Após analisarmos os eventuais três “pecados” de Rui Vitória no derby da oitava jornada,  fundamentados nos números que acabam por exprimir também, quantitativamente, os pontos fortes demonstrados pelo Sporting na Luz, chega a hora de comentarmos, numa perspectiva mais táctica, as três “virtudes” que permitiram aos “leões” de Jesus anular e bater, de forma incontestada, o bicampeão no seu reduto. Vamos a elas.

Virtude #1: Jogo defensivo do “6”

Agenda Sporting CP SL Benfica
foto: J. Trindade

Apesar de ter estado mal a decidir na fase de construção baixa, na primeira parte William Carvalho demonstrou uma inteligência de posicionamento fulcral. Apesar de bastante fixo no centro do terreno, o médio-defensivo anulou por completo Jonas, em parceria com Paulo Oliveira. Na segunda parte vimos um pressing em bloco alto, bastante mais agressivo a atacar à zona, onde William chegava muitas vezes à área adversária.

Três golos, três virtudes de Jorge Jesus no derby

No geral o Sporting fez sempre uma basculação compacta e bem dirigida, sendo que por vezes vimos os “leões” usarem um método zona pressionante, encaminhando o jogo “encarnado” para a linha lateral, não permitindo aos da casa grandes veleidades pelo corredor central.

Virtude #2: Um jovem “cérebro”

Sporting CP Agenda
foto: J. Trindade

A inteligência de João Mário na etapa de construção alta e nas transições de etapa foi fulcral nesta vitória. O jovem médio conseguiu sempre, de forma perfeita, gerir ritmos de jogo e posse de bola. Na fase defensiva conseguiu fechar o centro do terreno, movimentando-se mais para junto dos médios-centro.

Três golos, três virtudes de Jorge Jesus no derby

A sua visão de jogo e capacidade de manter a calma quando sob pressão ajudaram Jorge Jesus a manter o controlo das operações no meio-campo.

> NA PRÓXIMA PÁGINA: SLIMANI ARRASTA