Já vimos quase tudo o que havia a ver sobre o que fizeram Sporting e Benfica (estatisticamente) até aqui, nesta Liga NOS. Sobra ainda algo que fez algum sucesso entre quem nos acompanha, aquando do lançamento do último Benfica vs. Porto: a identificação de quem cria mais ocasiões de golo através do passe, entre os dois rivais que se defrontam nesta jornada. Mas desta vez fomos um pouco mais longe, revisitando também quem mais remata e, entre esses, quem mostra maior cumplicidade com o fundo das redes, para lá dos óbvios Slimani e Jonas. Vamos a isso.

Um Gelson a merecer melhor destino

Jorge Jesus torna a nossa tarefa de escolha de um “onze” base uma tarefa difícil, sobretudo no eixo da defesa e nas alas, sectores onde castigos (Carrillo), lesões e novas chegadas têm correspondido a uma muito maior rotatividade do que o rival Benfica. Tal como no caso dos “encarnados” optámos pelos jogadores com mais minutos nesta Liga daí o aparecimento de Gelson em vez do (mais vezes) titular na primeira metade da época, Teo Gutiérrez.

Tendo em conta este pormenor olhamos, em primeiro lugar, quem mais cria ocasiões de golo através do passe entre os “leões” e, entre esses, os que têm tido melhor sorte (assistências):

Sporting Vs. Benfica | De onde vem o perigo dos rivais
Clique na infografia para ampliar (infografia: GoalPoint)

Curiosos (e ingratos) os números de Gelson Martins. O extremo leonino, apesar de não merecer a titularidade oferece dois passes para ocasião de golo a cada 90 minutos disputados, registo muito próximo do líder leonino das assistências, João Mário e de Jefferson, um “habitual” leonino neste domínio, nas últimas épocas. A diferença? O aproveitamento que os companheiros dão aos seus passes, visto que Gelson ainda não somou qualquer passe para golo.

Grande ausente neste capítulo? André Carrillo, o líder de assistências leonino nas últimas duas épocas e que, quando deixou de dar o seu contributo aos “leões” registava já uma média de 1.9 passes para ocasião a cada 90 minutos e uma assistência.

Jonas, o jogador total*

* excepto nos derbies

Olhemos agora os mesmos números, relativos ao Benfica:

Sporting Vs. Benfica | De onde vem o perigo dos rivais
Clique na infografia para ampliar (infografia: GoalPoint)

Os números “encarnados” são bastante mais generosos, o que não admira pois os encarnados são a equipa ofensivamente mais produtiva da Liga NOS. O tridente Pizzi-Gaitán-Jonas apresenta números verdadeiramente impressionantes, com destaque para o médio com nome de ex-avançado do Barça, que vai figurando nos jogadores que mais passes para ocasião oferecem em toda a Europa. No entanto os líderes de aproveitamento são outros: Gaitán, o rei das assistências de 2014/15 não surpreendem mas Jonas é outra história. Como se não bastassem os 26 golos na Liga o brasileiro lidera também, a par do argentino, em assistências no Benfica. Problema? O facto de, até hoje, Jonas não contar para o “totobola” nos grandes dérbies e clássicos. Será desta vez que o brasileiro aparece ou tornar-se-á cada vez mais um caso de estudo “Jekyll and Hide”?

> NA PRÓXIMA PÁGINA: OS REMATADORES DOS RIVAIS