Sporting 🆚 Braga | “Leão” leva Taça da Liga para casa

-

GoalPoint-Sporting-Braga-Taca-da-Liga-202021-Ratings
Clique para ampliar

TotoRating Banner

Na Cidade do Lis, o “leão” foi rei e senhor, rugiu mais alto e “abocanhou” pela terceira vez no seu historial a Taça da Liga. Na final da noite deste sábado, diante do Braga, um golo de Pedro Porro, a quatro minutos do intervalo, bastou ao Sporting para festejar e isolar-se como o segundo clube com mais conquistas, ficando apenas atrás do Benfica, que tem sete troféus no Museu. Destaque para a grande exibição de Sebastián Coates, a travar as investidas finais dos “arsenalistas”.

[ Apesar da pressão intensa do Braga no 2º tempo, os xG terminaram equilibrados ]

GoalPoint-Sporting-Braga-Taca-da-Liga-202021-xG
Clique para ampliar

Resumo 📺

O jogo explicado em números 📊

  • Duas novidades no “onze” elaborado por Rúben Amorim. Nuno Mendes e Jovane foram titulares, ocupando as vagas de Antunes e Nuno Santos, que tinham actuado de início no “clássico” ante o FC Porto. Do lado bracarense, Carlos Carvalhal apostou nos mesmos 11 jogadores que iniciaram o encontro frente ao Benfica. Paulinho continuou no banco de suplentes.

  • Muita luta e pouca “nota artística” no lamaçal em que se transformou o relvado do Estádio Dr. Magalhães Pessoa em Leiria. Nos primeiros 15 minutos, registo apenas para um remate, que saiu desenquadrado, de João Mário, e para um canto que também pertenceu aos “leões”. Ambos os conjuntos tinham muitas dificuldades em circular o esférico e apostavam num jogo mais directo. 

  • A chuva até abrandou, mas o relvado continuava “castigado” e complicava os intentos dos dois conjuntos. Nesta fase, a estatística registava duas tentativas de visar o alvo para cada um dos conjuntos, todas desenquadradas, os “leões” acumulavam duas acções na área e os “arsenalistas” uma, os lisboetas tinham 42% da posse e os bracarenses 58%. O lance mais “quente” ocorreu fora das quatro linhas e valeu a expulsão dos dois treinadores, Rúben Amorim e Carlos Carvalhal, em simultâneo.

  • À passagem da meia-hora Al Musrati era o jogador com melhor nota – 6.2. O médio realizou um passe valioso, falhou apenas dois dos 13 passes feitos (85% de eficácia), somou sete progressões verticais, dois dribles eficazes em três tentados, cinco recuperações da posse e dois desarmes. João Palhinha tinha a melhor avaliação do lado contrário – 5.8.

  • Na primeira jogada de real perigo no encontro, e ao cabo do primeiro remate enquadrado em cinco tentativas, houve golo aos 41 minutos, e para o Sporting. Pedro Porro aproveitou uma má abordagem de Galeno e, com um tiro forte e rasteiro, bateu Matheus. Destaque para a abertura de Gonçalo Inácio no início do lance.

  • Antes do descanso, Pedro Gonçalves, descaído sobre o lado esquerdo, lançou um “míssil”, mas o guardião do Braga impediu males maiores para a equipa nortenha. 

  • Intervalo Ao cabo dos primeiros 45 minutos, a vantagem era leonina. A equipa de Alvalade foi letal e na primeira grande oportunidade que construiu, conseguiu colocar-se na liderança do “placard”. As condições climatéricas – muita chuva e vento – acabaram por ser o principal obstáculo das duas equipas, que até tinham boas intenções, mas acabavam por, invariavelmente, não conseguir chegar com “pujança” e critério à zona das decisões, as únicas excepções foram o remate de Porro e outro de “Pote” minutos depois. O melhor nesta etapa inicial foi Al Musrati, com um GoalPoint Rating de 6.2, da “performance” do todo-o-terreno líbio realce para as oito recuperações da posse que acumulou, dois desarmes e uma intercepção.  

  • Tivemos de esperar até ao minuto 65 para vermos uma jogada de calafrio junto a uma das áreas. Pedro Gonçalves, em boa posição, viu Matheus deter o esférico. Neste período, o detentor do troféu arriscava em busca do empate, deixando apenas os centrais Tormena e David Carmo a vigiar Nuno Santos e Sporar, dupla que entrou no decorrer da partida para os lugares de Jovane Cabral e Tiago Tomás, respectivamente. 

  • Recém-entrado em cena, Iuri Medeiros fez uma boa diagonal, da direita para o centro, e enquadrou o primeiro remate do emblema da Cidade dos Arcebispos após seis tentativas (68′). Instantes depois, Paulinho, sobre a esquerda, acertou em cheio na barra após ter fugido à marcação de Gonçalo Inácio. Foi a tentativa mais flagrante gizada pelos bracarenses. A 11 minutos dos 90, Al Musrati disparou de longe e ficou perto de empatar e, na jogada seguinte, Sporar esteve à beira de dilatar a vantagem na sequência de uma assistência de Matheus Nunes.

