GoalPoint-Suíça-Costa Rica-WC2018-Ratings
Clique para ampliar
GoalPoint-Suíça-Costa Rica-WC2018-MVP
Clique para ampliar
GoalPoint-Suíça-Costa Rica-WC2018-90m
Clique para ampliar

A Suíça confirmou a presença nos oitavos-de-final do Mundial, ao empatar 2-2 com a Costa Rica. Num jogo típico das duas equipas – helvéticos dominadores, costa-riquenos recuados, mas a chegar rápido ao ataque -, a igualdade ajusta-se por isso mesmo, pelo que as duas equipas mostraram naquilo que são melhores. Agora, a formação europeia vai defrontar a Suécia, terça-feira, às 15h00.

Os helvéticos pegaram no jogo de imediato, registando uma posse de bola na primeira parte de 67%. Um domínio que se previa, até pela forma recuada como a Costa Rica costuma abordar os seus jogos, mas a verdade é que os costa-riquenhos foram sempre ambiciosos e chegaram ao descanso com tantos remates quanto os suíços, e mais três enquadrados. Não espanta, por isso, que o melhor jogador na etapa inicial fosse Yann Sommer, o guarda-redes da Suíça, com um rating de 7.0, graças a quatro defesas.

Ainda assim, os suíços só precisaram de um disparo na direcção da baliza para marcarem, aos 38 minutos, por Blerim Dzemaili, a “fuzilar” Keylor Navas após assistência de cabeça de Breel Embolo.

A resposta da Costa Rica surgiu logo aos 56 minutos, quando, na sequência de um canto apontado por Joel Campbell, Kendall Waston saltou mais alto que todos e cabeceou para o empate. Um resultado que começou a surgir como o mais plausível, e confirmou-se. Mas antes do final houve mais golos. Aos 88 minutos, o suplente Josip Drmic finalizou de primeira para o 2-1, após assistência de outro recém-entrado, Denis Zakaria. E bem dentro do período de descontos, aos 93 minutos, a Costa Rica voltou a empatar, num penálti cobrado por Bryan Ruiz que acertou na barra e nas costas de Sommer – um autogolo.

No final, típico domínio da Suíça, com muita posse de bola (62%), eficácia de passe (86%), mas a permitir muitos ataques em transição à Costa Rica, como é hábito nesta equipa. Assim, não espanta que o melhor em campo fosse um avançado costa-riquenho, Joel Campbell, que terminou com um GoalPoint Rating de 8.8, mercê de uma assistência em quatro passes para finalização e seis dribles certos em dez tentativas.

GPR-contest-World-Cup-2018-leaderboard-1