O Wolfsburgo apresenta algumas baixas de vulto para o embate com o Sporting CP, a contar para os 16 avos-de-final da Liga Europa, esta quinta-feira. São eles Guilavogui, Luiz Gustavo e ainda Perisić, sendo que os dois últimos são peças muito importantes da equipa que mais sensação tem causado na Bundesliga.

sistema

UMA FORÇA… LATERALIZADA

A equipa comandada por Dieter Hecking tem nas suas individualidades uma grande arma, mas a nível táctico o seu ponto forte é o recurso ao jogo exterior na etapa de criação. Jogadores como Schurrle, Caligiuri ou mesmo Zhang Xizhe podem fazer a diferença nos corredores, mas mais perigosa ainda é a enorme colaboração entre defesas-laterais (Vieirinha lidera aliás em assistências a par de De Bryune) e extremos (outra posição que o português alterna com a de lateral). Ambos os laterais são muito ofensivos, fazendo diversos movimentos de over-lapping e cruzando com muita qualidade para o “pinheiro” Bas Dost. Realce também para o jogo directo para os extremos (que tentam muitas vezes explorar as costas dos defesas contrários).

ataque

DESEQUILÍBRIOS PROMISSORES

O detalhe menos positivo desta equipa é, curiosamente, uma consequência do seu ponto forte, uma vez que jogam com os seus laterais muito subidos. Esta característica deixa alguns “buracos” nas alas para o Sporting explorar. Este pormenor não é tão preocupante no lado esquerdo da defensiva germânica, pois Ricardo Rodriguez é forte na recuperação defensiva e Knoche não é demasiado lento. Porém, no lado direito, Vieirinha é um defesa-lateral adaptado e, apesar de estar a demonstrar extrema competência no lugar, não tem os instintos e rotinas naturais de um lateral de raiz, com a agravante de Naldo ser um central um pouco lento devido à sua elevada estatura. Assim, na fase ofensiva dos alemães, o Sporting pode e deve explorar esses espaços quer pela entrada de Montero nessas zonas, quer pelas bolas em profundidade para os dois extremos.

defesa

O PERIGO BELGA

A nível das individualidades, apesar dos bons números de Bas Dost, este não será o seu elemento mais perigoso. O holandês é um ponta-de-lança altíssimo, joga muito bem no apoio e demonstra enorme inteligência nas movimentações, contudo o real perigo desta equipa reside no jovem talento Kevin De Bruyne.

http://youtu.be/m2fDSht1jqc

O belga é muito forte na transição defesa-ataque e é dotado de uma qualidade técnico-táctica acima da média, para além de um remate de meia-distância e visão de jogo de grande qualidade, detalhes que os “leões” têm de precaver.

> PUBLICAMOS AINDA HOJE: O DESEMPENHO COMPARADO DE SPORTING E WOLFSBURG. SE GOSTOU DESTE ARTIGO LEIA TAMBÉM A ANÁLISE DO FC BASEL, O ADVERSÁRIO DOS DRAGÕES NA LIGA DOS CAMPEÕES.