  • No tudo ou nada, o Braga continuava a assumir as rédeas, lançava Galeno (esquerda) e Esgaio (direita) a toda a largura, Al Musrati e João Novais guardavam as costas a Sequeira, David Carmo e Tormena, e libertavam Ricardo Horta, Paulinho e Iuri Medeiros. Apesar das diversas investidas contrárias – 11 remates versus sete, 58% e 42% de posse – o Sporting ia conseguindo manter a vantagem e lançava o trio ofensivo sempre que conseguia. Nesta fase, a melhor ocasião saiu dos pés de Iuri, que obrigou Adán a mostrar reflexos. Esgaio ainda colocou a bola dentro da baliza, mas estava em posição irregular.

  • Num último suspiro, e já com Pedro Gonçalves fora de combate – foi expulso por protestos –, João Novais, na cobrança de um livre directo, viu Adán negar-lhe a glória.

  • Pouco depois surgiu o apito final, com o “leão” a sorrir e a vencer mais uma Taça da Liga. Pela segunda época consecutiva, Rúben Amorim viu uma equipa por ele orientada levantar o troféu, o mesmo sucedendo a João Palhinha, que na temporada transcorrida militava no SC Braga. Por sua vez, os minhotos falharam o objectivo de alcançar a terceira vitória numa edição da competição.

[ O passe mais frequente do Sporting foi precisamente o que deu o golo ]

GoalPoint-Sporting-Braga-Taca-da-Liga-202021-pass-network
Clique para ampliar

O melhor em campo GoalPoint👑

Que exibição de Coates. Se não foi a melhor, com certeza terá sido uma das melhores do defesa-central uruguaio desde que representa o Sporting, e registou o melhor GoalPoint Rating do jogo, um óptimo 7.8, ainda mais para um jogador que actua na posição central do eixo defensivo. Intransponível, o capitão foi um rochedo, tendo acumulado 14 recuperações da posse, dois desarmes, quatro intercepções, nove alívios – máximos esta noite -, 55 acções com a bola, não perdeu nenhum dos quatro duelos aéreos defensivos em que interveio e ainda registou quatro dribles eficazes em cinco realizados.

Jogadores em foco 🔺🔻

  • Nuno Sequeira 7.2 – Pulmão inesgotável, o defensor foi o melhor elemento dos “guerreiros”. Da sua folha de registos, destaque para 13 passes longos, 77 acções com a bola, 13 recuperações, quatro desarmes, duas intercepções e três alívios. Ponto negativo: dividiu com Galeno culpas no lance decisivo do jogo.
  • Iuri Medeiros 6.4 – Revolucionou em apenas 31 minutos o ataque e deu imensas dores de cabeça a Nuno Mendes. Rápido e voraz, realizou três remates, dois dos quais enquadrados, três passes valiosos e dois dribles eficazes em três tentados.
  • Adán 6.3 – Apenas na etapa final o espanhol foi obrigado a mostrar serviço e novamente disse presente com cinco defesas, duas das quais feitas em remates na área “verde-e-branca”.
  • Matheus Nunes 6.1 – Voltou a entrar bem num jogo e apresentou-se num bom plano nos 26 minutos em acção. Realce para a assistência que criou e que Sporar não logrou marcar, aquele que seria o 2-0 para o Sporting. Além disso, deu um novo fôlego ao meio-campo e recuperou a posse em três ocasiões. 
  • Paulinho 6.0 – Entrou no início da segunda parte e a diferença em relação a Abel Ruiz esteve à vista. Viu a barra “defender” um petardo que lançou, tendo ainda dado diversos problemas aos defensores leoninos.
  • Pedro Porro 5.5 – Aproveitou a falta de diálogo entre Sequeira e Galeno e não perdoou, desferindo uma “bomba” que foi decisiva. O ala espanhol foi “do inferno ao céu”, num encontro que não lhe começou bem, mas que acabou por terminar de feição. Além do tento, no único remate que fez, registou dois cruzamentos e oito recuperações de posse, no entanto foi quem mais falhou passes, ao todo 23, sendo que sete foram de risco, acertou apenas um dos quatro dribles tentados e amealhou 39 perdas da posse, outro máximo negativo. Mas o minuto 41 acabou por “maquilhar” estas stats do internacional sub-21 espanhol.
  • Pedro Gonçalves 4.6 – Estava a ser um dos melhores jogadores em campo, mas foi expulso já em período de descontos e tal acabou por influenciar o seu rating. Até esse momento foi autor de dois remates, nove acções com a bola dentro da área – máximo esta noite – e acertou dois dos cinco dribles gizados.

GoalPoint
GoalPoint
O GoalPoint.pt é um site produzido pela GoalPoint Partners, uma start-up especializada em análise estatística de futebol, que oferece serviços dirigidos a profissionais, media, patrocinadores/anunciantes e adeptos.
GoalPoint

GRÁTIS
BAIXAR