GoalPoint-Sporting-Rosenborg-BK-Europa-League-201920-Ratings
Clique para ampliar

Três jornadas, dois triunfos e uma derrota. O Sporting chegou aos seis pontos no Grupo D da Liga Europa, depois de esta noite ter vencido o Rosenborg, em Alvalade, por 1-0. Na primeira vez que os dois emblemas mediram forças, houve apenas um golo, à passagem do minuto 70, obra e graça da “cabecinha pensadora” e valiosa de Yannick Bolasie, que assinou o primeiro tento com as cores “verdes-e-brancas”.

O jogo explicado em números 📊

  • O duelo começou num ritmo lento. Apenas aos dez minutos os jogadores leoninos animaram as bancadas. Marcos Acuña subiu no terreno pela esquerda, cruzou com precisão, Luiz Phellype cabeceou com perigo, mas a bola, que ainda resvalou num braço de Hovland, saiu a escassos centímetros do poste direito da baliza contrária.

  • Sete minutos volvidos, Bruno Fernandes, na conversão de um livre directo, rematou e a bomba embateu com estrondo na barra da baliza do Rosenborg. Galvanizados, os “leões” voltaram a carregar no acelerador minutos depois, com Vietto, de cabeça, a ficar próximo do golo.
  • Com o passar dos minutos, o Rosenborg foi ganhando confiança. Ameaça após ameaça, aos 33 minutos, na sequência de um canto, Coates aliviou a bola, que tocou em Doumbia e quase bateu Renan. A bola tocou na trave.

  • Não obstante controlar a posse de bola, os “leões” tinham muitas dificuldades em gizar lances de perigo. A formação norueguesa aproveitava a intranquilidade dos comandados de Silas para ameaçar e em cima do descanso, Lundemo rematou com relativo perigo.
  • Intervalo No espaço de dez minutos, a formação de Silas deu um ar da sua graça e criou três situações perigosas. Mas voltou a falhar na finalização e não conseguiu marcar, dando confiança ao adversário. Nos primeiros 45 minutos, Mathieu, que falhou apenas um dos 42 passes que realizou, era o melhor em campo, com um GoalPoint Rating de 6.0. Acuña, com 5.8, exibia-se também a um bom nível e do lado do ainda campeão da Liga norueguesa, o guardião André Hansen, sempre seguro, era o dono do melhor rating 6.4.

  • Foi preciso puxar o cronometro até ao minuto 68 para se assistir a um lance digno de perigo. Na conversão de um livre direto, Mathieu assumiu a responsabilidade, mas o remate do francês saiu um pouco ao lado do poste direito contrário. E não tardou para surgir o golo “verde-e-branco”. Dois minutos segundos depois, Bolasie, com ajuda de Hovland, cabeceou e inaugurou o marcador, num lance “às três tabelas”.

  • Com o golo, o Sporting conseguiu gerir a preciosa vantagem e somou um importante triunfo após o desaire ante o Alverca na terceira eliminatória da Taça de Portugal. Os “leões” não foram brilhantes, longe disso, mas conseguiram superiorizar-se a um adversário inferior e que continua sem somar pontos nesta edição da Liga Europa.

O melhor em campo GoalPoint👑

André Hansen foi o melhor jogador em campo no palco de Alvalade. O guardião teve um GoalPoint Rating de 7.0 , dados que premeiam as cinco defesas que realizou e a segurança demonstrada sempre que foi chamado a intervir – três dessas intervenções a remates de dentro da sua grande área. Do lado dos anfitriões, o “goleador” da noite, Bolasie6.9 – esteve em evidência, ao protagonizar dois remates enquadrados, um dos quais resultou no único golo do encontro, e ainda completou as suas duas tentativas de drible.

Jogadores em foco 🔺🔻

  • Renan Ribeiro 6.6  – Sempre que foi chamado à acção, respondeu à altura. Três intervenções, todas a remates na sua área, e muita segurança ajudaram a defensiva leonina nos momentos de maior aperto.
  • Acuña 6.2  – De volta ao lado esquerdo da defesa, o argentino foi um dos motores leoninos, principalmente na primeira parte. Esteve seguro nas acções defensivas mas foi nas ofensivas que esteve melhor, com três passes para finalização e três cruzamentos eficazes em seis.
  • Mathieu 6.1 – Face à inoperância dos colegas da frente, arriscou o golo em duas ocasiões, e quis sempre sair a jogar – dos 69 passes que realizou falhou apenas cinco e acertou oito de dez longos. Demonstrou sempre muita disponibilidade física.
  • Bruno Fernandes 6.0 – O “abono de família” leonino não foi brilhante, mas batalhou e tentou a sorte dele em inúmeras ocasiões. Foram seis remates, máximo da partida, um dos quais embateu com estrondo na trave da baliza do Rosenborg – porém não enquadrou nenhum.
  • Rosier 5.2 – Exibição “burocrática” do lateral-direito francês. É verdade que cumpriu nas missões defensivas, com três desarmes, mas nunca arriscou nas subidas ao ataque, terminando com apenas um cruzamento e um passe para finalização.