No próximo sábado, o Estádio José Alvalade recebe um dos encontros mais aguardados da presente edição da Liga NOS. Após terem perdido o primeiro lugar da tabela classificativa, os “leões” deverão dar tudo por tudo para derrotar o FC Porto que agora ocupa a primeira posição do campeonato. Nas 14 jornadas disputadas, os “dragões” continuam invictos com 11 vitórias e apenas três empates. A equipa de Jorge Jesus, por outro lado, perdeu o primeiro jogo na jornada passada e procura regressar aos triunfos.

É importante olhar para alguns números estatísticos para perceber as duas realidades que se vão defrontar no próximo sábado. A diferença pontual no campeonato é de apenas um ponto. Caso a vitória sorria aos pupilos de Lopetegui, os “auis-e-brancos” entram em 2016 com tudo. Uma vitória em casa do rival, que este ano se tem apresentado como um verdadeiro candidato ao título, pode colocar o FC Porto dependente apenas de si próprio. Contudo, caso a vitória sorria aos anfitriões, a frente do campeonato pode voltar a dar uma cambalhota e colocar os “leões” num lugar que era seu até à 14ª jornada.

À luz dos golos, o FC Porto de Lopetegui já começa a vencer. Com 30 golos marcados, os “dragões” são a segunda equipa mais concretizadora do campeonato, deixando os “leões” à distância de seis tentos. Mas à partida para este encontro há já um empate que salta à vista de todos, nos golos sofridos, ambas as equipas assumem-se como as melhores defesas, com apenas sete tentos encaixados. Mas vamos então a muitas outras particularidades que, como já vem sendo hábito, apenas a nossa análise lhe oferece.

De cabeça ou de penalty

Sporting vs Porto
(foto: J. Trindade)

Há uma certa tendência para se associar Slimani aos golos de cabeça. O argelino possui um forte porte físico e quase 1,90m de altura, o que o torna uma verdadeira ameaça no jogo aéreo. E a verdade é que o Sporting acaba por vencer no número de tentativas de cabeceamento, ao somar 39, contra 31 do FC Porto, ao longo das 14 jornadas. Os “dragões”, por outro lado, demonstram uma maior capacidade concretizadora quando recorrem ao cabeceamento, com o Porto a possuir oito golos de cabeça contra apenas quatro do Sporting.

Em jeito de brincadeira, Julen Lopetegui afirmava que ninguém conhecia o especialista das grandes penalidades do Porto. Com muita ou pouca razão, a verdade é que dos 30 golos marcados pelos “azuis-e-brancos”, apenas um foi conseguido através da marca dos 11 metros. Do outro lado da barricada, o Sporting de Jorge Jesus destaca-se pelo número de golos obtidos através de grande penalidade. Com um total de cinco golos, os “leões” vêem os penalties assumir um peso de 21% no total de golos da equipa.

Dragão perdulário

Sporting vs Porto
(foto: J. Trindade)

Nesta edição da Liga NOS, Aboubakar tem sido um elemento em destaque, mas, por vezes, pelas piores razões. O camaronês tem estado bastante aquém das expectativas no que diz respeito ao número de golos e tem sido um rosto em evidência nas ocasiões desperdiçadas pelos “dragões”. Apesar de os números não diferirem muito, a verdade é que o Porto já falhou cerca de 24 grandes oportunidades, que contrastam com as 21 do Sporting.

Por outro lado, os ferros das balizas adversárias também têm visto mais disparos “azuis-e-brancos” do que “verdes”. O conjunto portista já atirou quatro bolas aos ferros, enquanto os “leões” apenas duas. Números que, apesar de tudo, ficam longe dos 11 do Benfica ou dos dez do Braga.

> NA PRÓXIMA PÁGINA: A BATALHA DO “MIOLO”