. Recuperou 12 vezes a bola, sofreu três faltas, venceu sete dos dez duelos em que esteve envolvido e acertou 46 passes. Fez ainda dois remates, ambos à baliza de Oblak.
  • Marcos Acuña 6.5 – Deu nas vistas ao criar uma ocasião flagrante de golo. Fez dez cruzamentos, quatro deles eficazes e registou e quatro dribles eficazes em sete. Somou 108 acções com bola, mais do que qualquer outro jogador, e colocou-a 14 vezes na área contrária. Pela negativa, perdeu a posse em 38 situações.
  • Rúben Ribeiro 5.0 – Pouco interventivo, somou 14 acções com bola e nove passes. Não fez nenhum remate, recuperou três vezes a posse e completou um desarme.
  • Gelson Martins 4.7 – Falhou apenas um dos 32 passes que fez, é certo, mas rubricou uma exibição cinzenta. Desperdiçou uma ocasião flagrante, fez dois remates, ambos desenquadrados, venceu sete dos 17 duelos em que participou, foi desarmado quatro vezes e controlou mal a bola em outras tantas ocasiões.
  • Antoine Griezmann 3.9 – Há noites assim. O francês desperdiçou duas ocasiões flagrantes, foi feliz em metade das suas quatro tentativas de drible e foi apanhado duas vezes em fora-de-jogo. 

GoalPoint-T-shirts-2017-banner