O Sporting CP não foi além de um nulo na recepção ao Rio Ave FC e foi apanhado (e mesmo ultrapassado, devido à diferença de golos) pelo SL Benfica na classificação, somando ambos 52 pontos. O domínio total dos “leões” na posse de bola, no ataque, nos remates, em suma, em quase todos os vectores do jogo esbarrou na competência defensiva da formação contrária e, em especial, no guarda-redes Cássio, uma autêntica muralha à frente da sua baliza. Foi o terceiro empate caseiro dos lisboetas esta época. Mas desengane-se quem pense que os vila-condenses não causaram perigo.

Liga NOS 2015/16 - Jornada 21 - Sporting vs Rio Ave
Clique na infografia para ampliar (infografia: GoalPoint)

A partida em Alvalade promoveu as estreias de Sebastián Coates a titular e de Hernán Barcos na segunda parte. Mas esse facto não trouxe benefícios directos ao Sporting. Num jogo mexido e com muitas oportunidades de golo junto das duas balizas, foram os “leões” que mais quiseram chegar ao golo, como mostram os números ao intervalo e no final. Já no descanso a equipa de Jorge Jesus dominava, com dez remates (seis enquadrados) contra sete e três à baliza dos contrários, para além dos 65% de posse de bola. E após os 90 minutos apenas nos duelos individuais essa liderança mudou.

No final, 71% de posse para os da casa, 20 remates, oito à baliza em 14 finalizações realizadas de dentro da grande área do Rio Ave. Números mais que suficientes para que o golo surgisse. Mas do outro lado esteve uma defesa férrea, competente, pragmática e um guarda-redes imbatível. No final, os visitantes registaram apenas 44% de passes certos, o valor mais baixo da época na Liga NOS (o anterior recorde negativo era de 47,5%, pertencente ao União a Madeira, também frente aos “leões”), que corresponderam a 128 passes errados, também recorde negativo – demonstrativo da forma como a equipa defendeu, muitas vezes com bolas para a bancada.

Cássio como o aço

O recorde de defesas num só jogo esta temporada na Liga NOS pertence a José Sá, com nove. Cássio havia alcançado oito no Estádio do Dragão e repetiu o feito esta segunda-feira em Alvalade. O guardião brasileiro foi o grande responsável pelo nulo verificado na partida, ao parar o mesmo número de remates enquadrados conseguidos pelo Sporting. Cássio registou 7.5 no GoalPoint Ratings e foi o jogador mais valioso da noite. Mas há outros nomes a reter, como o de Roderick Miranda (com 6.4) e Wakaso (6.6). O defesa-central realizou oito alívios e seis intercepções e ajudou a “secar” Islam Slimani (5.3). O médio Wakaso destacou-se nas intercepções (seis) e alívios (quatro) e ganhou 72,7% dos duelos individuais

Do lado do Sporting, Adrien Silva voltou a ser o mais esclarecido. Fez cinco remates, três deles enquadrados, sendo a par de Slimani o elemento que mais tentou acertar na baliza contrária. Acertou ainda 88,2% de 76 passes e realizou cinco desarmes, o que lhe valeu, no final, 6.7 no nosso GoalPoint Ratings. De resto, uma palavra para Coates, que conseguiu 6.5 no seu jogo de estreia, fruto em parte de oito intercepções, quatro desarmes, e sobretudo pelos 68,4% de 19 duelos ganhos, 90% de dez pelo ar – um pouco em contra-ciclo com o que registava ao serviço o Sunderland, em Inglaterra, algo que se compreende.

Nota: Os GoalPoint Ratings resultam de um algoritmo proprietário desenvolvido pela GoalPoint que pondera exclusivamente o desempenho estatístico dos jogadores ao longo da partida, sem intervenção humana. Clique para saber mais.

> NA PRÓXIMA PÁGINA: O JOGO COMO O VIMOS