OSporting respondeu em grande estilo à derrota averbada em Vila do Conde, com um triunfo por 4-2 em casa, sobre o Estoril Praia. A formação leonina fez uma boa segunda parte, com intensidade e critério no ataque, sem dar grandes hipóteses ao visitante para criar perigo, excepto na parte final. Bas Dost bisou, tal como Bruno Gomes, André estreou-se a marcar, mas William Carvalho brilhou mais alto.

Dominar sem brilhar

A primeira parte não foi brilhante. Ficou marcada pelo golo de Bas Dost de cabeça, aos 13 minutos, após centro de Gelson Martins – ao terceiro remate, segundo enquadrado, na terceira assistência de Gelson na Liga -, e pelo domínio seguro do Sporting, mas sem muita intensidade ou rasgos individuais. Grande parte da culpa deveu-se ao Estoril, pouco afoito na procura do contra-golpe, mas também a William Carvalho, implacável a eliminar as transições contrárias. O médio foi mesmo o melhor em campo no primeiro tempo, com um GoalPoint Rating de 6.7, graças a 93% de eficácia nos 60 passes realizados, mais dez recuperações, 69 toques e cinco duelos ganhos em cinco.

Seguiu-se Adrien Silva com 6.2 e Gelson Martins, com 6.1. O extremo voltou a estar em evidência pela velocidade e pela terceira assistência em seis partidas, mas também 94% de 33 passes certos. A certeza no passe foi mesmo uma das características do “leão” no primeiro tempo, e aos 30 minutos registava uma eficácia de 90% nas entregas – terminou com 88%, novo máximo da Liga até ao momento. Porém tudo se complicava no último terço, perante o recuo de um inofensivo Estoril, pelo que os passes para ocasião rarearam – só cinco dos “leões”, dois do Estoril.

Mais critério atacante

Se no primeiro tempo o Sporting apenas enquadrou dois dos seis remates que realizou, na segunda a pontaria melhorou, e o 2-0 e o 3-0 surgiram em apenas três disparos, dois deles enquadrados. Aos 59 minutos, Coates fez o 2-0 de cabeça, o seu segundo tento na Liga, no seguimento de um canto da direita cobrado por Bryan Ruiz. E aos 62, Bas Dost isolou-se e fez o 3-0, após excelente passe de William – que estabeleceu um novo recorde de passes certos nesta Liga NOS.

Mesmo com todas as substituições, nada se alterou na tendência do jogo, com o Sporting a manter uma posse de bola acima dos 65% e o Estoril encolhido, a ganhar o seu primeiro canto do jogo aos 81 minutos. Os homens da casa tinham nos corredores autênticas autoestradas, como atestam os 45,6% de ataques pelo flanco direito, onde João Pereira conseguiu sete cruzamentos, cinco deles eficazes – excelente!

Ainda assim, o Estoril conseguiu reduzir, aos 85 minutos, com Bruno Gomes a concluir um centro da esquerda de Gustavo. Conseguiu-o ao primeiro remate enquadrado dos “canarinhos” na partida. Mas tempo houve ainda para André estrear-se a marcar pelo Sporting (91′), assistência de Bryan Ruiz, e para Bruno Gomes bisar (93′) – os seus dois primeiros golos na Liga.

William a destruir e a criar

Muitas vezes William Carvalho é acusado de apenas ser eficaz nos momentos defensivos do jogo do Sporting, mas esta sexta-feira também foi influente no processo ofensivo. Para além das 15 recuperações de posse de bola, quatro intercepões e de ter ganho seis dos sete duelos individuais que disputou, integrou-se também no ataque, rematando por duas vezes (desenquadradas) e realizando uma assistência. E ainda acertou 92% dos passes e tocou 122 vezes na bola. Um verdadeiro pêndulo, pelo que foi o melhor em campo, com 7.3 final no GoalPoint Rating, à frente de Bas Dost.

O atacante holandês também registou 7.3, perdendo apenas por centésimas para William, graças aos dois golos que marcou nos dois remates enquadrados (em cinco). E fez quatro disparos de cabeça, também ele recorde da Liga NOS num só jogo à sexta jornada. Do lado estorilista, destaque absoluto para Bruno Gomes, que estreou-se a marcar no campeonato português, e logo com um bis em Alvalade. Os 7.1 no GoalPoint Ratings atestam a eficácia do avançado, que fez dois golos em três remates.

Outros números:

  • João Pereira 6.6 – Grande noite do lateral. Ter Bas Dost ajuda, mas João Pereira completou cinco dos seus sete cruzamentos e foi o sportinguista que mais ocasiões criou (3)
  • Gelson 6.6 – Endiabrado mais uma vez. Tentou seis dribles e concretizou cinco, um deles deu origem ao primeiro golo
  • Bryan Ruiz 5.6 – Fez duas assistências para golo, mas borrou a pintura com uma ocasião flagrante falhada
  • Jefferson 4.9 – O destaque pela negativa no Sporting. Esteve péssimo naquela que é uma das suas principais qualidades, errando os 11 cruzamentos que efectuou.
GoalPoint | Sporting vs Estoril | Liga NOS 2016/17 | Ratings
Clique para ampliar
GoalPoint | Sporting vs Estoril | Liga NOS 2016/17 | MVP
Clique para ampliar
GoalPoint | Sporting vs Estoril | Liga NOS 2016/17 | 45m
Clique para ampliar
GoalPoint | Sporting vs Estoril | Liga NOS 2016/17 | 90m
Clique para ampliar