[vc_tta_tabs][vc_tta_section i_icon_fontawesome=”fa fa-line-chart” add_icon=”true” title=”Ratings” tab_id=”1465571624475-01e55dfc-58e2″]
GoalPoint-Setúbal-Sporting-LIGA-NOS-201819-Ratings
Clique para ampliar
[/vc_tta_section][vc_tta_section i_position=”right” i_icon_fontawesome=”fa fa-trophy” add_icon=”true” title=”MVP” tab_id=”1465571693503-4a0f9bf6-e654″]
GoalPoint-Setúbal-Sporting-LIGA-NOS-201819-MVP
Clique para ampliar
[/vc_tta_section][vc_tta_section i_icon_fontawesome=”fa fa-futbol-o” add_icon=”true” title=”Stats” tab_id=”1465571672809-6f7d6717-7b04″]
GoalPoint-Setúbal-Sporting-LIGA-NOS-201819-90m
Clique para ampliar
[/vc_tta_section][/vc_tta_tabs]

A quatro dias do grande dérbi de Lisboa frente ao Benfica, em Alvalade, o Sporting perdeu dois pontos na visita ao Vitória de Setúbal. A formação lisboeta esteve a perder desde os 24 minutos e viu-se reduzida a dez unidades por expulsão de Stefan Ristovski aos 55. Porém, os “leões” pressionaram bastante os sadinos em busca do empate, criando alguns lances de perigo, e empataram 1-1 em cima do minuto 80, através do inevitável Bas Dost. Ainda assim, o Sporting pode queixar-se de falta de eficácia ofensiva por não ter conseguido sair do Bonfim com os três pontos.

Resumo💻

O Jogo explicado em Números 📊

  • Jogo um pouco confuso no arranque, com as duas equipas a tentarem definir o seu futebol, mas a caírem muito nos despiques individuais, sem construírem propriamente jogadas com princípio, meio e fim. Excepção para Jefferson, que do lado esquerdo da defesa do Sporting cruzou para duas ocasiões flagrantes, ambas desperdiçadas por Bas Dost antes do primeiro quarto-de-hora.

  • O Sporting tentava mandar no jogo, embora não de forma muito clara, deixando o Vitória rematar mais e chegar com perigo junto da baliza de Renan Ribeiro. E aos 24 minutos, os sadinos colocaram-se na frente do marcador. Rúben Micael realizou um passe em profundidade para Jhonder Cádiz, este passou por Petrovic (a jogar a central) e rematou cruzado para o 1-0. Os homens da casa chegavam à vantagem ao quinto remate, terceiro enquadrado.
  • O Sporting dominava o encontro chegada a meia-hora, com 57% de posse e já cinco disparos, tantos quanto o Vitória, menos um enquadrado, mas todos dentro da área sadina. A eficácia ofensiva andava arredia do “leão”, que tinha em Jefferson o seu melhor elemento nesta fase. O brasileiro registava duas ocasiões flagrantes criadas, nos dois cruzamentos realizados.

  • Pelos 40 minutos, Bas Dost destacava-se no jogo aéreo, com a totalidade dos seus remates a registarem-se de cabeça. O Sporting, aliás, destacava-se nos cruzamentos de bola corrida, somando 13 nesta fase.

  • Intervalo Os sadinos chegaram ao descanso em vantagem, não por terem dominado o encontro, mas por terem sido mais pragmáticos e eficazes no ataque. O Sporting teve mais bola e rematou mais no primeiro tempo, mas não com a pontaria dos homens de Setúbal, que enquadraram quatro dos seus disparos e marcaram por Cádiz. O avançado venezuelano era o melhor ao intervalo, com um GoalPoint Rating de 6.6, com o tal golo conseguido em dois remates, três dribles certos em cinco tentativas e três duelos aéreos ofensivos ganhos.

