GoalPoint-Sporting-Nacional-LIGA-NOS-201819-Ratings
Clique para ampliar
GoalPoint-Sporting-Nacional-LIGA-NOS-201819-MVP
Clique para ampliar
GoalPoint-Sporting-Nacional-LIGA-NOS-201819-90m
Clique para ampliar

O Sporting averbou mais três pontos na Liga NOS, ao vencer em casa o Nacional da Madeira por 5-2. A formação leonina esteve a perder por 2-0, mercê de uma primeira parte pobre em termos ofensivos, mas na etapa complementar o “leão” reentrou com outra atitude e intensidade e deu a volta ao marcador, através de uma exibição de grande qualidade, expressa nos muitos remates e, em especial, na eficácia dos mesmos. Destaque para os 14 disparos dentro da área nacionalista, num total de 20. Do lado negativo as 25 faltas cometidas pelos homens da casa. Quanto aos madeirenses, uma palavra para o seu futebol positivo, quase “romântico”, negando-se a defender a vantagem conseguida, nunca deixando de atacar.

Resumo💻

O Jogo explicado em Números 📊

  • O encontro começou praticamente com o primeiro golo madeirense. João Camacho, aos seis minutos, recebeu a bola à entrada da área leonina, de costas para a baliza, voltou-se e rematou colocado para um grande golo, no primeiro disparo de todo o encontro. Nesta altura os “leões” assumiam as despesas iniciais da partida, mas viam-se em desvantagem madrugadora.
  • O primeiro quarto-de-hora pertenceu ao Sporting em termos de despesas ofensivas, com 63% de posse de bola. Porém, a objectividade era do Nacional, que registava os três únicos remates da partida, dois deles com boa direcção e um que deu golo. A formação da casa atacava muito, mas não rematava, nem na sequência de cantos, somando três nesta fase.

  • Os madeirenses aproveitaram esse facto para ampliar a vantagem aos 26 minutos. Bom trabalho da equipa no lado direito do ataque, Jota Garcês cruzou e Aleksandar Palocevic, na grande área, de cabeça, não desperdiçou. Um golo que surgiu ao quinto remate dos visitantes, terceiro com boa direcção. O Sporting não passava de uma tentativa.
  • O “leão” procurava melhorar. Muita bola por volta da meia-hora (60% de posse), 88% de eficácia de passe, três cantos, seis cruzamentos de bola corrida, mas não rematava. A inoperância ofensiva era o grande problema leonino, que não conseguia colocar a bola em Bas Dost, nem jogadores em quantidade na área nacionalista.

  • Porém, o Sporting acabou por reduzir, pelo suspeito do costume. O árbitro assinalou falta de Vítor Gonçalves sobre Bas Dost na grande área e o holandês, aos 25 minutos, não desperdiçou o castigo máximo, atingindo os nove golos na Liga.
  • Intervalo Surpresa em Alvalade ao descanso. O Sporting foi para os balneários a perder por 2-1 e esteve mesmo em desvantagem de dois golos, precisando de uma grande penalidade convertida por Bas Dost para marcar. O “leão” até dominou, esteve bem no passe, intenso, mas demorou a encontrar espaço para rematar, pelo que apenas em cima do minuto 34 realizou o seu segundo disparo. O Nacional, por seu turno, cedo começaram a alvejar a baliza de Renan Ribeiro, e com qualidade, como mostram os quatro enquadrados em oito. O melhor em campo a meio do jogo era o sérvio Aleksandar Palocevic, com um GoalPoint Rating de 6.7, com um golo em três remates (dois enquadrados), e um passe para finalização.

  • Bom reinício de partida, com velocidade, em especial por parte do Sporting, a conseguir imprimir um outro ritmo ao seu jogo e a registar três disparos no primeiro quarto-de-hora após o descanso, embora só um enquadrado. Os nacionalistas realizaram um, com má direcção.

  • O jogo estava com uma grande intensidade e o Sporting aproveitou esse facto – bem como a recusa do Nacional em recuar e defender o resultado – para empatar, aos 70 minutos. Bas Dost surgiu isolado, Daniel saiu da baliza, mas o holandês conseguiu tocar no último momento, o suficiente para a bola sofrer um desvio e chegar a Bruno Fernandes, que só teve de encostar. Um golo ao sexto remate leonino no segundo tempo, terceiro enquadrado, num total de 13 disparos da equipa da casa.
  • E a reviravolta acabaria mesmo por aparecer. Na conversão superior de um livre directo, aos 75 minutos, Mathieu apontou um grande golo, num remate colocado. O “leão” mostrava na segunda parte uma eficácia ofensiva que não se havia visto no primeiro tempo.

  • A entrada de Miguel Luís, ao intervalo, para o lugar de Bruno César foi decisiva na mudança operada pelo Sporting. O jovem médio imprimiu uma outra velocidade na circulação de bola e uma clarividência que lhe valia três passes para finalização, o máximo do jogo.
  • E aos 87 minutos, o 4-2. O árbitro assinalou falta de Kalindi sobre Bas Dost na área e o holandês não falhou (à segunda conversão), chegando aos dez tentos nesta Liga NOS. O culminar de uma grande exibição leonina na segunda parte surgiu com o 5-2, em período de descontos, marcado por Bruno Fernandes na sequência de um espectacular lance de contra-ataque.

O Homem do Jogo 👑

Grande segunda parte do Sporting, que por si só justifica a vitória leonina pelos números gordos finais. A reviravolta, contudo, começou a ser construída na primeira parte, num golo de Bas Dost de penálti, na sequência de uma falta sobre o holandês. Dost acabou mesmo por ser o melhor em campo, com um GoalPoint Rating de 8.9, ao bisar, ambos os golos de grande penalidade, sendo os lances assinalados por infracções sobre o ponta-de-lança. No final registou cinco remates, três enquadrados e quatro duelos aéreos ofensivos ganhos em oito.

Jogadores em foco 🔺🔻 

  • Bruno Fernandes 6.6 – Não tivesse o médio desperdiçado uma ocasião flagrante e o seu rating seria, certamente, bem mais elevado. Bruno Fernandes bisou, num total de sete remates, quatro deles enquadrados, e completou três de quatro tentativas de drible.
  • Mathieu 6.4 – Grande golo marcou o francês, de livre directo. Esta foi a sua contribuição ofensiva, mas para os registos, destaque para os sete alívios e os quatro duelos aéreos defensivos ganhos em cinco.
  • Miguel Luís 6.3 – O jovem médio entrou apenas ao intervalo, para o lugar de Bruno César, e revolucionou o futebol leonino. O registo final apresenta uma ocasião flagrante criada em quatro passes para finalização e eficácia no único cruzamento que realizou. Isto tudo em apenas 45 minutos.
  • João Camacho 6.2 – O extremo-direito do Nacional foi um quebra-cabeças para o Sporting no primeiro tempo. Para além de ter inaugurado o marcador, registou dois remates, ambos enquadrados, e completou quatro das seis tentativas de drible.
  • Renan Ribeiro 6.0 – Seria injusto não referir o guardião leonino. O brasileiro terminou com três defesas, duas delas a remates dentro da sua área, e desviou um disparo ao ângulo. Numa das intervenções negou um golo a Brayan Riascos que poderia ter colocado em causa a reviravolta leonina.

GoalPoint-Passatempo-GoalPoint-Ratings-PS4-Pro-2017-banner