GoalPoint-Sporting-Vorskla-Europa-League-201819-Ratings
Clique para ampliar
GoalPoint-Sporting-Vorskla-Europa-League-201819-MVP
Clique para ampliar
GoalPoint-Sporting-Vorskla-Europa-League-201819-90m
Clique para ampliar

O Sporting fechou a participação no Grupo E da Liga Europa com mais uma vitória. A formação leonina recebeu e venceu o Vorskla Poltava por 3-0, golos marcados na primeira parte, e terminou com 13 pontos, em segundo lugar, atrás do Arsenal, fixando o máximo de pontos que alguma vez registou numa fase de grupos. Para a história um domínio incontestável em todos os aspectos do jogo, apesar das muitas alterações no “onze” inicial, com destaque para Fredy Montero.

O Jogo explicado em Números 📊

  • Boa entrada do Sporting, com 58% de posse de bola no primeiro quarto-de-hora, três remates, dois enquadrados e uma ocasião flagrante desperdiçada pelo jovem Miguel Luís. Contudo, aos 17 minutos, o golo apareceu mesmo. Cruzamento de Acuña da esquerda, Carlos Mané amorteceu (involuntariamente) e Fredy Montero, de cabeça, não desperdiçou.

  • O jogo não ganhou muito com o golo. O Sporting continuou a dominar e a atacar mais, mas a intensidade diminuiu com a vantagem leonina. Por volta da meia-hora, os homens da casa haviam enquadrado quatro dos seus seis remates e registavam 88% de eficácia de passe. Os ucranianos só somavam um remate, sem a melhor direcção.
  • Mas aos 35 minutos, Miguel Luís, que havia desperdiçado uma excelente oportunidade no início do jogo, ampliou a vantagem. Boa jogada do Sporting, com Bruno Fernandes a centrar rasteiro para o médio, que só teve de empurrar. Um golo ao sétimo remate leonino, quinto enquadrado.

  • Muita facilidade leonina para chegar à área contrária. Dos oito remates à chegada ao minuto 40, a formação sportinguista fez sete dentro da área contrária, enquanto o Vorskla registava somente duas acções com bola na área leonina. E ainda antes do descanso surgiu o 3-0. Mais uma vez Bruno Fernandes a fugir entre o central e o lateral, a cruzar para Montero, mas Ardin Dallku antecipou-se e desviou para a própria baliza.
  • Intervalo Boa primeira parte de um Sporting com muitas alterações em relação à equipa habitualmente titular. Aos 60% de posse de bola, os “leões” juntaram muita mobilidade nos momentos ofensivos, em especial no último terço, aliada a uma boa pressão sob o portador da bola dos ucranianos. A formação de Alvalade rematou muito e bem, com cinco disparos enquadrados em oito, apresentou competência no passe e não deixou o Vorskla atacar. O melhor em campo ao descanso era Fredy Montero, autor de um golo em dois remates, ambos enquadrados, uma ocasião flagrante em dois passes para finalização e dois dribles completos – registava um excelente GoalPoint Rating de 8.1.

  • Início de segunda parte confuso, com o Sporting a perder um pouco de intensidade e… Fredy Montero por lesão. Por volta da hora de jogo os “leões” haviam aumentado o domínio para 67% de posse de bola, rematado três vezes, mas sem criar perigo.
  • Mas aos poucos o perigo voltou a rondar a baliza ucraniana, com o recém-entrado Pedro Marques a tentar mostrar serviço. Mas dos jogadores em campo por volta dos 70 minutos, o destaque ia todo para Miguel Luís, com um rating de 7.0, fruto de um golo, dois remates (enquadrados), 92% de eficácia de passe e nove recuperações de posse, contra apenas oito perdas.

  • Jogo completamente controlado pelos “leões”, sem darem veleidades ao Vorskla e a recuarem um pouco no terreno, com a ideia clara de realizar passes de ruptura para isolar algum dos jogadores que surgissem em velocidade de trás. O Sporting conseguiu alguns lances destes, mas a eficácia ofensiva já não era a mesma.

O Homem do Jogo 👑

“El Avioncito” foi titular e agarrou a oportunidade com ambas as mãos, apesar de ter jogado apenas 58 minutos. Montero saiu lesionado, mas já tinha feito o suficiente para ser a figura da partida, com um desempenho de grande qualidade. O GoalPoint Rating de 8.3 reflectia, entre muitos outros detalhes, um golo em dois remates (ambos enquadrados), uma ocasião flagrante criada em três passes para finalização, 19 passes completos em 21 e as duas tentativas de drible eficazes.

Jogadores em foco 🔺🔻 

  • Marcos Acuña 7.3 – A actuar a defesa-esquerdo, o argentino começou por construir o lance que acabou no 1-0 e terminou com um desempenho de grande qualidade. Para além de uma ocasião flagrante criada em três passes para finalização, o esquerdino teve sucesso em dois de três cruzamentos, recuperou 16 vezes a posse de bola, fez cinco desarmes e concluiu duas de cinco tentativas de drible.
  • Miguel Luís 6.9 – O jovem médio voltou a brilhar quando chamado à equipa. Apesar de ter desperdiçado uma ocasião flagrante logo a abrir, Miguel Luís acabaria por se redimir com o 2-0, terminando com 93% de eficácia de passe, 95 acções com bola e dez recuperações de posse.
  • Bruno Fernandes 6.6 – Mais um belo jogo do internacional luso, que se mostra solto de amarras tácticas, mas mantém uma disciplina colectiva que lhe permite ajudar no colectivo e desequilibrar na frente. Para além de uma assistência em três passes para finalização, Bruno Fernandes completou três de quatro tentativas de drible.
  • Oleksandr Tkachenko 6.5 – Apesar da derrota clara, o melhor dos ucranianos foi o seu guarda-redes. Tkachenko teve muito trabalho, em especial na primeira parte, mas foi mais eficaz na segunda, mantendo a sua baliza inviolada. No total registou sete defensas, cinco a remates dentro da sua grande área.
  • Carlos Mané 6.3 – O extremo aproveitou bem a oportunidade de somar minutos na equipa leonina, com uma exibição marcada por três remates, um passe para finalização, cinco acções defensivas e oito recuperações de posse. E ainda esteve envolvido no 1-0.