JOGABILIDADE, REALISMO E… “MIÚDAS”

São muitas as novidades que a EA apresenta este ano ao nível da jogabilidade, realismo e ambiente geral do jogo. Desde a introdução de equipas femininas (pela primeira vez num videojogo de futebol), a novas opções defensivas, são muitas as inovações propostas, abrangendo não só a jogabilidade mas também aquilo em que o FIFA se destacou da concorrência ao longo dos anos: a apresentação e grau de imersão que busca para cada partida disputada.

Em boa verdade, e tirando alguns pormenores sempre disponíveis para melhoria, a jogabilidade já era há muito o ponto forte de FIFA 16, sobretudo quando jogado em modo offline.

Aguardamos com alguma expectativa a comparação entre a jogabilidade offline e aquela que é oferecida nos modos multiplayer, sobretudo no modo Ultimate Team. Nos últimos dois anos o modo Ultimate Team desiludiu um pouco neste capítulo, apresentando uma versão simplificada e visivelmente automatizada da riqueza que podiamos desfrutar numa partida offline. Esperamos assim o regresso ao melhor online de FIFA, para podermos nomear FIFA 16 COMO o melhor FIFA de sempre. A seu tempo publicaremos a antevisão e análise oficial GoalPoint de FIFA 16, tal como sucedeu há um ano com FIFA 15.