  • A segunda parte começou com mais problemas para o Sporting, com um cartão vermelho directo mostrado a Stefan Ristovski, alegadamente por palavras dirigidas ao árbitro, decorria o minuto 55. Apesar de tudo, o “leão” chegou à hora de jogo a mandar nas operações, com 70% de posse e os únicos três remates (dois enquadrados) desde o intervalo.

  • Bruno Fernandes era dos poucos jogadores leoninos esclarecidos na tentativa de chegar ao empate. O médio chegava aos 70 minutos com dois remates, ambos enquadrados, seis cruzamentos (só um eficaz) e cinco passes para finalização, para além de cinco passes longos certos em sete tentativas.

  • Até que aos 80 minutos, o Sporting chegou ao empate. Após um cruzamento da direita de Bruno Gaspar, Cristiano afastou a bola com os punhos, mas esta chegou a Bruno Fernandes à entrada da área. Este rematou e Bas Dost, no coração da área, desviou a bola com um toque subtil, para o 1-1.
  • O tento leonino surgiu numa fase de grande pressão sportinguista, apesar de estar a jogar com apenas dez jogadores desde os 55 minutos. À entrada para a recta final da partida, os “leões” registavam 72% de posse de bola no segundo tempo, sete remates desde o intervalo (três enquadrados) contra somente um dos sadinos.

  • O jogo encaminhou-se para o fim “partido”, com ocasiões de golo de parte a parte, mas faltou clarividência dos jogadores de ambos os lados para concluírem com êxito as situações, com Cristiano e Renan Ribeiro a fecharem bem as suas balizas, em especial o sadino.

O Homem do Jogo 👑

E foi precisamente Cristiano o MVP desta partida no Bonfim. O guarda-redes esteve em grande plano, ao negar aos “leões” a vitória com algumas boas intervenções, com especial destaque para um remate forte de Bruno Fernandes que travou com um voo vistoso. No final, o GoalPoint Rating de 7.5 reflecte uma partida em que realizou oito defesas, três a remates dentro da sua grande área e dois aos ângulos superiores da baliza. E ainda somou duas saídas a soco.

Jogadores em foco 🔺🔻 

  • Bruno Fernandes 7.2 – O médio remou, como poucos, contra a maré que arrastava o “leão” no Sado. Não marcou, é certo, mas não foi por falta de tentativas, pois terminou a partida com cinco remates, três deles enquadrados, e fez a assistência para o golo de Bas Dost, num dos seis passes para finalização que realizou. Fez nove cruzamentos, apenas batido por Jefferson neste capítulo, e registou 99 acções com bola e nove recuperações de posse.
  • Nani 6.9 – O extremo entrou para mexer com o jogo e consegui-o, nos 30 minutos que esteve em campo. O internacional luso rematou três vezes e era vê-lo a driblar como nos bons velhos tempos, completando as quatro tentativas. E ainda fez tr~es passes para finalização.
  • Renan Ribeiro 6.7 – Não foi apenas o guarda-redes sadino a mostrar competência. O guardião leonino também foi chamado a intervir e realizou quatro defesas, duas a remates dentro da sua grande área.
  • Bas Dost 6.5 – O holandês começou mal o jogo, ao desperdiçar duas ocasiões flagrantes antes do primeiro quarto-de-horas. Mas com a crescente pressão leonina voltou a mostrar-se letal, fazendo um golo num dos seis remates (máximo do jogo) que realizou, quatro deles enquadrados. Ao ganhar sete de oito duelos aéreos defensivos, Dost rematou cinco vezes de cabeça, novo máximo desta Liga.
  • Jhonder Cádiz 6.2 – O venezuelano foi um problema para a defesa sportinguista, em especial na primeira parte, altura em que marcou o golo da sua equipa. Terminou o jogo com dois remates enquadrados em três tentativas, quatro dribles completos em seis e quatro de oito duelos aéreos ofensivos ganhos.

GoalPoint-Passatempo-GoalPoint-Ratings-PS4-Pro-2017-banner