Sporting 🆚 Portimonense | Paulinho Natal dá três prendas

-

A 11ª vitória consecutiva do Sporting. O “leão” teve de sofrer na primeira parte – chegou ao intervalo em desvantagem – para acordar na segunda e descobrir os caminhos para a baliza visitante. O condutor da “locomotiva” sportinguista foi Paulinho, autor de um “hat-trick” e da melhor exibição desde que chegou a Alvalade. Agora é ver o “clássico” entre Porto e Benfica “de cadeirinha”. Quanto ao Portimonense, muito bem até à expulsão de Pedro Sá, com o 3-2 – que golo de Possignolo! – a premiar uma exibição de qualidade.

GoalPoint-Sporting-Portimonense-Liga-Bwin-202122-Ratings
Clique para ampliar

Sofrer antes de arrasar

Primeira parte muito complicada para o Sporting. Paulo Sérgio, treinador dos algarvios, havia dito na conferência de imprensa de antevisão da partida que o sistema leonino era fácil de perceber, porém difícil de contrariar, mas os homens de Portimão conseguiram-no. Recuados no terreno, atentos às suas costas, deram pouca profundidade para o “leão” explorar e foram os visitantes a fazê-lo, através de contra-ataques rápidos. Aos dez minutos, Nakajima obrigou Adán a defender para a barra, e aos 21 o Portimonense marcou, com Matheus Reis a fazer autogolo. Muito Sporting no jogo, mas algarvios mais felizes. O outro Matheus, o Nunes, era o MVP ao intervalo, com 6.9, graças a extraordinários quatro passes para finalização em 45 minutos.

A vida complicou-se para o Portimonense aos 58 minutos, quando Pedro Sá, um dos esteios do “miolo” algarvio, viu o segundo amarelo e foi expulso. Esse evento balanceou ainda mais o Sporting para o ataque, mas os algarvios eram em maior número na área e iam resolvendo os problemas, obrigando os “leões” a muitos remates de fora da área (eram dez em 15 por volta dos 63 minutos). 

Contudo, a insistência acabou por compensar e o empate chegou aos 65 minutos, num belo cabeceamento de Paulinho, numa das poucas vezes que conseguiu fugir às marcações. E esta era mesmo a noite do ponta-de-lança português que, aos 76 minutos, bisou, a aproveitar uma bola perdida na área. Aos 84 consumou mesmo o “hat-trick”, a finalizar com tranquilidade na grande área após centro atrasado de Pedro Gonçalves. O corolário natural da superioridade leonina na segunda parte, perante um Portimonense que caiu a pique com a expulsão de Pedro Sá. Destaque ainda para um golão de Lucas Possignolo, já nos descontos.

[ Só um “leão” (excepto Adán) com posicionamento médio atrás da linha de meio-campo ]

GoalPoint-Sporting-Portimonense-Liga-Bwin-202122-pass-network
Clique para ampliar

O MVP GoalPoint👑

Exibição portentosa de Paulinho. O portimonense chegou a Alvalade com a lição bem estudada, tirou espaços ao “leão” e só os começou a conceder após a expulsão de Pedro Sá. Foi então que Paulinho, inteligente a perceber o problema que os algarvios enfrentavam, soube deambular na área contrária e colocar-se sempre sozinho, nos espaços vazios, sem marcação, conseguindo assim três golos, o máximo de remates da partida (6) e de enquadrados (4), bem como dois passes para finalização e seis ofensivos valiosos. Terminou com GoalPoint Rating de 9.1.

Outros  Ratings 🔺🔻

Destaques do Sporting

Matheus Nunes 7.4 – O melhor do primeiro tempo, ultrapassado “pela direita”, e a grande velocidade, por Paulinho no segundo. Matheus fez quatro passes para finalização, todos na etapa inicial, seis ofensivos valiosos, dois passes super aproximativos e seis variações de flanco. Conseguiu ainda completar todas as quatro tentativas de drible.

Pedro Gonçalves 7.3 – Muito futebol ofensivo de “Pote”, mesmo que não tenha marcado. Segundo mais rematador, com cinco disparos, três enquadrados, fez uma assistência em quatro passes para finalização e ainda somou seis acções com bola na área contrária.

Pablo Sarabia 6.2 – Quase marcou um golão na primeira parte. Não o conseguiu, mas somou cinco remates, dois enquadrados, três passes para finalização, sete ofensivos valiosos e dez acções com bola na área contrária, máximo.

Sebastián Coates 6.2 – O uruguaio sentiu algumas dificuldades perante a velocidade dos atacantes algarvios, a explorar a profundidade, mas compensou com oito passes aproximativos, dois duelos aéreos ofensivos ganhos em cinco e sete recuperações de posse.

João Palhinha 6.1 – O “trinco” saiu por volta da meia-hora, quando o Sporting precisava de correr atrás do prejuízo e não necessitava da sua acção abrangente no meio-campo (Portimonense estava com dez). Destaque para dois remates, ambos enquadrados, e seis recuperações de posse.

Nuno Santos 6.1 – Mais uma assistência do ala, que continua a mostrar-se em todo o corredor esquerdo. Nuno Santos fez dois passes para finalização, o máximo de passes ofensivos valiosos (9), teve êxito em três de 12 cruzamentos e fez três passes super aproximativos.

Matheus Reis 6.0 – Azarado na primeira parte, fez o autogolo que deu vantagem aos visitantes. Mas não se deixou afectar, terminando com o máximo de passes certos do jogo (97 em 104), de acções com bola (114) e de conduções aproximativas, nada menos que 11, novo máximo da Liga.

Daniel Bragança 5.9 – O médio entrou para a derradeira meia-hora, a tempo de fazer quatro passes ofensivos valiosos e completar as duas tentativas de drible.

Gonçalo Inácio 5.8 – Números semelhantes aos de Matheus Reis (tirando as conduções). Gonçalo acertou 95 passes em 100, somou 109 acções com bola e ainda dois passes para finalização e seis ofensivos valiosos.

Geny Catamo 5.7 – Mais uma estreia de um jovem pela mão de Rúben Amorim. Geny entrou para o lugar de Ricardo Esgaio para dar poder ofensivo ao lado direito, e consegui isso mesmo. O moçambicano de apenas 20 anos fez um passe para finalização, uma condução super aproximativa e ganhou os dois duelos aéreos defensivos em que participou.

Antonio Adán 5.0 – O espanhol acabou por não ter muito trabalho, mas quando teve, fez uma defesa, difícil, desviando um remate de Nakajima para a barra.

Destaques do Portimonense

Samuel Portugal 7.5 – Mais uma grande exibição do guarda-redes brasileiro na casa de um “grande” lisboeta. A diferença para o jogo da Luz é que desta vez não conseguiu manter a sua baliza inviolada, mas acabou com nove defesas, igualando o máximo de “paradas” da Liga Bwin 21/22.

Lucas Possignolo 6.9 – Além de sólido a defender, com três intercepções e seis alívios, subiu ao ataque para marcar um golão.

Shoya Nakajima 4.6 – Temos de falar do japonês. A primeira parte deixou água na boca, com aquele remate que Adán desviou para a barra. Terminou com três dribles completos em seis tentativas, mas no passe esteve muito mal, com oito falhados em 15.

Pedro Tudela
Pedro Tudela
Profissional freelancer com 19 anos de carreira no jornalismo desportivo, colaborou, entre outros media nacionais, com A Bola e o UEFA.com.