O SL Benfica não poderia desejar melhor adversário para recuperar da derrota no derby do que o macio CD Tondela. As “águias” marcaram cedo e nunca tiveram de se esforçar verdadeiramente para construir um resultado robusto de 4-0.

Rui Vitória quis claramente dar um abanão na equipa depois da derrota frente ao Sporting CP no derby. A entrada de Anderson Talisca para o meio-campo, para o lugar de André Almeida, é disso prova. Na esquerda, Eliseu deu lugar a Sílvio; na frente, Raúl Jiménez manteve o lugar (Kostas Mitroglou ficou de fora por lesão); mas a grande surpresa foi mesmo a inclusão do jovem lateral-direito Clésio, de 21 anos, que assim se estreou na equipa principal do Benfica (sem deslumbrar, diga-se).

O Tondela tentou usar as suas armas, um 4x2x3x1 na tentativa de ocupar bem os espaços do meio-campo, mas pouco ou nada conseguiu, e quando parecia pronto para reagir, sofreu um golo que “matou” o jogo.

POBREZA TOTAL

A primeira parte foi tão pobre que nos é difícil descrevê-la. Isto mesmo com os três golos apontados pelo Benfica. Os lisboetas marcaram cedo, aos quatro minutos, por Jonas, e dominaram praticamente todos os 45 minutos, mas foi um domínio assente em posse (70,6% nesta fase) e na certeza do passe (87%, mas chegou a ultrapassar os 90%). Mesmo com um Benfica desinspirado, a verdade é que o Tondela nunca conseguiu criar verdadeiro perigo e até nos duelos individuais os da Luz estiveram melhor, com 62,5% ganhos.

O segundo tento surgiu de um autogolo de Markus Berg e durante muito tempo o Benfica chegou a ter dois golos apontados… num único remate. E terminou a primeira parte a ganhar por 3-0 e com dois disparos! Valeu o terceiro tento, de Gonçalo Guedes, que contornou Cláudio Ramos (substituiu o lesionado Matt Jones) após brilhante assistência de Jonas. Avançado brasileiro que fez, com o 1-0, o seu oitavo golo em oito jogos, na sexta assistência de Gaitán (Jonas fez a terceira no 3-0). Nota ainda para os cantos: apenas um para cada lado, sendo que o primeiro surgiu apenas à meia-hora.

Para resumir o que se passou em campo até ao intervalo, destaque para os remates. O Tondela fez quatro, dois enquadrados, o Benfica dois disparos, o mesmo número no alvo. O resultado… 0-3. Mas também para os passes: 247 dos visitantes, 96 dos da casa.

>> NA PRÓXIMA PÁGINA: MAIS REMATADOR