GoalPoint-Sporting-Rio-Ave-LIGA-NOS-201819-Ratings
Clique para ampliar
GoalPoint-Sporting-Rio-Ave-LIGA-NOS-201819-MVP
Clique para ampliar
GoalPoint-Sporting-Rio-Ave-LIGA-NOS-201819-90m
Clique para ampliar

O Sporting aproveitou o deslize do SC Braga e já ocupa o terceiro posto de forma isolada, após bater o Rio Ave por 3-0. A equipa vilacondense tentou do início ao fim lutar por um resultado melhor, mas não teve argumentos para discutir o resultado frente a um Sporting muito eficaz, como comprovam os três golos marcados em cinco remates à baliza, e que controlou a partida desde o minuto 12, quando chegou à vantagem. Para a História fica ainda mais uma grande exibição de Bruno Fernandes, que juntou à sua colecção mais um título de melhor da partida, o oitavo da época no campeonato.

Resumo💻

O Jogo explicado em Números 📊

  • Bom início de partida da equipa do Sporting, coroado com um golo logo aos 12 minutos, por Luiz Phellype, num contra-ataque letal lançado pelos “leões” após um pontapé de canto na sua área. Os homens de Marcel Keizer chegaram aos 15 minutos do desafio com mais remates do que o adversário (2-1), mas em ligeira desvantagem no que diz respeito a posse de bola (47%-53%) e eficácia no passe (83%-85%).
  • Volvidos 25 minutos desde o início da partida, o Rio Ave continuava sem uma única acção com bola na área do Sporting. Bruno Moreira, a unidade mais ofensiva dos vila-condenses, somava apenas cinco toques na bola e dois passes, ambos mínimos na formação visitante.

  • Gabrielzinho era um dos poucos jogadores do Rio Ave que pareciam interessados num resultado melhor. Aos 30 minutos do desafio, o avançado brasileiro somava 12 duelos, mais sete do que qualquer companheiro de equipa, seis recuperações de bola e ainda três faltas sofridas.
  • O Sporting chegou ao 2-0 aos 36 minutos, numa grande penalidade convertida por Bruno Fernandes após falta sobre Luiz Phellype dentro da grande área. Décimo quinto golo no campeonato por parte do médio português, que ultrapassou Bas Dost na lista dos melhores marcadores dos “leões” na presente época.

  • Intervalo Vantagem justa da equipa do Sporting, que até se deu ao luxo de desperdiçar uma ocasião flagrante de golo, perante um Rio Ave que, apesar de afoito, raramente conseguiu criar perigo junto da baliza defendida por Renan Ribeiro. De salientar ainda o facto de os vilacondenses terem vencido 60% dos duelos que disputaram e cometido apenas três faltas durante toda a primeira parte – quase um quarto do número de infracções assinaladas à equipa da casa. No regresso aos balneários, Luiz Phellype liderava os GoalPoint Ratings, com nota 7.0, graças em grande parte ao golo apontado e à grande penalidade sofrida, a que somava ainda um cruzamento eficaz e um alívio.

  • Após o reatamento da partida, o Sporting foi à procura de uma forma de “matar” o jogo, chegando ao 3-0 aos 54 minutos, num remate de fora da área de Wendel, que momentos antes ameaçara a baliza defendida por Léo Jardim. O golo dos “leões”, que contou com uma assistência de Bruno Fernandes – a 11ª da época para o campeonato -, espelhou o domínio dos da casa nos primeiros 15 minutos do segundo tempo, período em que o Rio Ave não fez um único remate apesar de ter tido 49% de posse de bola.

  • O Rio Ave esteve perto de fazer o 3-1 aos 76 minutos, num remate de Tarantini que Renan Ribeiro travou a dois tempos. Na origem da jogada esteve uma bola longa de Filipe Augusto, o jogador em claro destaque na equipa do Rio Ave, com 41 passes para o meio-campo adversário, mais 15 do que qualquer outro jogador da sua equipa e mais três até do que Bruno Fernandes.
  • O Sporting baixou o ritmo de jogo com o terceiro golo e chegou aos 85 minutos sem um único remate à baliza desde o disparo certeiro de Wendel. Por esta altura, os “leões” tinham apenas 42% de posse e continuavam a ser menos eficazes do que o adversário na troca de bola (86%-92%).

O Homem do Jogo 👑

Jogo a jogo, Bruno Fernandes vai demonstrando o motivo por que é uma das figuras desta época desportiva. Frente ao Rio Ave, o médio português assumiu novamente as rédeas da sua equipa, criando quatro ocasiões de remate – mais três do que qualquer outro jogador -, uma delas resultante em golo. Para além disso, apontou ainda um golo de grande penalidade, no único disparo à baliza que fez, e somou três passes longos eficazes, dois deles para o último terço do campo. Ajudou ainda a sua equipa nas tarefas defensivas com dois duelos aéreos ganhos e quatro desarmes. Apesar de ter sido o jogador com mais perdas de posse (24) e maus controlos de bola (quatro), Bruno Fernandes fechou a noite com a nota mais alta nos GoalPoint Ratings, um 8.0, somando o seu oitavo título de MVP no campeonato esta época.

Jogadores em foco 🔺🔻 

  • Luiz Phellype 7.5 – Esteve ligado a dois golos, marcando o primeiro e sofrendo a grande penalidade que deu origem ao segundo. Criou ainda uma ocasião de remate e disputou quatro duelos aéreos ofensivos, vencendo dois.
  • Wendel 7.2 – Apontou o golo que fechou o activo, num dos dois remates à baliza de que foi autor. Errou apenas quatro passes em 62, foi eficaz em duas tentativas de drible e somou nove recuperações de posse, o máximo da noite.
  • Coates 6.0 – Exibição segura do central uruguaio, que contabilizou nove acções defensivas. Curiosamente, disputou apenas um duelo aéreo, no qual foi batido.
  • Rúben Semedo 5.3 – Errou apenas um passe em 55 tentativas e somou 60 acções com bola e sete recuperações. Deu ainda nas vistas com quatro alívios.
  • Fábio Coentrão 4.6 – Foi o jogador com mais acções com bola (100). Errou quatro passes no seu próprio meio-campo, o máximo da noite, e cometeu um erro resultante em remate.