[vc_tta_tabs][vc_tta_section i_icon_fontawesome=”fa fa-line-chart” add_icon=”true” title=”Ratings” tab_id=”1465571624475-01e55dfc-58e2″]
Clique para ampliar
[/vc_tta_section][vc_tta_section i_position=”right” i_icon_fontawesome=”fa fa-trophy” add_icon=”true” title=”MVP” tab_id=”1465571693503-4a0f9bf6-e654″]
Clique para ampliar
[/vc_tta_section][vc_tta_section i_icon_fontawesome=”fa fa-futbol-o” add_icon=”true” title=”Stats” tab_id=”1465571672809-6f7d6717-7b04″]
Clique para ampliar
[/vc_tta_section][/vc_tta_tabs]

O FC Porto somou o segundo triunfo na Liga NOS e junta-se a Sporting e . Os “dragões” bateram o Tondela, na casa deste, por 1-0, num jogo de sentido único, sem grande brilho, é certo, mas no qual justificou em pleno os três pontos arrecadados. Tiveram mais bola e mais remates, e foram mais fortes nos duelos, e em nenhum detalhe os da casa foram melhores. Aboubakar foi decisivo, numa partida em que os dois laterais portistas se revelaram uns furos acima dos demais jogadores.

Resumo💻

O Jogo explicado em Números 📊

  • Jogo de sentido (quase) único nos primeiros dez minutos. Porto com 80% de posse de bola perante um Tondela expectante e veloz nas transições. Nesta fase apenas um remate para cada lado, desenquadrado, com os da casa a pecarem na eficácia de passe (apenas 48%).

  • Portistas donos da bola, mantendo a posse nos 79% pelos 20 minutos, mas sem espaço de penetração. A consequência foi um jogo mastigado, com muitos passes, mas com 55% do jogo a desenrolar-se na zona central.
  • Boa primeira meia-hora de Ricardo Pereira, com um GoalPoint Rating de 6.1. Apenas um passe falhado, um passe para finalização, um cruzamento eficaz em duas tentativas, três desarmes e três duelos ganhos em cinco disputados.

  • Até que aos 37 minutos, ao oitavo remate, o Porto marcou. Alex Telles atirou em zona frontal, muito torto, mas a bola foi ter caprichosamente aos pés de Aboubakar. O camaronês rematou para primeira defesa de Cláudio Ramos, mas o guardião nada pôde fazer perante a recarga do atacante. Foi o primeiro golo de Aboubakar nesta Liga, ao 11ª remate.
  • Intervalo Apesar das poucas ocasiões de golo, a verdade é que o Porto aproveitou a mais flagrante, com o golo de Aboubakar. Até ao apito do árbitro, jogo marcado pelo domínio total dos “dragões”, que terminaram o primeiro tempo com 68% de posse de bola, nove remates contra dois, dois enquadrados (contra nenhum do Tondela), 82% de eficácia de passe e 65% de duelos ganhos. Ao descanso, os melhores em campo eram os dois laterais portistas, Ricardo Pereira e Alex Telles. O português somava o melhor GoalPoint Rating, com 6,5, graças a três passes para finalização (um deles para ocasião flagrante), dois cruzamentos eficazes em três tentativas e três desarmes.

  • Reentrada forte dos comandados de Sérgio Conceição, sempre de olhos na baliza contrária. Nos primeiros 15 minutos do segundo tempo registavam 63% de posse, dois remates, embora sem a melhor direcção, e mais uma vez superioridade absoluta nos duelos individuais (64% desde o descanso). Aos 63 minutos, Aboubakar atirou ao poste.

  • O Tondela parecia incapaz de importunar Iker Casillas, apesar de ter aumentado para 38% a sua posse de bola. Porém, aos 75 minutos, os homens da casa não tinham realizado qualquer remate no segundo tempo. E Marega esteve perto de marcar, um remate para uma estupenda defesa de Cláudio Ramos. Nesta altura, o Porto somava seis remates só na etapa complementar, mas só um enquadrado.
  • E o pendor de jogo manteve-se até ao final, apesar das substituições mais conservadoras de Conceição. O Tondela apenas perto do final realizou o seu primeiro remate do segundo tempo, e enquadrado, diga-se. Mas a equipa de Pepa nunca justificou o empate. O Porto terminou por cima, com 64% de posse de bola, 16 remates, quatro enquadrados, seis cantos e 62% de duelos ganhos.

O Homem do Jogo 👑

O Porto construiu grande parte da sua superioridade pelas faixas laterais, onde dois jogadores brilharam. Mas só um ficou no topo do GoalPoint Ratings, e esse foi Alex Telles, com uns excelentes 7.3. O brasileiro voltou a mostrar as suas melhores características, com dois remates, quatro passes para finalização (uma de ocasião flagrante), dois cruzamentos eficazes em sete tentativas, e ainda 79 toques na bola (apenas atrás dos 81 de Danilo Pereira). E colocou 16 vezes a bola na área adversária – o dobro dos segundos melhores registos. Ganhou ainda seis de sete duelos aéreos e registou sete alívios e quatro intercepções.

Jogadores em foco 🔺🔻 

  • Ricardo Pereira 6.8 – O lateral-direito português foi o melhor da primeira parte e manteve o bom nível na etapa complementar. Fui importante a atacar, momento em que registou três passes para finalização e fez dois cruzamentos eficazes em quatro tentativas. A defender, fez também desarmes.
  • V. Aboubakar 6.6 – Fez o seu primeiro golo nesta Liga NOS, ao 11º remate, e à segunda tentativa perante Cláudio Ramos. No total fez quatro remates, dois deles enquadrados, e ganhou quatro duelos aéreos em seis.
  • Marcano 6.4 – Tal como frente ao Estoril, o capitão portista voltou a ser importante, e mais uma vez dominou nos alívios, com dez registados este domingo. Ganhou 11 dos 13 duelos em que participou (sete de oito aéreos).
  • Bruno Monteiro 5.5 – O melhor do Tondela. O médio registou seis desarmes, o máximo do jogo a par dos somados por Ricardo. Fez ainda quatro alívios, recuperou nove vezes a bola e ganhou sete de 18 duelos.
  • Marega 4.6 – O homem do jogo dos “dragões” frente ao Estoril foi, desta feita, o pior do FC Porto. Isto apesar de ter terminado como o mais rematador do encontro, com seis disparos. No entanto, apenas enquadrou dois e desperdiçou uma ocasião flagrante, para além de ter somado cinco controlos de bola deficientes.

GoalPoint-T-shirts-2017-banner