[vc_tta_tabs][vc_tta_section i_icon_fontawesome=”fa fa-line-chart” add_icon=”true” title=”Ratings” tab_id=”1465571624475-01e55dfc-58e2″]
GoalPoint-Sporting-Benfica-LIGA-NOS-201819-Ratings
Clique para ampliar
[/vc_tta_section][vc_tta_section i_position=”right” i_icon_fontawesome=”fa fa-trophy” add_icon=”true” title=”MVP” tab_id=”1465571693503-4a0f9bf6-e654″]
GoalPoint-Sporting-Benfica-LIGA-NOS-201819-MVP
Clique para ampliar
[/vc_tta_section][vc_tta_section i_icon_fontawesome=”fa fa-futbol-o” add_icon=”true” title=”Stats” tab_id=”1465571672809-6f7d6717-7b04″]
GoalPoint-Sporting-Benfica-LIGA-NOS-201819-90m
Clique para ampliar
[/vc_tta_section][/vc_tta_tabs]

O Benfica bateu o Sporting por 4-2 no dérbi de Alvalade e mantém a perseguição ao FC Porto, deixando o anfitrião em grandes dificuldades na luta pelo título. Os “leões” até tiveram mais bola e remataram mais, mas os “encarnados” foram bem mais perigosos, em especial nas transições, criando as únicas quatro ocasiões flagrantes do jogo, mas desperdiçaram três, pelo que o resultado poderia ter sido mais desnivelado a seu favor.

Resumo💻

O Jogo explicado em Números 📊

  • Início de dérbi com algumas cautelas, com lances bem desenhados pelas duas equipas, na tentativa de ultrapassar as defesas com passes rasgados. O Benfica parecia mais seguro no seu futebol e chegou à vantagem aos 11 minutos. Álex Grimaldo fugiu pela esquerda, cruzou e Haris Seferovic, sem marcação, cabeceou com eficácia para o 1-0.

  • O “leão” até tinha mais bola (54% de posse), mas a “águia” facturou ao primeiro remate que fez. E esse domínio sportinguista acentuou-se após o golo, pois a equipa estava em desvantagem e precisava de correr atrás do prejuízo. O Benfica, contudo, voltou a colocar a bola no fundo da baliza leonina, aos 22 minutos, por João Félix, lance anulado pelo VAR, por falta um pouco antes do tento.
  • Aos 24, Seferovic isolou-se, mas permitiu a defesa de Renan Ribeiro, numa altura em que os “encarnados” atacavam menos, mas sempre com muito perigo, chegando aos dois remates enquadrados em três por volta da meia-hora, contra os cinco disparos leoninos, mas apenas um com boa direcção. Ainda assim, o jogo tornou-se mais faltoso chegando às 19 infracções nesta fase, 11 delas por parte do Benfica.

  • Até que essa qualidade benfiquista no ataque acabou por dar frutos novamente. Aos 36 minutos, Seferovic isolou João Félix e este, perante Renan, não desperdiçou o 2-0. As “águias” ampliavam ao sexto remate, quarto enquadrado. O Sporting tinha pela frente uma tarefa difícil, mas não impossível.

  • Tanto não era que o Sporting reduziu aos 43 minutos. Perda de bola do Benfica a meio-campo, Nani fugiu, serviu Bruno Fernandes e este, vindo de trás, rematou forte para o 2-1 – um tento ao sétimo disparo leonino, terceiro com boa direcção. E o jogo estava relançado.
  • Intervalo Primeira parte muito competitiva em Alvalade, com alguns momentos de muito bom futebol e um certo equilíbrio, expresso nos 51% de posse de bola para o Benfica. Os “encarnados” foram sempre mais perigosos no ataque, enquadrando quatro de seis remates, o que lhes garantiu dois golos e vantagem ao descanso. Os comandados de Bruno Lage somavam seis passes para finalização contra somente três dos sportinguistas, e criaram três ocasiões flagrantes, contra nenhuma dos anfitriões. O melhor em campo nesta fase era Seferovic. O Jogador do mês de Janeiro registava um GoalPoint Rating de 7.4 ao intervalo, com um golo e uma assistência em três passes para finalização.

  • A segunda parte começou com o 3-1 para o Benfica, aos 47 minutos. Pizzi bateu um livre da direita e Rúben Dias saltou mais alto que todos e cabeceou colocadíssimo. Não podiam as “águias” recomeçar melhor a partida.

