GoalPoint-Tottenham-Bayern-Champions-League-201920-Ratings
Clique para ampliar

Histórico. O Bayern de Munique foi a Londres golear o Tottenham por 7-2, um resultado pouco habitual e que mancha para sempre o currículo dos “spurs” nas provas europeias. Pela primeira vez a formação inglesa sofreu sete golos em casa em grandes competições e esta é a margem mais dilatada de golos com que uma equipa de Inglaterra saiu derrotada perante o seu público em desafios da UEFA. Serge Gnabry (formado no rival dos “spurs”, o Arsenal) foi autor de um “poker”.

O jogo prometeu muitos golos desde o início, com jogadas de parada e resposta de um lado e do outro numa primeira parte frenética. Os bávaros chegaram ao intervalo em vantagem por 2-1, fruto de uma maior capacidade de concretização dos seus remates, numa fase de equilíbrio ofensivo entre as duas formações. Son Heung-Min até colocou os homens da casa em vantagem, mas Joshua Kimmich e Robert Lewandowski deram a volta ao marcador antes do descanso.

Até que surgiu em cena Gnabry. O extremo alemão abriu o livro e realizou uma segunda parte de sonho, com quatro golos intercalados apenas por um outro de Lewandowski. Uma exibição tremenda que lhe valeu nota máxima nos GoalPoint Ratings, um 10.0 que reflecte não só os quatro tentos, mas também o facto de ter enquadrado os cinco remates que realizou, ter somado uma assistência em dois passes para finalização e completado as três tentativas de drible.

Quanto ao Bayern, o destaque vai para a grande eficácia ofensiva, sendo que terminou o jogo apenas com mais dois remates enquadrados do que o Tottenham (10-8) e com “modestos” expected goals (xG) de 1,4, abaixo dos 2,0 dos ingleses. Um verdadeiro caso de estudo.