Tendências: Adepto, o comentador “popstar” do futuro

São cada vez mais os adeptos de futebol britânicos que saltam da obscuridade para o estrelato, fruto dos novos canais de "TV" youtube e do seu potencial "viral". Serão estes alguns dos comentadores do futuro?

Andy Tate é, até ao momento, o maior exemplo da nova tendência: o adepto "popstar"
Andy Tate é, até ao momento, o maior exemplo da nova tendência: o adepto “popstar”

Em Inglaterra começa a afirmar-se um fenómeno recente mas muito popular: o aparecimento dos adeptos “pop stars”, ilustres anónimos que após um primeiro comentário público se tornam sucessos virais associados aos clubes que apoiam (ou, em certos momentos, criticam). Em Portugal já tivemos alguns exemplos episódicos desta “moda”, sendo o mais persistente Paulo Parreira, conhecido como “o adepto possuído“. Já por solo britânico, o aparecimento de canais youtube feitos por adeptos e a estes dirigidos tem proporcionado uma rápida ascensão destes divertidos, peculiares e sensacionais adeptos “estrela”. Revelamos em seguida alguns exemplos, na expectativa de que o fenómeno chegue em breve a Portugal de forma mais sistematizada, e desejando o evitar do risco que retira a originalidade e sucesso a estes curiosos comentadores: o momento em que se começam a levar demasiado a sério.

1. Andy “I don’t care” Tate

Provavelmente o exemplo mais popular e disseminado, Andy Tate é hoje uma figura que, quando identificada em redor de um estádio, motiva pedidos de fotografia e autógrafos. O sucesso de Andy surgiu pela câmara do canal Full Time Devils e nunca mais parou, dando origem a uma proliferação de brincadeiras em redor das suas expressões, sotaque e desabafos de desilusão durante a curta mas traumática estadia de David Moyes no comando do Manchester United.

Mas como expectável, o reaparecimento recente mostrou-nos um Andy menos exuberante, a levar-se (demasiado) a sério. Esperamos que alguém o aconselhe a regressar ao estilo original, inimitável.