  • Aos 56 minutos, novo golo anulado, desta feita a Seferovic, por fora-de-jogo do suíço. O Benfica continuava a ser muito perigoso, em especial quando conseguia lançar transições rápidas, com muitos jogadores a subir em bloco. Chegada a hora de jogo, os “encarnados” registavam quatro remates no segundo tempo (todos na grande área contrária), dois enquadrados, contra apenas um disparo (para fora) dos “leões”.
  • O goleador leonino Bas Dost estava a sentir muitos problemas para ter bola na grande área benfiquista. Por volta dos 70 minutos somava apenas três acções com bola na área contrária, duas delas no primeiro tempo. Colectivamente, o “leão” já registava mais bola (53% de posse) e mas apenas dois remates no segundo tempo, contra cinco das “águias”.

  • Até que o Benfica acabaria por ampliar, aos 73 minutos. Renan Ribeiro carregou João Félix na grande área e, na cobrança do respectivo penálti, Pizzi fez o 4-1, embora o guardião leonino estivesse perto de defender. E aos 76 minutos, Seferovic acertou no poste e Félix atirou por cima, quando não tinha sequer Renan na baliza.
  • Aos 79 minutos, Abdoulay Diaby reduziu, mas também este tento foi anulado pelo árbitro, por fora de jogo do maliano. E o encontro entrou nos últimos dez minutos com sete jogadores do Benfica no comando dos GoalPoint Ratings, todos acima de 6.0. Colectivamente, as “águias” somavam oito disparos no segundo tempo, três enquadrados, contra somente dois do “leão”, nenhum à baliza.
  • Mas o Sporting acabaria por reduzir. Vlachodimos fez falta sobre Bas Dost na grande área quando o holandês se aprestava para marcar e foi expulso por vermelho directo. Dos, não desperdiçou e fez o 4-2, aos 89 minutos, ao quarto remate sportinguista na segunda parte, segundo enquadrado. E ainda faltava alguns minutos para o final.
  • O Sporting, em vantagem numérica, atirou-se para o ataque, mas mais com a cabeça do que com o coração. O Benfica fechou-se e segurou a vantagem até final.

O Homem do Jogo 👑

Grande jogo de Rúben Dias neste dérbi. O central benfiquista vinha a realizar uma época abaixo do que mostrou em 2017/18, mas em Alvalade esteve em grande plano. O internacional português registou um GoalPoint Rating de 6.8, fruto, acima de tudo, do golo que marcou, o 3-1, mas também dos três desarmes, os três duelos aéreos defensivos ganhos em sete, as oito recuperações de posse e os dois dribles completos em três. Uma noite para recordar para o benfiquista.

Jogadores em foco 🔺🔻 

  • João Félix 6.6 – O jovem benfiquista está a viver um sonho e está feito um senhor jogador. Mais uma vez marcou no dérbi ante o Sporting e realizou uma grande exibição. Para além do golo, em três remates (dois enquadrados), Félix ainda completou três de quatro tentativas de drible e foi sobre ele cometida a grande penalidade que deu o 4-1. Não tivesse desperdiçado uma ocasião flagrante e discutiria o título de MVP.
  • Haris Seferovic 6.6 – O suíço voltou a mostrar porque foi o melhor jogador de Janeiro. Para além de ter inaugurado o marcador, Seferovic fez o passe para o 2-0 e terminou a partida com três entregas para finalização. E ainda atirou uma bola ao poste. Tal como João Félix, as duas ocasiões flagrantes perdidas pelo suíço acabam por ser a a principal razão pela qual não saiu de Alvalade com o MVP.
  • Bas Dost 6.3– O outro ponta-de-lança em campo acabou por ser o melhor do Sporting. O holandês fez um golo, de penálti, tendo sido sobre ele cometida a falta que valeu o castigo máximo. Para além disso, foi o mais rematador da partida, com cinco disparos, três deles enquadrados, e ganhou sete dos 15 duelos aéreos ofensivos em que participou.
  • Álex Grimaldo 6.3 – Na primeira parte era ver o espanhol a subir “furiosamente” pelo seu flanco, a criar muitos problemas à defesa leonina. E num desses lances assistiu Seferovic para o 1-0. Grimaldo completou dois de cinco dribles e somou 14 acções defensivas, entre elas cinco desarmes, não tendo sido driblado uma única vez.
  • Bruno Fernandes 6.2 – O médio fez o 2-1 para o Sporting, num excelente remate cruzado a passe de Nani. Para além disso, fez dois passes para finalização, somou o número máximo de acções com bola do jogo (86) e registou cinco desarmes.

GoalPoint-Passatempo-GoalPoint-Ratings-PS4-Pro-2017-banner